Análise, Síntese e Gestão de Conhecimento em Saúde (HRB4102)

 

DOCENTES RESPONSÁVEIS:

Alessandra Mazzo

Cristiano Tonello

Luiz Fernando Manzoni Lourençone

 

NÚMERO DE CRÉDITOS: 6

 

CARGA HORÁRIA:

Teórica
(por semana)
Prática
(por semana)
Estudos
(por semana)
Duração Total
2h 5h 2h 10 semanas 90h

MODALIDADE DE OFERECIMENTO DA DISCIPLINA: Híbrido

Informações adicionais do oferecimento da disciplina: Porcentagem da disciplina que ocorrerá no sistema não presencial (Híbrido) – 10% presencial e 90% on-line

 

OBJETIVOS:

Ao final da disciplina o estudante deve ser capaz de:

Conhecer os processos de síntese de geração de evidência de cuidados de saúde;
Descrever os processos de Síntese da evidência;
Transcrever a transferência da evidência (conhecimento);
Analisar como têm se dado o uso de evidências

 

JUSTIFICATIVA:

Na época do crescimento do conhecimento de forma exponencial e da medicina baseada em evidências é preponderante definir estratégias de busca e de análise que dêem suporte as melhores decisões para os cuidados em saúde. 

Nesse contexto essa disciplina têm o intuito de apresentar estratégias de busca e sistematização de evidências de forma organizada, segundo recomenda-se os órgãos destinados a tal fim e dar oportunidade de um exercício prático de busca e sistematização de evidências aos participantes. 

 

CONTEÚDO:

Prática Baseada em Evidências: origem, conceitos e etapas  
Revisão integrativa 
Scoping Review  
Revisão de Escopo  
Grading of Recommendations Assessment, Development and Evaluation (GRADE)  
Revisão de evidências do Instituto Joanna Briggs (JBI)  
Estratégia para a busca de evidências 
Uso de checklists: Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-analyses
(PRISMA) e PRISMA extension for Scoping Reviews (PRISMA-ScR) 

 

BIBLIOGRAFIA:

ARKSEY, H.; O’MALLEY, L. Scoping studies: towards a methodological framework. International
Journal of Social Research Methodology, v.8, n.1, p.19-32, 2005.

AUDI, R. (1995) – The cambridge dictionary of philosophy. Cambrid e : Cambrid e University Press.
CARANDE-KULIS, V. g. [et al.] (2000) – Methods for systematic reviews of economic evaluations for
the guide to Community Preventive Services. American Journal of

BRASIL. Ministério da Saúde. Diretrizes metodológicas. Sistema GRADE–manual de graduação da
qualidade da evidência e força de recomendação para tomada de decisão em saúde. Brasília:
Ministério da Saúde, 2014.

DAWES, M. [et al.] (2005) – Sicily statement on evidencebased practice. BMC Medical Education. Vol.
5, nº 1, p. 1-7.

DOBROW, M. J. ; gOEL, V. ; UPSHUR, R. E. g. (2004) – Evidence-based health policy: context and
utilisation. Social Science & Medicine. Vol. 58, nº 1, p. 207-217.

GLASER, B.; STRAUSS, A. (1967) – The discovery of grounded theory: strategies for qualitative
research. New York : Aldine. GRIMSHAW, J. M. [et al.] (2001)

GRIMSHAW, J. M. [et al.] (2004) – Effectiveness and efociency of Guideline dissemination and
implementation strategies. Health Technology Assessment. Vol. 8, nº 6, p.1-72.

HIGGINS, J.P.T.; THOMAS, J. (editors). Cochrane handbook for systematic reviews of interventions.
2nd ed. Glasgow: Cochrane, Wiley Blackwell, 2019.694p.

HULLEY, S.B.; CUMMINGS, S.R.; BROWNER, W.S.; GRADY, D.G.; NEWMAN, T.B. Delineando a
pesquisa clínica. 4 ed. Porto Alegre: Artmed, 2015. 386 p.

 

 

<<< voltar para o índice de Disciplinas