Políticas de Humanização

humaniza

Uma das características que sempre esteve presente no HRAC é a humanização, de forma tão marcante que consolidou-se em política institucional em 2004, quando foi criado o Grupo de Trabalho da Humanização – GTH  pela Portaria SUPE 031/2004.  O GTH pode ser definido como um encontro de pessoas interessadas em discutir a instituição em que trabalham e/ou que utilizam, e as relações estabelecidas entre instituição, servidores e usuários (pacientes, acompanhantes, familiares e interessados).

O Grupo é um espaço coletivo, participativo e democrático que beneficia usuários e profissionais.  Coordenado pelo responsável pela Ouvidoria, é composto por servidores das diversas áreas do Hospital como, por exemplo, enfermagem, fonoaudiologia, medicina, odontologia, serviço social, além de representantes dos usuários; anualmente renova-se essa composição mediante indicação da Superintendência. (ver composição atual do GTH)

Cabe ao GTH discutir e planejar ações humanizadoras, além de repensar as proposições com relações a prioridade, acolhimento, classificação de risco, processo de trabalho, gestão participativa, respeito à diversidade, e outros temas que sejam de relevância. O objetivo é a busca constante de melhorias nos processos de trabalho e a qualidade da assistência à saúde, como definido pelo SUS. (ver Regimento GTH)

O GTH também apoia ações de humanização envolvendo servidores e usuários focadas em datas comemorativas como dia das mães, dia dos pais, dia da criança, etc., de iniciativa do Serviço de Educação e Terapia Ocupacional, GTH e outros.  O grupo apoia ainda atividades de humanização multisetoriais ou setoriais realizadas no Hospital, baseadas na Política Nacional de Humanização do SUS, além de participar de iniciativas externas de humanização, em especial de órgãos de saúde como o Núcleo de Educação Permanente e Humanização (NEPH) do Departamento Regional de Saúde (DRS VI). Dos projetos e iniciativas de humanização hospitalar multisetoriais ou de setores específicos que já estão implementados na rotina hospitalar, destacam-se:

[expand title=”OUVIDORIA (ver mais)” swaptitle=”(clique para fechar)” alt=”clique para exibir/ocultar.” id=”ouvidor”]

O serviço foi implantado em 1999 em cumprimento à Lei 10.294, que dispõe sobre os direitos do usuário do serviço público na defesa de seus direitos, para abrir um canal de comunicação entre o usuário e a instituição e realizar trabalho em prol da qualidade dos serviços prestados. (saiba mais)

OUVIDORIA (clique para fechar) [/expand]

[expand title=”SERVIÇO DE EDUCAÇÃO E TERAPIA OCUPACIONAL (ver mais)” swaptitle=”(clique para fechar)” alt=”clique para exibir/ocultar.” id=”recre”]

O foco do trabalho do Serviço é a humanização hospitalar por meio da brinquedoteca, atividades de expressão corporal, musical e dramática. As atividades visam a minimização do sofrimento e dos efeitos negativos do ambiente hospitalar, que geralmente atingem pacientes e familiares tanto em ambulatório quanto em internação. (veja mais)

SERVIÇO DE EDUCAÇÃO E TERAPIA OCUPACIONAL (clique para fechar) [/expand]

[expand title=”CASA CARACOL (ver mais)” swaptitle=”(clique para fechar)” alt=”clique para exibir/ocultar.” id=”caracol”]

Criada em 1997 com o objetivo de reproduzir o ambiente familiar e seus ruídos, se constitui em importante ferramenta no tratamento de crianças com implante coclear, e orientação para os pais sobre como interagir no ambiente familiar com a criança deficiente auditiva.

CASA CARACOL (clique para fechar) [/expand]

[expand title=”PROGRAMA MÃE PARTICIPANTE (ver mais)” swaptitle=”(clique para fechar)” alt=”clique para exibir/ocultar.” id=”mae”]

O programa compreende a presença da mãe, pai ou acompanhante durante todo o período de internação da criança. Visa melhores resultados com relação à prevenção, recuperação e reabilitação do indivíduo, pois diminui a ansiedade das crianças e dos pais durante o período de internação, proporciona mais conhecimento e vivência do tratamento para continuidade dos cuidados em casa, atende o direito da criança de ter os pais durante a internação, além de reduzir o tempo de internação da criança.

PROGRAMA MÃE PARTICIPANTE (clique para fechar) [/expand]

[expand title=”PROJETO BOM DIA CIDADÃO (ver mais)” swaptitle=”(clique para fechar)” alt=”clique para exibir/ocultar.” id=”bomdia”]

No projeto Bom dia Cidadão membros da Ouvidoria visitam, diariamente, usuários na Unidade de Internação do HRAC e apresentam o Serviço de Ouvidoria, além de transmitir noções de direitos e cidadania.

PROJETO BOM DIA CIDADÃO (clique para fechar) [/expand]

[expand title=”AGENTES MULTIPLICADORES / PAIS COORDENADORES (ver mais)” swaptitle=”(clique para fechar)” alt=”clique para exibir/ocultar.” id=”coordenadores”]

O programa, coordenado pelo Serviço Social, compreende a capacitação de pais, profissionais e representantes comunitários para o processo participativo e organizativo em apoio e reabilitação em sua própria cidade de origem. (saiba mais)

AGENTES MULTIPLICADORES / PAIS COORDENADORES (clique para fechar) [/expand]

[expand title=”PROJETO BAURU (ver mais)” swaptitle=”(clique para fechar)” alt=”clique para exibir/ocultar.” id=”bauru”]

O projeto é desenvolvido pela equipe do Serviço Social, que realizam visitas a pais de recém-nascidos com fissura labiopalatina na maternidade, para orientação e uma maior interação com os pacientes do município de Bauru. (saiba mais)

PROJETO BAURU (clique para fechar) [/expand]

[expand title=”CARONA AMIGA (ver mais)” swaptitle=”(clique para fechar)” alt=”clique para exibir/ocultar.” id=”carona”]

O projeto Carona Amiga, iniciado em 1981 pelo Serviço Social e Serviço de Prontuário de Pacientes, possibilita o agendamento dos pacientes agrupados por município a partir de cadastro na Prefeitura dos municípios, que cede conduções municipais para fins de tratamento no HRAC, garantindo a continuidade e adesão ao tratamento. (saiba mais)

CARONA AMIGA (clique para fechar) [/expand]

[expand title=”PROJETO BEM ESTAR (ver mais)” swaptitle=”(clique para fechar)” alt=”clique para exibir/ocultar.” id=”bemestar”]

Reúne profissionais e alunos dos programas de ensino do HRAC em reuniões socioeducativas e atividades voltadas a acompanhantes de pacientes internados na UTI e na UCE. Na forma como foi estruturado, o projeto permite o contato direto de alunos em programa de ensino (residências, aprimoramento, mestrado e doutorado) com os usuários, e no desenvolvimento de políticas de humanização.

PROJETO BEM ESTAR (clique para fechar) [/expand]

[expand title=”PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PERMANENTE PARA SERVIDORES DO HRAC (ver mais)” swaptitle=”(clique para fechar)” alt=”clique para exibir/ocultar.” id=”educacao”]

O Programa de Educação Permanente para Servidores do HRAC foi criado em 2013 com a missão de estimular o constante aperfeiçoamento e atualização de conhecimentos dos funcionários sobre as rotinas, propiciando novas práticas e a compreensão de conceitos para uma vida profissional com mais qualidade. Objetiva a aquisição e renovação de conhecimentos frente à evolução técnico-científica proporcionando atendimento com resolutividade ao usuário. Hoje, o programa é coordenado pelo Grupo de Humanização.

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PERMANENTE PARA SERVIDORES DO HRAC (clique para fechar) [/expand]

[expand title=”CAMPANHAS INTERNAS (ver mais)” swaptitle=”(clique para fechar)” alt=”clique para exibir/ocultar.” id=”campanhas”]

Há diversas campanhas organizadas pelo GTH e pela Ouvidoria que visam conscientizar e sensibilizar servidores e usuários sobre normas e recomendações do Hospital. Podem ser campanhas focadas e sazonais de acordo com a demanda que se apresente, ou campanhas fixas, das quais merecem destaque:

• “Por uma Letra Melhor”: Mobilizar e sensibilizar a equipe de profissionais para melhoria da letra na anotação em prontuário e, consequentemente, tornar a interpretação do diagnóstico e conduta terapêutica mais precisa.

• “Desligue o Celular e Silêncio”: Conscientizar e sensibilizar os funcionários e usuários sobre o uso adequado do celular, bem como desligá-lo durante os atendimentos e a importância do Silêncio dentro da Unidade Hospitalar.

• “Todos Contra o Desperdício”: Estimular e conscientizar os funcionários e usuários ao uso racional de recursos diários, como copos descartáveis, energia elétrica, papéis etc.

CAMPANHAS INTERNAS (clique para fechar) [/expand]