Covid-19: FOB-USP ultrapassa marca de 100 mil amostras analisadas

Após quase dois anos de testagem, Laboratório de Farmacologia da FOB-USP seguirá com suas atividades de apoio ao ensino e à pesquisa em 2022          

Mais de 100 mil amostras analisadas, agilidade no diagnóstico, melhor direcionamento do tratamento de pacientes com covid-19 e conhecimento científico. Estes são os principais resultados do trabalho realizado pelo Laboratório de Farmacologia da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB-USP) em quase dois anos, desde 10/04/2020, quando foi habilitado pelo Instituto Adolfo Lutz (IAL) para realizar a testagem para diagnóstico molecular da covid-19, por meio da técnica de RT-PCR em tempo real. A marca de 100.046 amostras analisadas foi registrada no dia 20/12/2021.

O Prof. Carlos F. Santos realiza testes na FOB. Foto: Denise Guimarães/FOB-USP

“A testagem em massa da população tem sido medida fundamental para o enfrentamento e controle da covid-19. Por trás das estatísticas, há seres humanos e famílias que podem ter o direcionamento e tratamento adequados com o diagnóstico ágil e correto. A testagem também é importantíssima porque ajuda a otimizar o aproveitamento dos leitos hospitalares”, avalia o professor Carlos Ferreira dos Santos, coordenador do Laboratório, diretor da FOB-USP e superintendente do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho-USP).

Além da expressiva contribuição à saúde pública de Bauru e região, a atuação do Laboratório também propiciou avanços no campo da ciência. “Tivemos pesquisas que ajudaram, por exemplo, a revelar possíveis marcadores de gravidade para a covid-19 bem como alvos terapêuticos, e a determinar o período para realização de cirurgia com segurança após a infecção pelo coronavírus”, ressalta o dirigente, que, além das funções de gestão na FOB-USP e no HRAC-USP, atua na linha de frente desde o início da pandemia, na bancada do Laboratório.

O trabalho realizado pelo Laboratório de Farmacologia incluiu ainda a testagem de servidores, docentes, alunos do campus USP-Bauru e pacientes cirúrgicos do HRAC-USP, com recursos próprios, tendo sido essencial para garantir mais segurança à comunidade do campus e à continuidade das atividades de ensino, pesquisa e assistência à saúde da população na USP-Bauru.

Prof. Carlos F. Santos, superintendente do HRAC e diretor da FOB. Foto: Marcos Santos/USP Imagens (2018)

“Agradecemos o apoio incondicional e a dedicação de uma pequena equipe composta por membros da FOB e do HRAC, profissionais de saúde e administrativos, técnicos e alunos altamente qualificados e engajados, que se uniram em prol da causa da testagem juntamente com os laboratórios do Instituto Adolfo Lutz de Bauru e do Instituto Lauro de Souza Lima. Não podemos nos esquecer de agradecer às pessoas e empresas que no início do nosso trabalho, em 2020, doaram anônima ou publicamente valores em dinheiro para que a fundação de apoio à FOB, Fundação Bauruense de Estudos Odontológicos (FUNBEO), pudesse fazer a aquisição de insumos para a testagem molecular da covid-19 pelo nosso Laboratório. Finalmente, agradecemos também o Instituto Butantan pelo fornecimento dos insumos para a testagem desde junho de 2020. Como professor, pesquisador e profissional da saúde, este foi um trabalho muito marcante. É um orgulho para nós, como servidores de uma Universidade pública, poder estar ao lado ajudando a população em um momento tão difícil e triste como nessa pandemia”, frisa Santos.

Ensino e pesquisa
O Brasil está diante de uma nova variante do coronavírus, a Ômicron, além de um surto de novo subtipo do vírus Influenza H3N2 (causador da gripe), o que reforça a necessidade das pessoas manterem as medidas de proteção. No entanto, graças ao avanço da vacinação contra a covid-19 em todo o país, o Brasil tem registrado queda nos principais indicadores da pandemia.

O especialista em laboratório da FOB Thiago José Dionísio. Foto: Denise Guimarães/FOB-USP

Nesse cenário mais favorável – e diante da necessidade de atender também demandas acadêmicas e de pesquisa –, a partir de janeiro de 2022, o Laboratório de Farmacologia da FOB-USP seguirá com suas atividades-fim, como atividades de ensino e pesquisa direcionadas a estudantes de graduação e, especialmente, de pós-graduação, que têm prazos para finalização de seus trabalhos de pesquisa para defender as dissertações e teses.

Os docentes responsáveis por projetos de pesquisa também têm prazos para apresentar relatórios finais às agências de fomento, tais como Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), dentre outras.

“Essas atividades de ensino e pesquisa dependem dos mesmos equipamentos e de pessoal técnico hoje dedicados unicamente à testagem molecular da covid-19. Após esse período de um ano e oito meses de suspensão das nossas atividades de ensino e pesquisa no Laboratório para dedicação exclusiva à testagem molecular – um trabalho de cooperação voluntário que toda a equipe abraçou com muito empenho –, este novo momento permite e exige que retomemos nossas atividades-fim”, pontua Santos.

A testagem para covid-19 por meio de RT-PCR em tempo real no Departamento Regional de Saúde (DRS 6-Bauru) continuará, sob a coordenação da unidade local do Instituto Adolfo Lutz (IAL), que, até este mês de dezembro de 2021, distribuía as amostras para análise nos laboratórios do próprio IAL, da FOB-USP e do Instituto Lauro de Souza Lima (ILSL).

Assessoria de Imprensa HRAC-USP

Assessoria de Imprensa HRAC-USP