Reconhecimento: HRAC-USP recebe Prêmio Direitos Humanos 2019

Concedido pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-Bauru), prêmio homenageia pessoas e instituições que tenham se destacado na defesa dos direitos humanos               

Marcia Polettini (presidente OAB-Bauru), Prof. Carlos F. Santos (superintendente HRAC-USP), Rosangela Thenório (presidente da Comissão de Direitos Humanos) e Carlos Alexandre de Carvalho (presidente da Comissão de Direitos e Prerrogativas)

O Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho) da USP encerra o ano com mais um importante reconhecimento: o Troféu Direitos Humanos – “Dr. Gastão de Moura Maia Filho”, concedido pela 21ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), de Bauru.

Criado em 2007 por iniciativa da Comissão de Direitos Humanos da OAB-Bauru, o Prêmio Direitos Humanos tem por objetivo homenagear pessoas físicas e jurídicas que tenham se destacado na defesa dos direitos humanos, reconhecendo, na comunidade, as pessoas e instituições cuja história ou atividade ajudam a promover a cidadania, o respeito às diferenças e a construção de um mundo melhor. O Troféu Direitos Humanos é a maior honraria conferida pela OAB.

A cerimônia de entrega do Prêmio aconteceu no dia 10 de dezembro de 2019, no Auditório da Casa da Advocacia de Bauru (Sede da OAB-Bauru). Participaram da solenidade os dirigentes Carlos Ferreira dos Santos e Guilherme Janson, superintendente e superintendente substituto do HRAC-USP, diretores, profissionais, alunos e pacientes do Hospital, além de docentes da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB-USP).

Na categoria pessoa física, quem recebeu o Troféu Direitos Humanos – “Fábio Francisco Ferreira Bento” foi Daniela de Carvalho Guedes Bombini (à direita na foto), presidente da Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da OAB-Bauru e mãe do pequeno Francisco Guedes Bombini (o Super Chico, como é chamado pela família), de três anos, que nasceu com Síndrome de Down, já precisou passar por sete cirurgias em virtude de problemas renais, cardíacos e hipotireoidismo, vive em sistema de home care e encanta a todos com seu sorriso e alegria nas redes sociais.

Nesta edição da premiação, também foram homenageados com Honra ao Mérito pela atuação em prol dos direitos humanos a Sorri-Bauru, o professor Juarez Xavier e o Conselho Municipal da Comunidade Negra de Bauru.

Resgate da dignidade e esperança
Na solenidade, o presidente da Comissão de Direitos e Prerrogativas da OAB-Bauru, Carlos Alexandre de Carvalho, defendeu que “os usuários do Centrinho, seus familiares e amigos sabem o quanto o Hospital proporcionou e ainda proporciona no resgate da dignidade da pessoa”.

“Há 52 anos, um grupo de profissionais abnegados começou a fazer história e, hoje, a nossa sociedade tem muito a agradecer ao Centrinho. Se muitas pessoas hoje têm a fissura restaurada ou a capacidade de ouvir um ‘eu te amo’, é graças ao trabalho desenvolvido pelo Centrinho. Essa homenagem é o mínimo que a nossa Ordem dos Advogados do Brasil pode fazer para uma entidade que traz a dignidade ao ser humano. O Centrinho não é apenas um hospital, é um local onde é resgatada a esperança, a alegria e o amor pela vida”, afirmou.

Agradecimento
Em seu discurso, o professor Carlos Ferreira dos Santos, superintendente do HRAC-USP e diretor da FOB-USP, ressaltou ser uma lisonja para a instituição receber esta importante honraria justamente no Dia Internacional dos Direitos Humanos (10 de dezembro).

“O HRAC é grandioso. Presta serviços de extensão de excelência, totalmente gratuitos – por meio de recursos financeiros advindos da Universidade de São Paulo, do Sistema Único de Saúde, o SUS, e de convênios –, aos pacientes que até nos chegam, de todas as partes do Brasil, além de ser centro de referência, de formação de recursos humanos para prestação de serviços e pesquisa em várias especialidades, também de forma gratuita”, explanou.

O superintendente pontuou que “momentos como esse são oportunidades raras para, obrigatoriamente, reverenciarmos todos que nos antecederam, pois deixaram a mim e ao professor Guilherme Janson, nosso superintendente substituto, uma base muito sólida e ainda muito fértil para novas empreitadas. Dentre esse seleto e ilustre grupo de antecessores está o Prof. Dr. José Alberto de Souza Freitas, o Tio Gastão, professor da Faculdade de Odontologia de Bauru e um dos sete fundadores e grande idealizador do HRAC, que, em 2012, recebeu o Prêmio Direitos Humanos da OAB-Bauru na categoria Pessoa Física”.

Carlos Alexandre de Carvalho (OAB), professores Guilherme Janson e Carlos F. Santos (HRAC-USP), e Marcia Polettini (OAB)

“Também é momento de agradecer a todos os servidores, docentes e técnico-administrativos, pesquisadores e outros colaboradores que, ao longo dos últimos 52 anos, ajudaram na construção da excelência do HRAC, mundialmente reconhecida na reabilitação de fissuras labiopalatinas, síndromes relacionadas e deficiência auditiva, por meio de tratamento humanizado. Indubitavelmente, o HRAC é um orgulho para Bauru, para o Estado de São Paulo e para o Brasil, e, juntamente com a Faculdade de Odontologia de Bauru, o HRAC assumirá protagonismo na implantação do Hospital das Clínicas de Bauru e na criação da tão sonhada Faculdade de Medicina de Bauru da USP, tendo em vista que o atual Curso de Medicina é honrosamente, por ora, abrigado pela Faculdade de Odontologia de Bauru”, salientou Carlos Ferreira dos Santos.

O dirigente ainda agradeceu a Carlos Alexandre de Carvalho, pela defesa da indicação do HRAC ao prêmio, e parabenizou Daniela de Carvalho Guedes Bombini, pela merecida homenagem e pelo exemplo de amor e dedicação ao filho Super Chico, além da doação de parte substancial de seu tempo e dos seus esforços às pessoas com as mais diferentes deficiências.

“Aproveito para desejar a todos um Feliz Natal e muita saúde e paz em 2020, para que, juntos, possamos fazer uma sociedade cada vez mais justa e melhor, dentro de princípios éticos, de solidariedade e de respeito ao próximo”, finalizou.

Veja vídeo da íntegra do discurso do professor Carlos Ferreira dos Santos em https://youtu.be/upRGeB5xYjY.

A instituição
Com 52 anos de atuação, o HRAC-USP é referência nacional e internacional na pesquisa e reabilitação das anomalias craniofaciais congênitas (especialmente a fissura labiopalatina), síndromes associadas e deficiência auditiva.

O trabalho interdisciplinar de sua equipe, o processo de reabilitação integral (com vistas à completa inserção do paciente na sociedade) e a humanização no atendimento são características que desde a origem marcaram a atuação do Hospital e se destacam até os dias atuais.

Com assistência disponibilizada via Sistema Único de Saúde (SUS), o HRAC-USP registra mais de 115.000 pacientes matriculados, vindos de todos os Estados do país.

(Fotos: Márcio Antonio da Silva, HRAC-USP / Adauto Nascimento)