Humanização: Projeto Tour Culinário traz jantares temáticos e apresentações musicais aos finais de semana

Iniciativa do Serviço de Nutrição visa propiciar momentos de alegria e descontração a pacientes que ficam internados por longos períodos no HRAC-USP e a seus acompanhantes

Eunice Góis, 32, de Itapema (SC): dois meses em Bauru com sua bebê internada. Foto: Tiago Rodella/HRAC

Há dois meses longe de casa e da família, Eunice Góis, 32, de Itapema (Santa Catarina), chegou ao Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho) da USP em Bauru no 19º dia de vida de sua filha Lavínia, nascida com Sequência de Pierre Robin, uma condição clínica caracterizada por micrognatia (queixo com tamanho reduzido), glossoptose (retração da língua) e fissura de palato (fenda no céu da boca), que traz dificuldade respiratória e alimentar aos bebês. O HRAC-USP é o terceiro hospital em que é internada a pequena Lavínia, que ainda não conheceu o lar.

Elaine Dias e a filha Adrielly (de Nioaque-MS) e a mãe Eunice Góis (de Itapema-SC). Foto: Tiago Rodella/HRAC

Nesse período em que está “morando” dentro do Hospital – assim como outras mães e pais que passam semanas ou meses com suas crianças internadas –, Eunice está vivenciando uma experiência diferente aos sábados e domingos. O projeto Tour Culinário – uma ação do Serviço de Nutrição e Dietética do HRAC-USP, em parceria com a empresa terceirizada de nutrição e com apoio da Superintendência da instituição – oferece jantares temáticos aos finais de semana a pacientes que ficam internados por longos períodos no Hospital e a seus acompanhantes.

“Sou de Santa Catarina. A gente chega aqui em um lugar diferente, com pessoas que a gente não conhece, com um bebê recém-nascido e com dificuldades, distante da família, ou seja, tudo novo. A minha filha ficou muitos dias entubada e, dentro da UTI ou da Unidade de Cuidados Especiais, ficamos com o pensamento só nessas preocupações e cuidados”, relata Eunice.

“Fomos muito bem acolhidas por todos e, aos finais de semana, tem esse diferencial [dos jantares temáticos]. A gente acaba se sentindo fora de um hospital, como se estivesse saindo para jantar fora. Então é um momento muito especial, porque você acaba relaxando um pouco mais, se distraindo, conhecendo outras pessoas, fazendo novas amizades. É um momento em que temos mais tempo para conversar e a gente acaba, digamos assim, se desligando um pouco da palavra “hospital”, completa.

A filha de Eunice, Lavínia, passou por cirurgia para colocação de distrator mandibular, aparelho mecânico para o alongamento da mandíbula. Com alta prevista para o dia 16 de agosto, a bebê deve, enfim, conhecer o seu lar.

Pratos típicos do México como burrito, chilli e guacamole. Foto: Tiago Rodella/HRAC

Momento de descontração e mimos
Na noite de 13 de agosto (sábado), o projeto Tour Culinário trouxe pratos mexicanos como burrito, chilli e guacamole, além de uma atração especial. De forma voluntária, os músicos de Bauru Hilda Campos (teclado) e João Carrara (voz) apresentaram um repertório com clássicos da MPB, de artistas como Adoniran Barbosa, Ary Barroso, Beto Guedes, Gonzaguinha, Roberto Carlos, Toquinho, entre outros, além de uma tradicional canção popular mexicana, “Cielito Lindo”. Já a decoração temática foi confeccionada pela equipe do Serviço de Educação e Terapia Ocupacional do HRAC-USP. Veja vídeo de momento do jantar mexicano neste link.

“Além da busca contínua em oferecer o melhor tratamento, a equipe do HRAC sempre teve o diferencial da humanização e de propiciar um ambiente acolhedor. Esta iniciativa é uma excelente demonstração do comprometimento de nossos profissionais, de sua capacidade de se colocar no lugar do próximo e de trazer ações que fazem muita diferença aos pacientes e suas famílias”, ressalta o professor Carlos Ferreira dos Santos, superintendente do HRAC-USP.

“A iniciativa surgiu a partir da necessidade de amenizar a tensão própria do ambiente hospitalar e proporcionar momentos de alegria e descontração a pacientes, mães, pais e acompanhantes de crianças que ficam internadas por longos períodos no Hospital, por semanas ou até meses”, conta a nutricionista Eliane Petean Arena, chefe técnica do Serviço de Nutrição e Dietética do HRAC-USP e uma das idealizadoras do projeto, juntamente com a nutricionista Márcia Marchesi, da empresa terceirizada.

“Planejamos então oferecer jantares temáticos com pratos típicos de diversos países todos os finais de semana, quando o fluxo hospitalar fica reduzido e exclusivo aos pacientes internados e acompanhantes. Posteriormente, a ideia é começar a fazer noites com pratos típicos dos Estados, em comemoração à diversidade brasileira”, explica.

Decoração temática foi confeccionada pela equipe da Recreação. Foto: Tiago Rodella/HRAC

O Tour Culinário teve início no mês de julho de 2022 e já contou com pratos das cozinhas árabe, italiana, japonesa e mexicana. “Os alimentos já fazem parte do cardápio oferecido pela empresa terceirizada, portanto não há custo adicional, mas os pratos são servidos de forma especial, com singelos mimos sempre que possível. Agora também começamos a convidar músicos para pequenas apresentações durante os jantares, proporcionando um momento ainda mais agradável e especial”, acrescenta a nutricionista. A iniciativa, portanto, é viabilizada também por meio de ações voluntárias, tanto de membros da equipe como de pessoas da comunidade e artistas locais.

A advogada Fernanda Fontes Rodrigues, de Resende (RJ), ficou por mais de um mês em Bauru com a filha Lara, de apenas três meses de vida, internada no HRAC-USP. Segundo a mãe, Lara nasceu com uma condição rara chamada Síndrome de Nager, que integra um grupo de distúrbios chamados de disostoses acrofaciais, caracterizados por malformações craniofaciais e dos membros. A condição geralmente requer traqueostomia – abertura cirúrgica no pescoço para permitir a respiração – na primeira infância.

Para Fernanda, os jantares aos finais de semana foram uma grande surpresa. “Quando chegamos e vemos tudo arrumado, aquela mesa preparada com tanto carinho, ficamos muito felizes. Uma noite teve até florzinha com trufa. A gente se sente acolhida, sente o carinho e o amor de todos. Não vemos isso em hospital nenhum. É meu terceiro hospital e, realmente, esse é um diferencial. São momentos de distração, de amenizar tudo o que estamos passando, em que nos sentimos especiais”, afirma a mãe.

(Imagem de capa: Jantar mexicano e apresentação musical. Foto: Tiago Rodella/HRAC-USP)

 

 

(Projeto já trouxe pratos típicos das cozinhas árabe, italiana, japonesa e mexicana. Fotos: Divulgação/HRAC)

 

Assessoria de Imprensa HRAC-USP

Assessoria de Imprensa HRAC-USP