Hospital das Clínicas da USP-Bauru inicia atividades

Abertura do HC em 01/07/2020 vem ajudar no enfrentamento da covid-19 e é marco para complexo que servirá para formação de profissionais de saúde

 

Iniciaram, neste dia 01/07/2020, as atividades no Hospital das Clínicas (HC) da USP em Bauru, com 40 leitos de enfermaria (baixa e média complexidade) para o atendimento de pacientes com covid-19 já diagnosticados e que estejam estabilizados, sob a responsabilidade da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (SES-SP).

A primeira paciente – uma mulher – foi transferida do Hospital Estadual de Bauru (HEB) – que é a referência para covid-19 de Bauru e outros 37 municípios – para o HC por volta das 17h30 deste dia 1º de julho. Nesse primeiro momento, o HC funciona como retaguarda para o HEB, liberando leitos naquela unidade e ampliando a assistência para Bauru e região. O fluxo de acesso, portanto, é exclusivamente por meio de transferência hospitalar, em serviço específico de ambulância (não é porta aberta).

“Essa é uma conquista histórica. Um importante sonho que começou lá atrás com o professor José Alberto de Souza Freitas, o Tio Gastão [ex-superintendente do HRAC-USP e docente aposentado da FOB-USP], é concretizado agora. Meu sentimento é de satisfação e gratidão. Todo o árduo trabalho e empenho de nossa gestão e as anteriores, de nosso time do HRAC-USP e de órgãos superiores da Universidade de São Paulo é recompensado com esse início de atividades do HC de Bauru”, ressalta o professor Carlos Ferreira dos Santos, superintendente do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho-USP) e diretor da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB-USP).

O dirigente pontua ainda que este início de atividades do Hospital das Clínicas é um primeiro passo, mas é um marco importante para o desenvolvimento desse complexo hospitalar. “Agora, é preciso avançar com a assinatura do Acordo de Cooperação Técnica [instrumento jurídico pelo qual a SES-SP assume, de fato, a posse e custeio do complexo do HC de Bauru], para o período pós-pandemia”, assinala Santos.

Logística e segurança
A Unidade 2 do HRAC-USP é ocupada parcialmente desde 2012. No primeiro andar, funcionam Recepção e Ambulatório de Saúde Auditiva da instituição. No segundo andar, atuam os serviços de Saúde Auditiva e Implante Coclear. E, no sétimo andar, funciona o Laboratório de Citogenética.

Para a abertura desses 40 leitos iniciais – distribuídos entre o quarto e o quinto andar, com 16 e 24 leitos respectivamente, em enfermarias com até três leitos – foi estabelecida toda uma logística de acesso e circulação no prédio, com vistas a garantir a saúde e segurança de toda a comunidade do campus e usuários. A reorganização inclui acesso de ambulância, elevadores, recepção e entradas independentes, para separação do fluxo de equipes e pacientes.

Nova unidade
A nova unidade hospitalar do HRAC-USP – também conhecida como “predião” – começou a ser construída em 1990, com o objetivo de ampliar a capacidade de atendimento a pacientes com fissura labiopalatina e anomalias craniofaciais, além de estender a assistência para outras deficiências. O HRAC-USP era, então, um dos únicos centros especializados no Brasil nessa área – atualmente, há 28 serviços habilitados no país pelo Ministério da Saúde.

O prédio tem 21 mil metros quadrados de área construída e 11 andares. Entregue em 2012, a nova unidade passou a ser ocupada parcialmente em novembro do mesmo ano, pelo serviço de Implante Coclear do HRAC-USP, que funcionava em prédio da FOB-USP. Gradativamente, outros serviços do HRAC-USP – que operavam inclusive fora do campus – foram transferidos para o novo prédio.

Com a criação, em 04/07/2017, do Curso de Medicina – oferecido pela FOB-USP desde 2018, portanto em seu terceiro ano –, ganhou impulso a proposta de implantação de um complexo para servir de hospital escola para a formação dos futuros médicos, que já atuam, desde o primeiro ano, na rede pública de saúde municipal e estadual de Bauru.

Assim, o Decreto Estadual Nº 63.589, de 06/07/2018, criou formalmente o Hospital das Clínicas (HC) de Bauru, estabelecendo que esse novo complexo, composto pelas Unidades 1 e 2 do HRAC-USP, absorverá a assistência à saúde atualmente oferecida pelo Centrinho e servirá de campo para cursos de graduação e pós-graduação nas áreas relacionadas com as ciências da saúde da USP e de outras universidades locais.

 

(Por Tiago Rodella, Assessoria de Imprensa HRAC-USP. Foto de capa: Nilton Saggioro, HRAC-USP)