(Português do Brasil) Especializações

Disculpa, pero esta entrada está disponible sólo en Portugués De Brasil.

Desde 1990, o HRAC-USP forma profissionais para atuação pelo Brasil afora em áreas específicas como anomalias craniofaciais e síndromes. Todos os cursos oferecidos são gratuitos e reconhecidos pela USP e por órgãos oficiais. A instituição tem a preocupação de capacitar profissionais para atuarem nesta área tão específica em serviços de outras partes do Brasil e até mesmo do exterior.

Os cursos de especialização lato sensu do HRAC propiciam aos alunos oportunidades de aprofundar os conhecimentos específicos e desenvolver habilidades. Com foco na área de saúde, os cursos são voltados para profissionais das áreas de odontologia. A estrutura desses cursos, que aliam orientadores altamente capacitados, contato com pacientes de todas regiões do país e o incentivo à pesquisa como base de formação profissional e humanista, propiciam a formação de profissionais altamente capacitados e diferenciados no mercado de trabalho e no atendimento à população.

Todos os cursos têm, em sua estrutura, área de concentração, área conexa e disciplinas obrigatórias. A distribuição de carga horária das disciplinas sempre observa uma divisão entre carga horária teórica e carga horária prática.

PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS (ver mais)

Esse conjunto de três disciplinas é comum a todos os cursos de especialização lato sensu do HRAC:

BIOÉTICA (ver mais)

Discutir os dilemas éticos que surgem nas profissões da área da saúde, e na área odontológica em particular. Discutir dois enfoques: um puramente teórico-doutrinário e o outro à luz das leis, normas e códigos vigentes no país. Oferecer exemplos práticos para facilitar o entendimento das questões.

Preparar os especializandos para o exercício de suas funções na prática profissional com base em preceitos éticos ajustados à realidade dos tempos atuais.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Conceito e definição da ética profissional
2. Estudo teórico e prático dos códigos de ética
3. Relacionamento dos profissionais com os pacientes
4. Segredo profissional
    – Responsabilidade
    – Exercício lícito e ilícito das profissões
    – Propaganda
6. Ética na pesquisa em seres humanos

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ALMEIDA, M. Comentário sobre os princípios fundamentais da bioética. In: PESSINI, L., ARCHIFONTAINE, C. P. Fundamentos da bioética. São Paulo: Paulus, 1996.
ALMEIDA, M. Considerações de ordem ética sobre o início e o fim da vida. Tese (Livre Docência) – Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo, 1988.
ALMEIDA, M. Science and morals. Rev.Hosp.S.Paulo, v. 5, n. 1/2, p. 1-2, 1994.
ALMEIDA, M., MUÑOZ, D. R. Doação e transplante de órgãos e tecidos. In: SEGRE, M., COHEN, C. Bioética. São Paulo: EDUSP, 1995.
ALMEIDA, M., MUÑOZ, D. R. Noções de responsabilidade em bioética. In: SEGRE, M., COHEN, C. Bioética. São Paulo: EDUSP, 1995.
BEAUCHAMP, T., CHILDRESS, J. F. Principales of biomedical ethics. 2.ed. New York: Oxford University Press, 1983.
FLETCHER, J. Humanhood: essays in bomedical ethics. New York: Prometheus, 1979.
FRANÇA, G. V. Comentários ao código de ética médica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1994.
HOGSHEAD, H. P. Responsability: a modality for the net decade. Phys.Ther., v. 54, p. 588, 1974.
HOSSNE, W. S. A ética e a ciência. J.CREMESP, v. 14, n. 91, 1994.
HOSSNE, W. S. Experimentação com seres humanos: aspectos éticos. In: Bioética. São Paulo: Universidade de São Paulo. p. 127-146
HOSSNE, W. S. Prontuário médico: aspectos éticos. Rev.Ass.Méd.bras., v. 38, n. 2, p. 75-79, 1992.
HUIZINGA, J. O. Homo ludens. São Paulo: Perspectiva, 1971.
PESSINI, L., BARCHIFONTAINE, C. P. Problemas atuais de bioética. São Paulo: Loyola, 1994.
SPISANTI, S. Ética biomédica. Rio de Janeiro: Paulinas, 1990.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

BIOÉTICA (clique para fechar)

ÉTICA E LEGISLAÇÃO ODONTOLÓGICA (ver mais)

Objetiva-se a desenvolver no especializando a necessidade da aplicação de requisitos éticos e legais no cotidiano de sua atividade laborativa. Espera-se neste sentido que ao desenvolver futura profissional, saiba atuar identificando princípios básicos de legislação, infortunística, traumatologia forense, lides envolvendo processos contra CD, Código de Ética Odontológica, Código de Defesa do Consumidor e como anunciar e fazer publicidade em Odontologia.
Fato posto, a integração do futuro especialista em implantodontia a uma realidade mercadológica, propiciando uma visão integral da odontologia-comunidade, é fator preponderante a quem será formador de opiniões.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Introdução ao estudo da Deontologia , Legislação e Odontologia Legal
    – Conceito, histórico, relações
    – Fundamentos filosóficos, sociológicos e jurídicos
    – Relação com a Medicina Legal, Antropologia e Sociologia
2. Legislação e Jurisprudência
    – Exercício legal e ilegal
    – Regulamentação
    – Leis e seus conceitos
    – Conceito de profissão odontológica
3. Responsabilidade profissional
    – Civil
    – Criminal
4. Segredo profissional
    – Importância do segredo
    – Revelação do segredo
5. Honorário Profissional
    – Lides de cobranças judiciais
6. Deontologia
    – Ética e Código de Ética Odontológica
    – Associação de classe, sindicato e conselhos
    – Relação paciente X cirurgião-dentista frente ao Código de Defesa do Consumidor
7. Perícias em geral
    – Tipos de perícias
    – Locais de crime e levantamentos
    – Documentos periciais e legais
8. Noções gerais de traumatologia forense
    – Agentes vulneráveis e lesões
    – Lesões traumáticas nos dentes, partes moles e craniofacial
    – Deformidades
    – Estudo das energias
    – Lesões odontológicas frente ao artigo 129 do C.P.B
9. Noções gerais de infortunística
    – Doutrina do risco profissional
    – Conceitos de acidente do trabalho – Segurança do trabalho

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ARBENZ, G.O. – Medicina Legal e Antropologia Forense. São Paulo, Atheneu, 1988, 562 p.
BANG, G. – Analysis of Tooth Marks in a Homicide Case. Acta Odont Scand 1996; 34: 1-11.
BARROS, O. B. – Como O Cirurgião-Dentista Deve Organizar-se Para Evitar Processos. Lins, edição do autor, 1998, 103 p.
CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO. – Lei nº 3.071, de 1º de janeiro de 1916, com corrigendas feitas pela Lei nº 3.275, de 15 de janeiro de 1919. In Carreira Forense, 2ª ed. Rio de Janeiro, Konfino, 1978.
CÓDIGO DE ÉTICA ODONTOLÓGICA. – Resolução CFO – 179/91, de 19/12/1991. Rio de Janeiro, 1998, 20 p. (novo)
CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR. – Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990.
CÓDIGO PENAL BRASILEIRO. – Decreto Lei nº 2.848, de 07 de dezembro de 1940, atualizado pela Lei nº 7.209/84 e Lei 7.351/84. 3ª ed. São Paulo, 1988.
CIONE, J. A. V. O – Perícia e Perito Odonto Legal. Dissertação de Mestrado. Centro de Pós-Graduação em Direito da Universidade de Ribeirão Preto – UNAERP. Ribeirão Preto, 1983.
CONSOLIDAÇÃO DAS NORMAS PARA PROCEDIMENTOS NOS CONSELHOS DE ODONTOLOGIA – Conselho Federal de Odontologia – CFO. Rio de Janeiro, 1997, 144 p.
Lei nº 5.O81, DE 24 DE AGOSTO DE 1966 – Regula o Exercício da Odontologia no Brasil; e LEI nº 5.991, DE 17 DE DEZEMBRO DE 1973. – Dispõe sobre o Controle Sanitário do Comércio de Drogas, Medicamentos, Insumos Farmacêuticos e Correlatos, e dá Outras Providências.
SALES PERES, A. – Perícia de Convênio Odontológico. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Odontologia da USP, São Paulo, 1997.
SILVA, M. da – Compêndio de Odontologia Legal. São Paulo, Editora Medsi, 1997, 490 p.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

ÉTICA E LEGISLAÇÃO ODONTOLÓGICA (clique para fechar)

METODOLOGIA CIENTÍFICA (ver mais)

A evolução do conhecimento científico pressupõe desenvolvimento das atividades de pesquisa. Estas atividades devem ser planejadas, para posterior execução, análise, e divulgação. A Metodologia do Trabalho Científico busca preparar os alunos para a análise crítica dos trabalhos existentes e instrumentá-lo para a execução de sua própria pesquisa (clínica ou monográfica) e posterior divulgação.

OBJETIVOS:
1. Levar ao conhecimento dos fundamentos da metodologia da pesquisa científica.
2. Capacitar para o planejamento, documentação e execução de uma pesquisa científica.
3. Levar à compreensão do valor da informação.
4. Levar à identificação de necessidades de informação.
5. Capacitar para o planejamento e execução de pesquisa bibliográfica.
6. Instruir sobre as fontes de informação em área específica.
7. Orientar a normalização dos diferentes tipos de trabalhos científicos.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – O que é Ciência
    1.1 Conceito e Classificação das Ciências
    1.2 Tipos de Conhecimento
2 – O que é Pesquisa
    2.1 Introdução
    2.2 Origem da Palavra
    2.3 Definição
    2.4 Por que pesquisar
    2.5 O universitário e a pesquisa
    2.6 Caracterização das pesquisas
    2.7 Etapas da pesquisa científica
    2.8 Pesquisa em seres humanos
3 – Pesquisa no HRAC
    3.1 Protocolo de Pesquisa no HRAC
        3.1.1 Estrutura do Projeto de Pesquisa
        3.1.2 Documentação
            3.1.2.1 Pesquisa envolvendo seres humanos
            3.1.2.2 Pesquisa sem envolver seres humanos
4 – Pesquisa bibliográfica e recursos informacionais
    4.1 Pesquisa bibliográfica
        4.1.1 Definição
        4.1.2 Finalidade
    4.2 Fases da pesquisa bibliográfica
        4.2.1 Seleção de fontes de informação
            4.2.1.1 Fontes eletrônicas (bases de dados, periódicos, teses etc.)
            4.2.1.2 Fontes impressas
        4.2.2 Busca bibliográfica
            4.2.2.1 Palavras-chave, descritores e key words
            4.2.2.2 Operadores booleanos e truncagem
        4.2.3 Localização e obtenção de documentos
        4.2.4 Organização e resumo de documentos
5 – Trabalho Científico
    5.1 Redação do trabalho científico: normalização
        5.1.1 Referências bibliográficas
        5.1.2 Citações
    5.2 Trabalho de Conclusão de Curso
    5.3 Publicação de Artigo Científico
        5.3.1 Estrutura
        5.3.2 Critérios de seleção de periódicos para avaliação
        5.3.3 Autoria e Co-autoria em trabalhos científicos

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ABRAHAMSOHN, P. A. Redação científica. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2009. 269 p.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520:2002 – Informação e documentação: apresentação de citações em documentos. Rio de Janeiro: ABNT, 2002. 7 p.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724:2011 – Informação e documentação: trabalhos acadêmicos – apresentação. Rio de Janeiro: ABNT, 2011. 15 p.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023:2002 – Informação e documentação: referências – elaboração. Rio de Janeiro: ABNT, 2002. 24 p.
AZEVEDO, C. B. Metodologia científica ao alcance de todos. 2. Ed. Barueri: Manole, 2009. 47 p.
BRASIL. Ministério da Educação. Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Diretoria de Avaliação. QUALIS: concepção e diretrizes básicas. Rev Bras Pós-Graduação, Brasília, v. 1, n. 1, p. 149-151, jul. 2004. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2013.
CARVALHO, M.C.M. de (Org.). Construindo o saber: metodologia científica, fundamentos e técnicas. 5.ed. Campinas: Papirus, 1995.
CAVALCANTI, A. L.; PADILHA, W. W. N.; VALENÇA, A. M. G. Desmistificando a elaboração do artigo científico guia para acadêmicos da área de saúde. João Pessoa: Idéia, 2007. 101 p.
DAY, R. Como escrever e publicar um artigo científico. 5 ed. São Paulo: Ed. Santos, 2001. 275 p.
ESTRELA, C. Metodologia científica: ciência, ensino, pesquisa. 2. ed. São Paulo: Artes Médicas, 2005. 794 p.
GRIGOLLI, A. A. G. Metodologia do trabalho científico e recursos informacionais na área da saúde. São Paulo: Ed. Santos, 2008. 208 p.
MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2007. 315 p.
MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E.M. Técnicas de pesquisa. 6. ed. rev. ampl. São Paulo: Atlas, 2007. 289 p.
RODE, S. de M.; CAVALCANTI, B. das N. Ética em autoria de trabalhos científicos. Pesqui Odontol Bras, São Paulo, v. 17, p. 65-66, maio 2003. Suplemento n. 1. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2011.
SECAF, V. Artigo científico: do desafio à conquista. 3. ed. São Paulo: Green Forest do Brasil, 2004. 146 p.
VOLPATO, G. L. Bases teóricas para redação científica… por que seu artigo foi negado? São Paulo: Cultura Acadêmica; Vinhedo: Scripta, 2007. 125 p.
VOLPATO, G. L. Dicas para redação científica. Botucatu: Ed. do autor, 2006. 84 p.
VOLPATO, G. L. Publicação científica. São Paulo: Cultura Acadêmica, c2008. 125 p.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

METODOLOGIA CIENTÍFICA (clique para fechar)

PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS (clique para fechar)

 

CURSOS OFERECIDOS:

ESPECIALIZAÇÃO EM DENTÍSTICA (ver mais)

 

NATUREZA DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL: Curso de Especialização em Dentística

PRÉ-REQUISITO: Graduados em Odontologia

COORDENADORA: Dra. Ana Flávia Sanches Borges

VICE-COORDENADOR: Dr. Paulo Afonso Silveira Francisconi

DURAÇÃO: 24 meses

CARGA HORÁRIA TOTAL: 2.184 horas, sendo 2.076 horas (Área de Concentração + Área Conexa) e 108 horas de Disciplinas Obrigatórias.

• Área de Concentração:

Disciplinas Teórica Prática Total
Estética e Cosmética em dentística 35h 313h 348h
Prevenção em dentística 15h 61h 76h
Restaurações estéticas 104h 928h 1.032h
Restaurações metálicas diretas 32h 200h 232h
Restaurações metálicas fundidas 20h 160h 180h
TOTAL 206h 1.662h 1.868h

• Área Conexa:

Disciplinas Teórica Prática Total
Anestesiologia 23h 19h 42h
Cariologia 39h 15h 54h
Emergência Médica em Odontologia 15h 17h 32h
Materiais Dentários 27h 15h 42h
Radiologia 16h 22h 38h
TOTAL 120h 88h 208h

• Disciplinas Obrigatórias:
(não poderão ser consideradas no cálculo da carga horária entre as disciplinas da área conexa e concentração)

Disciplinas Teórica Prática Total
Bioética 16h 16h
Ética e Legislação Odontológica 30h 2h 32h
Metodologia Científica 60h 60h
TOTAL 106h 2h 108h

PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS:

ANESTESIOLOGIA (ver mais)

A prática cirúrgica impõe ao aluno a necessidade de conhecimentos aprofundados sobre a obtenção e manutenção da cadeia asséptica, sobre as soluções anestésicas e técnicas apropriadas de anestesia e os cuidados com o paciente nos períodos pré, trans e pós-operatórios buscando não só um correto desenvolvimento da manobra cirúrgica assim como um previsível e adequado processo de reparação.

O sucesso de qualquer manobra cirúrgica depende da aquisição de conhecimentos prévios dos fundamentos de técnica uma vez que na maioria dos casos os procedimentos têm caráter irreversível e portanto requerem uma sólida formação daqueles que os desenvolvem.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1.
Introdução à anestesiologia local
    • Considerações gerais
    • Histórico da anestesia local
    • As condições atuais da anestesia local em Odontologia
2. Revisão Anatômica
    • Nervo trigêmeo (V par craniano)
    • Ramo oftálmico (Vl)
    • Ramo maxilar (V2)
    • Ramo mandibular (V3)
    • Componentes sensitivos e motores
    • Principais ramos e terminações nervosas – áreas inervadas
    • Reparos anatômicos na maxila e na mandíbula, relacionados à prática da anestesia local
3. Farmacologia das soluções anestésicas (parte I e II)
    • Revisão de neurofisiologia
    • Estudo das soluções anestésicas
    • Sais anestésicos
    • Vasoconstrictores
    • Veículos, conservantes e estabilizantes
    • Seleção dos Sais anestésicos
4. Anestesias terminais:
    • Anestesias terminais superficiais
    • Anestesias terminais infiltrativas
5. Anestesias por bloqueio regional na mandíbula:
    • Bloqueio regional dos nervos alveolar inferior, bucal e lingual
    • Bloqueio regional dos nervos mentoniano e incisivo
6. Anestesias por bloqueio regional na maxila:
    • Bloqueio regional dos nervos alveolares superiores anteriores e médios
    • Bloqueio regional dos nervos alveolares superiores posteriores
    • Bloqueio regional dos nervos palatinos maiores
    • Bloqueio regional dos nervos nasopalatinos
7. Acidentes e complicações das anestesias locais:
    • Acidentes e complicações com origem nas drogas ou substâncias químicas utilizadas
    • Acidentes e complicações associados às técnicas anestésicas
8. Sedação e analgesia

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

BENNET, C.R. Anestesia local e controle da dor na prática dentária. 7. ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 1989.
GREGORY, C. Cirurgia buco-dento-alveolar. 2 ed. São Paulo, Sarvier, 2004
MALAMED, S.F. Manual de anestesia local. 5. ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2004.
MARZOLA, C. Anestesiologia. 3. ed. São Paulo, Pancast, 1999.
MARZOLA, C. Técnica exodôntica. 3 ed. São Paulo, Pancast, 2000.
MOORE, U.J. Princípios de cirurgia bucomaxilofacial. 5 ed. Porto Alegre, Artmed Ed., 2004.
PETERSON, L. Cirurgia oral e maxilo facial contemporânea. 3. ed., Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2000.
ROBERTS, D.H.; SOWRAY, J.H. Analgesia local em odontologia.3. ed. São Paulo, Ed. Santos, 1995.
SICHER, H.; DUBRUL, E.L. Anatomia bucal. 6. ed., Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 1977.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

ANESTESIOLOGIA (clique para fechar)

CARIOLOGIA (ver mais)

A Disciplina de Cariologia tem por objetivo aprofundar os conhecimentos a respeito de cárie dentária, dando uma visão do estado-da-arte das pesquisas envolvendo o assunto, no que diz respeito à sua etiologia, diagnóstico e tratamento, tendo sempre em vista despertar o interesse do aluno para o adequado controle da doença.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Visão atual da etiologia da cárie dentária: biofilme dentário, dieta e fatores do hospedeiro.
2 – Visão atual do processo da cárie dentária: mecanismos das des e remineralizações do esmalte dentário.
3 – Erosão dentária.
4 – Risco de cárie dentária.
5 – Diagnóstico de cárie dentária.
6 – Estratégias atuais de controle da cárie dentária.
7 – Epidemiologia da cárie dentária.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

AXELSSON, P. Preventive materials, methods, and programs. Quintessence, 2004.
BUZALAF, M.A.R. Fatores de risco para fluorose dentária e biomarcadores de exposição ao flúor. Tese Livre Docência, FOB-USP, 2002.
FEJERSKOV, O.; Kidd, E. Dental Caries. The disease and its clinical management. Blackwell Munksgaard, 2003.
GARANT, P.R. Oral Cells and Tissues. Quintessence, 2004.
RAMIRES, I.; Buzalaf, M.A.R. Flúor e fluoretação da água. FOB-USP, 2005.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

CARIOLOGIA (clique para fechar)

EMERGÊNCIA MÉDICA EM ODONTOLOGIA (ver mais)

Preparar o cirurgião-dentista, a reconhecer e instituir medidas de pronto-atendimento na ocorrência de situações emergenciais desencadeadas em âmbito odontológico, recebendo treinamento para executar manobras de Suporte Básico de Vida, bem como indicar e manusear drogas, equipamentos e acessórios empregados em tais situações.

Situações de emergência médica, embora incomuns, podem ocorrer na clínica odontológica de forma imprevisível, sem regras ou padrões definidos. O aumento da frequência de atendimento odontológico de idosos em virtude do aumento da expectativa de vida, torna mais provável a ocorrência de alterações sistêmicas durante o tratamento dentário. Tal realidade obriga o profissional a adotar precauções que vão desde uma correta avaliação do estado geral de saúde até o treinamento em situações de emergência médica aumentando a segurança clínica no atendimento de pacientes que requerem cuidados especiais.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Introdução
    • Anamnese e avaliação dos sinais vitais
    • Classificação e incidência das situações de emergência
    • Recomendações básicas
    • Controle de ansiedade
2. Suporte Básico de Vida (SBV)
    • Protocolo do SBV
3. Alteração ou perda da consciência
    • Lipotímia ou síncope
    • Hipoglicemia aguda
    • Hipotensão ortostática
    • Acidente vascular cerebral
    • Insuficiência renal aguda
4. Dificuldade respiratória
    • Hiperventilação
    • Crise asmática
    • Edema pulmonar
    • Obstrução das vias aéreas por corpo estranho
5. Dor no peito e arritmias cardíacas
    • Angina
    • Infarto do miocárdio
    • Bradicardia sinusal
    • Taquicardias
6. Crise hipertensiva arterial
7. Reações alérgicas
    • Aos anestésicos locais
    • Aos antibióticos
    • Aos anti-inflamatórios e analgésicos
    • Outras substâncias de uso odontológico
8. Crises convulsivas
9. Equipamento de emergência
    • Drogas e medicamentos
    • Acessórios para administração de injetáveis
    • Outros materiais
10. Administração de drogas injetáveis
    • Vias de administração de injetáveis
    • Injeção subcutânea (SC)
    • Injeção intramuscular (IM)
    • Injeção intravenosa (IV)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

CARVALHO, C. Emergências médicas no atendimento odontológico. Rev Bras. Odontol., 60 (2): 108-11, mar-abr., 2003
MALAMED, S.F. Manual de anestesia local. 5. ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2004.
RANALI, J.; ANDRADE, E. D. Emergências médicas em Odontologia. 2. ed. Artes Médicas, 2004.
SINGI, G. Fisiologia para Odontologia – Atendimento de paciente especiais e primeiros socorros médicos. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 1998.
TORTAMANO, N.; ARMONIA, P. L. Como prescrever em Odontologia. 6. ed. São Paulo, Livraria e Editora Santos, 2004.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

EMERGÊNCIA MÉDICA EM ODONTOLOGIA (clique para fechar)

ESTÉTICA E COSMÉTICA EM DENTÍSTICA (ver mais)

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Introdução
    – Cósmética em dentística
    – Análise facial (pele, boca, lábios, sorriso)
    – Análise da proporção áurea
2 – Cosmética com resina composta
    – Reanatomização de estruturas dentárias
    – Fechamento de diastemas
    – Tratamento de hipoplasias de esmalte
    – Restabelecimento da dimensão vertical
    – Facetas múltiplas
3 – Restaurações indiretas de porcelana
    – Preparo em dentes anteriores
    – Preparo em dentes posteriores
    – “Inlay”, “Onlay”, Coroa oca
4 – Porcelanas
    – Sobre refratários
    – Injetada (In Press)
    – Ceramizadas (Dicor/In Ceram)
5 – Técnicas de caracterização
    – Intrínseca
    – Extrínseca
6 – Técnica de fixação
    – Agentes cimentantes
    – Preparo da superfície dentária
    – Preparo da superfície de porcelana
7 – Clareamento de dentes
    – Causas de escurecimento de dentes polpados e despolpados
    – Técnicas clareadoras
        Imediata
        Mediata
        Caseira
8 – Tratamentos clínicos integrados
    – Inter-relação dentística-periodontia
        Gengivoplastia
        Gengivectomia
        Cunha inter-proximal
        Cunha distal
        Cirurgia a retalho
        Deslocamento apical do retalho
    – Inter-relação dentística-ortodontia
        Extrusão
        Intrusão
        Recuperação de espaço proximal

PRÁTICA LABORATORIAL (dentes extraídos):
Preparos “Inlay”, “Onlay” e coroa oca
Preparo para facetas indiretas
Técnica de cimentação
Preparo da porcelana
Preparo do dente

ESTÉTICA E COSMÉTICA EM DENTÍSTICA (clique para fechar)

MATERIAIS DENTÁRIOS (ver mais)

Os alunos deverão saber classificar e diferenciar os materiais quanto a sua utilização, aplicação, marcas comerciais existentes no mercado. O conhecimento das propriedades físicas e mecânicas, das características de manipulação e o comportamento clínico dos materiais dentários é fundamental na indicação e aplicação das técnicas restauradoras e dos procedimentos preventivos em dentística.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Materiais para limpeza de cavidades:
    – Propriedades físico-químicas
    – Comportamento biológico
2. Materiais para proteção do complexo dentina/polpa:
    – Requisitos, classificação, propriedades físico-químicas, biocompatibilidade, indicações clínicas
    – Vernizes: convencionais e modificados
    – Bases: óxido de zinco eugenol; cemento de hidróxido de cálcio
3. Cimentos: Indicações, propriedades físico-químicas, comportamento biológico
    – Cimento de fosfato de zinco
    – Cimento de policarboxilato
    – Cimento de silicado
    – Cimento de ionômero de vidro
4. Amálgama dental:
    – Tipos, formato de partículas, processo de obtenção, proporcionamento, trituração, condensação, fase gama 2, propriedades físico-químicas, compatibilidade biológica, indicações clínicas.
5. Resinas:
    – Resinas acrílicas e resinas compostas – propriedades físico-químicas e comportamento biológico, estrutura química, reações químicas, ataque ácido, indicações.
6. Ligas para fundição odontológica:
    – Ligas áureas
    – Ligas não nobres: composição, propriedades e indicações

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

CRAIG, r.g.; PAWERS, J.M. Materiais dentários restauradores. 11ª ed. São Paulo, Santos, 2004
GALAN JR., J. Materiais dentários: o essencial para o estudante e o clínico geral. São Paulo, Santos, 1999.
NOORT, R.V. Materiais dentários. São Paulo, Artmed, 2004.
WANG, L. et al. Mechanical properties of dental restorations materials: relative contribution of laboratory tests, J. Oral Sci., v. II, n.3, p.162-67, 2003.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

MATERIAIS DENTÁRIOS (clique para fechar)

PREVENÇÃO EM DENTÍSTICA (ver mais)

Capacitar o especialista a identificar no indivíduo o risco e atividade da doença cárie e a partir de então estabelecer um plano de tratamento que inclui mecanismos de prevenção em todos os níveis (primário, secundário e terciário).

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Introdução
    – Prevenção de doenças bucais
    – Filosofia de Promoção da Saúde
2. Fatores Primários (essenciais)
    – Microorganismo
    – Hospedeiro
    – Dieta
3. Fatores Secundários (moduladores)
    – Saliva
    – Exposição ao flúor
        Aplicação sistêmica
        Aplicação tópica
4. Diagnóstico da atividade da doença cárie
    – Recursos para diagnóstico
        Anamnese
        Testes clínicos
        Informações radiográficas
    – Alto risco
    – Baixo risco
    – Tomada de decisão terapêutica e tratamento
5. Materiais liberadores de flúor
    – Tipos de materiais
    – Selamento de cicatrículas e fissuras
        Técnica Conservadora
        Técnica Invasiva
    – Tratamento restaurador atraumático (ART)
6. Remineralização de manchas brancas
    – Dignóstico de lesão inicial de cárie em superfícies livres
    – Técnica de remineralização
7. Restaurações preventivas
    – Ionômero de vidro
    – Resina composta
    – Amálgama
8. Microabrasão do esmalte
    – Histórico
    – Indicações
    – Técnicas de microabrasão
    – Cuidados

PRÁTICA LABORATORIAL (dentes extraídos):
Selamento não invasivo / selamento invasivo
Técnica de tratamento restaurador atraumático (ART)
Preparo e restauração classe I com inômero de vidro
Preparo e restauração classe I (técnica mista) com inômero de vidro e selante

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

BARATIERI, L.N. et al. Odontologia restauradora ? Fundamentos e possibilidades. São Paulo, Livraria Ed. Santos, 2002.
BUISCHI, I.P. Promoção de saúde bucal na clínica odontológica. São Paulo, Artes Médicas, cap. 7, p. 149-168, 2000.
BUSATO, A.L.S. et al. Dentística: filosofia, conceitos e prática clínica (Grupo Brasileiro de Professores de Dentística). São Paulo, Artes Médicas, 2005.
GARONE NETTO, N. et al. Dentística restauradora. São Paulo, Livraria Ed. Santos, 2003.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

PREVENÇÃO EM DENTÍSTICA (clique para fechar)

RADIOLOGIA E ESTOMATOLOGIA (ver mais)

O exame radiográfico na clínica odontológica é imprescindível para execução do diagnóstico e tratamento odontológico. Os docentes e profissionais não-radiologistas têm necessidade de fazer uma radiografia de boa qualidade, com o mínimo de irradiação no paciente e saber interpretar as radiografias, distinguindo o normal e o patológico.

O conhecimento da anatomia radiográfica da cabeça e pescoço é de fundamental importância para o planejamento protético. O conhecimento da anatomia da articulação temporo-mandibular complementam a formação de um especialista em prótese dentária.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Semiologia:
    • Conceitos
    • Exame clínico (anamnese e exame físico)
    • Lesões fundamentais e principais lesões de superfície da mucosa bucal
2 – Fatores que influenciam a imagem radiográfica
3 – Radiologia:
    • Efeitos biológicos
    • Proteção em radiologia odontológica
4 – Interpretação radiográfica dento-maxilar e craniofacial
5 – Métodos de interpretação radiográfica dento-maxilar e craniofacial
6 – Métodos de localização radiográfica
7 – Técnica e interpretação de radiografias panorâmica e periapical
8 – Tomografia computadorizada

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ALVARES, L. C.; FREITAS, J. A. S.; CAPELOZZA, A. L. A. Glossário de termos técnicos de radiologia odontológica e radiobiologia. Bauru: EDUSC, 2000.
ALVARES, L. C.; TAVANO, O. Curso de radiologia em odontologia. 4.ed. São Paulo: Santos, 1998.
ANDRADE, E. D.; RANALI, J. Emergências médicas em odontologia. São Paulo: ArtesMédicas, 2002.
BORAKS, S. Diagnóstico bucal. 3.ed. São Paulo: Artes Médicas, 2001.
BORK, K. et. al. Diseases of the oral mucosa and lips. Philadelphia: W. B. Saunders Company, 1996.
CAWSON, R. A.;BINNIE, W. H.; EVERSON, J. W. Atlas colorido de enfermidades da boca: correlações clínicas e patológicas. 2.ed. Rio de Janeiro: Artes Médicas, 1995.
COLEMAN, G. C.; NELSON, J. F. Princípios de diagnóstico bucal. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1996.
FREITAS, A.; SOUZA, I. F.; ROSA, J. E. Radiologia odontológica. 4.ed. São Paulo: Artes Médicas, 1998.
KIGNEL, S. Diagnóstico bucal. São Paulo: Robe Editorial, 1997.
LANGLAND, O. E.; LANGLAIS, R. P. Princípios de diagnóstico por imagem em odontologia. São Paulo: Santos, 2002.
LASKARIS, G. Atlas colorido de doenças bucais da infância e da adolescência. São Paulo: Artemed, 2000.
NEVILLE, B. W. et al. Patologia oral and maxilofacial. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1995.
ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Oral health surveys: basic methods. 4.ed. São Paulo: Santos, 1999.
REGEZI, J. A.; SCIUBBA, J. J. Patologia bucal: correlações clinicopatológicas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1991.
REICHART, Peter A.; PHILIPSEN, Hans Peter. Patologia bucal. Porto Alegre: Artmed, 2000. 284 p.
ROSA, J. E., TAVARES, D. Métodos radiográficos especiais para o dentista clínico. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1985
SCULLY, C.; FLINT, S. R.; PORTER, S. R. Atlas colorido de doenças da boca: diagnóstico e tratamento. 2.ed. Rio de Janeiro: Revinter, 1997.
SHEAR, M. Cistos da região bucomaxilofacial: diagnóstico e tratamento. 3.ed. São Paulo: Santos, 1999.
WHAITES, E. Princípios de radiologia odontológica. 3.ed. Porto Alegre: Artemed, 2003.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

RADIOLOGIA E ESTOMATOLOGIA (clique para fechar)

RESTAURAÇÕES ESTÉTICAS (ver mais)

Fornecer conhecimentos sobre materiais e técnicas utilizadas para realização de restaurações que devolvam ao dente afetado a reprodução e harmonia com as estruturas dentárias e anatômicas circunvizinhas, tornando-o expressivo e imperceptível, ou seja, estético.

A crescente procura pelos pacientes por tratamentos restauradores estéticos vem assumindo destaque na dentística operatória. Esta disciplina visa, após adquirir conhecimentos teóricos, utilizar na prática laboratorial e posteriormente nas clínicas, os princípios que regem os materiais restauradores estéticos.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Técnicas de restauração com resinas compostas
    – Classificação e indicação das resinas compostas
    – Preparos classe III, IV e V
    – Condicionamento ácido do esmalte
        Considerações sobre o esmalte
        Materiais e técnicas
    – Restauração de dentes anteriores fraturados
        Avaliação do dano
        Proteção do complexo dentino-pulpar
        Técnica de colagem de fragmentos
        Restaurações com resina composta com e sem reforço
    – Facetas diretas de resina composta
2 – Adesivos dentinários
    – Evolução e classificação
    – Considerações sobre dentina
    – Tratamento da superfície dentinária
    – Condicionamento ácido da polpa
    – Técnicas de utilização dos adesivos
3 – Hiperestesia dentinária
    – Aspectos clínicos
    – Formas de tratamento
4 – Resina composta em dentes posteriores
    – Indicação das resinas compostas
    – Preparos classe I e II
    – Técnicas restauradoras
    – Acabamento e polimento
5 – Reconstrução morfológica da coroa dentária posterior
    – Com resina composta
    – Com Cermet (ionômero de vidro)
6 – Pinos estéticos e restaurações indiretas de resina composta com fibras de reforço
    – Indicações
    – Características dos preparos parciais e totais
    – Técnicas de cimentação
    – Próteses de 3 elementos
7 – Restaurações com ionômero de vidro
    – Histórico
    – Indicações
    – Propriedades
    – Tipos de cimentos
    – Técnicas restauradoras
    – Cuidados clínicos

PRÁTICA LABORATORIAL (manequim e dentes extraídos):
Preparo e restauração classe III e IV
Preparo e restauração classe IV (fratura de ângulo em dente extraído)
Preparo e restauração de lesão de erosão e abrasão (técnica mista em dente extraído)
Preparo e restauração através de faceta de resina composta com caracterização intrínseca (dente extraído)
Preparo e restauração classe I e II com resina composta (dente extraído)
Demonstração de restauração com pinos estéticos e restaurações indiretas de resina composta com fibras de reforço

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

BARATIERI, L.N. et al. Odontologia restauradora ? Fundamentos e possibilidades. São Paulo, Livraria Ed. Santos, 2002.
BUSATO, A.L.S. et al. Dentística: filosofia, conceitos e prática clínica (Grupo Brasileiro de Professores de Dentística). São Paulo, Artes Médicas, 2005.
GARONE NETTO, N. et al. Dentística restauradora. São Paulo, Livraria Ed. Santos, 2003
MONDELLI, J. et al. Dentística restauradora: tratamentos clínicos integrados. Berlin, Quintessence, 1984.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

RESTAURAÇÕES ESTÉTICAS (clique para fechar)

RESTAURAÇÕES METÁLICAS DIRETAS (ver mais)

Proporcionar ao aluno conhecimento teórico e prático sobre indicação, técnica de preparo cavitário e manipulação dos materiais para a realização de restaurações metálicas diretas, mais especificamente o amálgama.

A longevidade, resistência, baixo custo, facilidade de manipulação e a capacidade de selamento em função do tempo da interface dente-restauração fazem do amálgama um material restaurador para dentes posteriores altamente interessante principalmente quando se trata de saúde pública.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Introdução
2. Aspectos clínicos das restaurações a amálgama
3. Princípios gerais do preparo cavitário
4. Isolamento do campo operatório
5. Preparo cavitário para amálgama
6. Procedimentos conservadores da vitalidade pulpar
7. Técnicas de restauração a amálgama
8. Reconstrução morfológica da coroa dentária com amálgama e reforço
9. Amálgama adesivo

PRÁTICA LABORATORIAL (manequim):
Preparos cavitários classe I, II,V, Almquist, Slot, Túnel
Técnicas de isolamento absoluto
Restauração das cavidades
Reconstrução morfológica de coroas dentárias
    – Preparo para pino intra-canal cimentado
    – Preparo para pino intra-dentinário rosqueado
    – Preparo para “amalpin” e “canaletapin”
    – Confecção de matrizes individuais
Restauração das cavidades
Polimento das restaurações

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

BUSATO, A.L.S. et al. Dentística: filosofia, conceitos e prática clínica (Grupo Brasileiro de Professores de Dentística). São Paulo, Artes Médicas, 2005.
BUSATO, A.L.S. et al. Restaurações em dentes posteriores. São Paulo, Artes Médicas, 1996.
MJOR, I.A.; GORDAN, V.V. Failure, repair, repolishing and longevity of restorations. Op. Dent., v. 27, n. 5, p. 528-534, 2002.
MONDELLI, J. et al. Dentística operatória. 4. ed., São Paulo, Sarvier, 1990.
MONDELLI, J. et al. Proteção do complexo dentino pulpar. São Paulo, Artes Médicas. Série EAP?APCD, v. 1, 1998.
MONDELLI, J. et al. Técnicas restauradoras para dentes com tratamento endodôntico. Rev. Dent.Rest. Bauru, v.3, 1998.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

RESTAURAÇÕES METÁLICAS DIRETAS (clique para fechar)

RESTAURAÇÕES METÁLICAS FUNDIDAS (ver mais)

Capacitar o aluno a planejar e executar restaurações metálicas fundidas, tendo o conhecimento das técnicas de preparo cavitário, moldagem, técnicas cirúrgicas periodontais e procedimentos ortodônticos que viabilizem tal alternativa restauradora.

As restaurações metálicas fundidas são um importante recurso terapêutico no restabelecimento de estruturas dentárias posteriores francamente comprometidas em sua resistência, devendo portanto fazer parte do arsenal reabilitador do especialista.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Histórico
2 – Indicações
3 – Preparos parciais
4 – Preparos totais
5 – Meios auxilares de retenção
6 – Núcleos fundidos
7 – Técnicas de confecção de coroas provisórias
8 – Técnicas de moldagem
    – Dupla mistura
    – Reembasamento
    – Casquete
9 – Técnicas de cimentação

PRÁTICA LABORATORIAL (manequim):
Preparo de coroa total, 4/5 e MOD
Confecção de coroas provisória
Técnicas de moldagem

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

BARATIERI, L.N. et al. Odontologia restauradora ? fundamentos e possibilidades. São Paulo, Livraria Ed. Santos, 2002.
MONDELLI, J. et al. Dentística restauradora: tratamentos clínicos integrados. Berlin, Quintessence, 1984.

RESTAURAÇÕES METÁLICAS FUNDIDAS (clique para fechar)

ESPECIALIZAÇÃO EM DENTÍSTICA (clique para fechar)

 

ESPECIALIZAÇÃO EM ENDODONTIA (ver mais)

 

NATUREZA DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL: Curso de Especialização em Endodontia

PRÉ-REQUISITO: Graduados em Odontologia

COORDENADORA: Dra. Flaviana Bombarda de Andrade

VICE-COORDENADORA: Dra. Camila de Oliveira Rodini Pegoraro

DURAÇÃO: 24 meses

CARGA HORÁRIA TOTAL: 1.832 horas, sendo 1.724 horas (Área de Concentração + Área Conexa) e 108 horas de Disciplinas Obrigatórias.

• Área de Concentração:

Disciplinas Teórica Prática Total
Clínica Endodôntica e Cirurgia Parendodôntica 86h 772h 858h
Endodontia Clínica 58h 514h 572h
Endodontia Pré-Clínica 12h 108h 120h
TOTAL 156h 1.394h 1.550h

• Área Conexa:

Disciplinas Teórica Prática Total
Emergência Médica em Odontologia 15h 1h 16h
Microbiologia e Imunologia 16h 61h 77h
Radiologia e Semiologia Bucal 20h 61h 81h
TOTAL 51h 123h 174h

• Disciplinas Obrigatórias:
(não poderão ser consideradas no cálculo da carga horária entre as disciplinas da área conexa e concentração)

Disciplinas Teórica Prática Total
Bioética 16h 16h
Ética e Legislação Odontológica 30h 2h 32h
Metodologia Científica 60h 60h
TOTAL 106h 2h 108h

PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS:

CLÍNICA ENDODÔNTICA E CIRURGIA PARENDODÔNTICA (ver mais)

Conceituação e descrição dos procedimentos técnicos e materiais na resolução de problemas parendodônticos oriundos das repercursões secundárias das enfermidades pulpares. Outrossim, tenciona-se o conhecimento da interpretação da endodontia com os conhecimentos da pediatria, implantododontia e radiologia odontológica.

É a disciplina onde os alunos irão aplicar na clínica todos os conhecimento que foram ministrados na fase teórica e laboratorial. É de fundamental importância para a formação de um endododontista, o qual após o término da disciplina saberá realizar adequadamente os tratamento endodôntico, bem como as cirurgias parendodônticas, visando sanar enfermidades periapicais oriundas do compromentimento pulpar.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Análise crítica das técnicas radiográficas aplicadas à endodontia
2. Tratamento endodôntico em dentes decíduos
    • Tratamento conservador da polpa dentária
    • Tratamento radical da polpa dentária
3. Farmacologia aplicada à Endodontia
    • Anestésicos locais
    • Anti-inflamatórios
    • Antibióticos
4. Requintes técnicos da instrumentação
    • Sistemas rotatórios
    • Sistemas Oscilatórios
5. Requintes técnicos da obturação endodôntica
    • Técnicas de obturação avançada
6. Controle das infecções dentoalveolares
    • Análise das pericementites
    • Análise crítica dos abcessos dentoalveolares
    • Complicações das infecções odontogênicas
6. Interrelação dos problemas endoperiodontais
7. Análise crítica das cirurgias parendodônticas
8. Indicações e contra-indicações da cirurgia parendodôntica
9. Avaliação pré-operatória das cirurgias parendodônticas
10. Terapêutica farmacológica aplicada à cirurgia parendodôntica
11. Hemostasia e síntese aplicada à cirurgia parendodôntica
12. Metodologia cirúrgica parendodôntica
13. Acidentes e complicações nas cirurgias parendodônticas
14. Aplicação clínica das cirurgias parendodônticas
15. Análise de casos clínicos
    • Diagnóstico
    • Planejamento
    • Resolução
    • Prognóstico
16. O Ultrassom na Endodontia
    • Indicações
    • Aplicabilidade

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

Andreassen J; Andreassen FM. Traumatismo Dentário-Soluções Clínicas. Ed Médica Panamericana S.Paulo,SP, Brasil, 1991
Bramante CM; Berbert A. Cirurgia Parendodôntica. Livraria Editora Santos, S.Paulo, SP, Brasil , 2000.
Consolaro A. Reabsorções Dentárias nas Especialidades Clínicas 3ª ed. Dental Press Editora, Maringá, Pr, Brasil, 2012.
Ferrari PHP, Bombana AC. A Infecção Endodôntica e sua Resolução 1ª ed. Editora Santos, São Paulo, SP, Brasil, 2010
Hargreaves KM; Cohen S. Caminhos da polpa 10ª edição. Mosby Elsevier, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 2011.
Hulsmann M, Schafer E. Problems in endodontic-Etiology, diagnosis and Treatment. Quintessence Publishing Co.Inc. Illinois, USA 2009
Leonardo MR, Leonardo RT. Sistemas Rotatórios em Endodontia. Arte Medicas, S.Paulo,SP, Brasil, 2002.
Leonardo MR. Endodontia-Conceitos biológicos e recursos tecnológicos. Artes Médicas, São Paulo, SP, Brasil, 2009.
Mello JB; Mello GPS. Laser em Odontologia. Livraria Editora Santos, S.Paulo, SP, Brasil, 2001
Merino E. Endodontic Microsurgery. Quintessence Publishing Co.Inc. Illinois, USA 2009
Mesquita E; Kunert IR. Ultra-Som na Prática Odontológica. Artmed, São Paulo, SP, Brasil, 2006
Newman M; Kornman K. O Uso de Antibiótico e Antimicrobiano na Pratica Odontológica. Livraria Editora Santos . S.Paulo, SP, Brasil, 1997
Orstavik D; Pitt Ford TR. Fundamentos da Endodontia- Prevenção e Tratamento da Periodontite Apical. Livraria Editora Santos, S.Paulo, SP, Brasil, 2004
Papaiz EG, Capella LRC, Oliveira RJ. Atlas de tomografia computadorizada por feixe cônico para o cirurgião dentista. Editora Santos, São Paulo, SP, Brasil, 2011Yagiela JA, Dowd FJ, Johnson B, Mariotti A. Farmacologia e terapêutica para dentistas, 6ª ed. Mosby Elservier, Rio de Janeiro, Rj, Brasil, 2011
Shear M; Speight PM. Cistos da Região Bucomaxilofacial 4ª ed. Livraria Santos Editora , São Paulo, SP, Brasil, 2011
Siervo S. Suturing Techniques in Oral Surgery. Quintessence Publishing Co.Inc. Illinois, USA
Van der Weijden F. ThePower of Ultrasonic. Quintessence Publishing Co.Inc. Illinois, USA, 2007
Vieira GF, Agra CM, Imparato JCP, Arakaki Y, Caneppele TCF. Atlas de Anatomia-dentes Decíduos. Livraria Editora Santos, São Paulo, SP, Brasil, 2011

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

CLÍNICA ENDODÔNTICA E CIRURGIA PARENDODÔNTICA (clique para fechar)

EMERGÊNCIA MÉDICA EM ODONTOLOGIA (ver mais)

Preparar o cirurgião-dentista, a reconhecer e instituir medidas de pronto-atendimento na ocorrência de situações emergenciais desencadeadas em âmbito odontológico, recebendo treinamento para executar manobras de Suporte Básico de Vida, bem como indicar e manusear drogas, equipamentos e acessórios empregados em tais situações.

Situações de emergência médica, embora incomuns, podem ocorrer na clínica odontológica de forma imprevisível, sem regras ou padrões definidos. O aumento da frequência de atendimento odontológico de idosos em virtude do aumento da expectativa de vida, torna mais provável a ocorrência de alterações sistêmicas durante o tratamento dentário. Tal realidade obriga o profissional a adotar precauções que vão desde uma correta avaliação do estado geral de saúde até o treinamento em situações de emergência médica aumentando a segurança clínica no atendimento de pacientes que requerem cuidados especiais.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Introdução
    Anamnese e avaliação dos sinais vitais
    Classificação e incidência das situações de emergência
    Recomendações básicas
    Controle de ansiedade
2. Suporte Básico de Vida (SBV)
    Protocolo do SBV
3. Alteração ou perda da consciência
    Lipotímia ou síncope
    Hipoglicemia aguda
    Hipotensão ortostática
    Acidente vascular cerebral
    Insuficiência renal aguda
4. Dificuldade respiratória
    Hiperventilação
    Crise asmática
    Edema pulmonar
    Obstrução das vias aéreas por corpo estranho
5. Dor no peito e arritmias cardíacas
    Angina
    Infarto do miocárdio
    Bradicardia sinusal
    Taquicardias
6. Crise hipertensiva arterial
7. Reações alérgicas
    Aos anestésicos locais
    Aos antibióticos
    Aos anti-inflamatórios e analgésicos
    Outras substâncias de uso odontológico
8. Crises convulsivas
9. Equipamento de emergência
    Drogas e medicamentos
    Acessórios para administração de injetáveis
    Outros materiais
10. Administração de drogas injetáveis
    Vias de administração de injetáveis
    Injeção subcutânea (SC)
    Injeção intramuscular (IM)
    Injeção intravenosa (IV)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

CARVALHO, C. Emergências médicas no atendimento odontológico. Rev Bras. Odontol., 60 (2): 108-11, mar-abr., 2003
MALAMED, S.F. Manual de anestesia local. 5. ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2004.
RANALI, J.; ANDRADE, E. D. Emergências médicas em Odontologia. 2. ed. Artes Médicas, 2004.
SINGI, G. Fisiologia para Odontologia – Atendimento de paciente especiais e primeiros socorros médicos. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 1998.
TORTAMANO, N.; ARMONIA, P. L. Como prescrever em Odontologia. 6. ed. São Paulo, Livraria e Editora Santos, 2004.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

EMERGÊNCIA MÉDICA EM ODONTOLOGIA (clique para fechar)

ENDODONTIA PRÉ-CLÍNICA (ver mais)

Ao término do curso, os alunos deverão mentalizar os respectivos formatos anatômicos da cavidade pulpar e suas possíveis variações e implicações e capacitá-los a discernir os principais materiais e instrumentos empregados na endodontia contemporânea, assim como deverão estar aptos à execução e conclusão dos passos e preparo biomecânico e obturação dos canais radiculares.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Introdução ao estudo da endodontia
    • Importância e definição da endodontia no contexto odontológico atual
    • Histórico da arte endodôntica
    • Perspectivas da ciência e arte endodôntica
2. Estudo anatômico das cavidades pulpares
    • Aspectos gerais da cavidade pulpar
    • Particularidades e peculiaridades anatômicas dos grupos dentais
    • Estudo morfológico do ápice radicular dental
3. Fundamentos da abertura coronária:
    • Princípios do acesso coronário
    • Delineamentos particulares dos grupos dentais
    • Condições especiais da abertura coronária
4. Isolamento do campo operatório endodôntico
    • Materiais e métodos no isolamento do campo endodôntico
    • Isolamento operatório em condições especiais
5. Análise crítica do instrumental endodôntico
    • Reflexão da evolução dos instrumentos endodônticos
    • Minunciosidades e cinemática dos principais instrumentos endodônticos
    • Visão global dos instrumentos auxiliares à endodontia
6. Preparo biomecânico dos canais radiculares
    • Princípios técnicos no preparo da cavidade pulpar
    • Recursos técnicos aplicáveis à odontometria
    • Condutas e manobras de hemostasia na endodôntica radical
    • Monitoramento do preparo biomecânico específico
7. Irrigação dos canais radiculares
    • Métodos clássicos da irrigação endodôntica
    • Método mecano-energizado na irrigação endodôntica
    • Estudo das substâncias irrigantes endodônticas
    • Reflexão dos coadjuvantes na dilatação endodôntica
8. Obturação dos canais radiculares:
    • Análise crítica dos materiais obturadores
    • Conceitos fundamentais da obturação endodôntica
    • Técnicas de obturação endodôntica
    • Requintes técnicos de obturação tridimensional dos canais radiculares
9. Reintervenção endodôntica:
    • Indicações e contra-indicações
    • Técnicas de reintervenção endodôntica

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

Baumann MA, Beer R. Atlas Colorido de Odontologia-Endodontia. Artmed, São Paulo, S, Brasil, 2010
Bergenholtz G; Prebin H. Bindsler PH; Rert C. Text book of Endodontology. Blackwell Munksgaard. Oxford, England 2004.
Bramante CM, Berbert A, Moraes IG, Bernardineli N, Garcia RB. Anatomia das cavidades pulpares-Aspectos de interesse à endodontia. Pedro Primeiro, Rio de Janeiro, 2000
Leonardo MR. Endodontia- Tratamento de Canais Radiculares. Princípios Técnicos e Biológicos. Artes Médicas, S.Paulo, SP, Brasil, 2005
Reid JS, Callis, PD, Patterson CJW. Rubber dam in clinical Practice. Quintessence Publishing Co Ltda Chicago 1991
Simon S, Pertot WJ. Retratamento endodôntico-sucesso clinico. Quintessence Editora Ltda São Paulo 2010
Soares IJ, Goldberg F. Endodontia-Técnica e fundamentos 2ª ed. Artmed, São Paulo, SP, Brasil, 2011
Souza Filho FJ. Endodontia Passo a Passo: Evidências clínicas. Artes Médicas, São Paulo, SP, 2015
Spironelli Ramos CA, Bramante CM. Odontometria-Fundamentos e Técnicas. Livraria Editora Santos, S.Paulo, SP, Brasil , 2005.
Vieira GF, Agra CM, Imparato JCP, Arakaki Y, Caneppele TCF. Atlas de Anatomia-dentes Decíduos. Livraria Editora Santos, São Paulo, SP, Brasil, 2011
Woelfel JB, Scheid RC. Anatomia Dental. Sua Relevância para a Odontologia 5ª ed. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 2000.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

ENDODONTIA PRÉ-CLÍNICA (clique para fechar)

ENDODONTIA CLÍNICA (ver mais)

Conhecimento das técnicas e manobras de controle da contaminação e infecção do tratamento endodôntico, resolução dos procedimentos clínicos endodônticos de urgência e emergência, assim como aqueles comprometimentos estéticos de origem iatrogênica ou não. Serão descritos os procedimentos de resolução de acidentes e complicações endodônticas bem como o processo de reparo pós-tratamento endodôntico conservador e radical.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Tratamento endodôntico conservador
    • Proteção pulpar indireta e direta
    • Pulpotomia
2. Filosofia do tratamento endodôntico radical
    • Análise das biopulpectomias
    • Análise das necropulpectomias
3. Microbiologia dos canais radiculares
    • Estudo da microbiota dos canais radiculares
    • Estágio atual dos testes bacteriológicos
    • Controle da infecção endodôntica
4. Medicação intracanal
    • Análise crítica dos medicamentos tópicos intracanal
5. Resolução dos acidentes e complicações dos tratamentos endodônticos
6. Tratamento dos ápices incompletos
    • Tratamento conservador
    • Tratamento cirúrgico
7. Traumatismos dentoalveolares
    • Terapêutica das fraturas dentais
    • Terapêutica da avulsão dental
    • Reimplantes dentários
    • Tratamento de dentes traumatizados
8. Recuperação da coloração dental
    • Clareamento em dentes vitalizados
    • Clareamento em dentes desvitalizados
9. Classificação e etiopatogenia das pulpopatias
10. Classificação e etiopatogenia das periapicopatias
11. Semiotécnica e propedêutica endodôntica
12. Reabsorções dentárias
    • Conceito e classificação
    • Reabsorções dentárias fisiológicas e patológicas

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

Bramante CM, Berbert A, Bernardineli N, Moraes IG, Garcia RB. Acidentes e Complicações no Tratamento Endodôntico-Soluções Clínicas 2ªed. Livraria Editora Santos , S.Paulo, SP, Brasil, 2004
Bramante CM, Menezes da Silva R. Retratamento endodontico-Quando e como faze-lo? Ed Santos, São Paulo, SP 2009
Fernandes K. Traumatismo dento alveolar Passo a passo. Livraria Editora Santos, São Paulo, SP, Brasil, 2009
Haywood VB. Tooth whitening: indications and outcomes of Nightguard vital bleaching. Quintessence Plublishing Co.Inc. Illinois, USA, 2008
Hulsmann M ; Schafer E. Problems in Endodontics: Etiology, diagnosis and treatment. Quintessence Plublishing Co.Inc. Illinois, USA, 2008
Leonardo MR. Endodontia-Conceitos biológicos e recursos tecnológicos. Artes Médicas, São Paulo, SP, Brasil, 2009.
Perrin D, Ahossi V, Larras P, Paris M. Urgência em odontologia. Artmed, São Paulo, SP, Brasil, 2008.
Rang HP; Dale MM; Ritter JM. Farmacologia 4ª ed. Guanabara Koogan, Rio de janeiro, Rj, Brasil, 2001
Siqueira Filho JF. Treatment of Endodontics Infections. Quintessence Publishing Co.Inc. Illinois, USA, 1ª edição, 201.
Soares IJ, Goldberg F. Endodontia-Técnica e fundamentos 2ª ed. Artmed, São Paulo, SP, Brasil, 2011
Van B. Haywood. Nightguard Vital Bleaching. Quintessence Publishing Co.Inc. Illinois, USA, 2006
Vieira G. Atlas de Anatomia de Dentes Permanentes. Editora Santos-Grupo Gen São Paulo, SP, Brasil, 2006.
Zanin F e col. Clareamento Dental com Luz Laser 2ª ed. Quintessence Publishing Co.Inc. Illinois, USA , USA, 2004

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

ENDODONTIA CLÍNICA (clique para fechar)

MICROBIOLOGIA E IMUNOLOGIA (ver mais)

Oferecer ao aluno, conhecimentos de microbiologia e imunologia que possam ser aplicados na solução de problemas clínicos relacionados com a ação patogênica dos micro-organismos.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Microbiota oral
2. Microbiologia da cárie dentária
3. Bacteriologia da doença periodontal
4. Imunologia básica
5. Resposta imune no curso da doença periodontal e endodôntica
6. Microbiologia no tratamento das infecções endodônticas
7. Microrganismos nas periapicopatias inflamatórias
8. Bactérias e fungos associados ao insucesso do tratamento endodôntico
9. Atividade antimicrobiana dos cimentos endodônticos, medicação intracanal e soluções irrigadoras
10. Fenótipos dos microrganismos, fator de virulência e endotoxinas.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ABBAS, Abul K.; POBER, Jordan S.; LICHTMAN, Andrew H. Cellular and Molecular Immunology. 5.ed. WB Saunders, 2003
Andrade FB, Midena RZ, Koga-Ito CY, Duarte MAH. Conventional and natural products against oral infections. In: Méndez-Vilas A. Microbial pathogens and strategies for combating them: science, technology and education. Vol 3., Formatex ed., Badajoz, 2013.
De Lorenzo JL. Microbiologia para o estudante de odontologia. Atheneu editora. São Paulo, 2004.
Ferrari PHP, Bombana AC. A infecção endodôntica e sua resolução. São Paulo, Santos ed., 2010.
JANEWAY, Charles A.; TRAVERS, Paul. Imunobiologia: o sitema imune na saúde e na doença . 5.ed Artmed Sul, 2002.
Microbiological diagnostics in periodontics: biological significance and clinical validity Periodontology 2000, v. 39, p. 40-52, 2005
NISENGARD, R.J; NEWMAN, M.G. Microbiologia oral e imunologia. 2.ed. Rio de Janeiro, Guanabara-Koogan, 1994.
PAUL, Willian E. Fundamental immunology. 5.ed. Lippincott Williams & Wilkins Publishers, 2003.
Periodontology 2000. v. 38, n. 1, p. 9-187, June 2005.
Samaranayake L. Fundamentos de microbiologia e imunologia na odontologia. 4ª ed, Elsevier, Rio de janeiro, 2012.
Siqueira Jr JF. Treatment of endodontic infections. Berlim, Quintessence Publishing Co ed., 2011.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

MICROBIOLOGIA E IMUNOLOGIA (clique para fechar)

RADIOLOGIA E SEMIOLOGIA BUCAL (ver mais)

Os alunos serão atualizados nos conhecimentos sobre produção da iamgem radiográfica, funcionamento de aparelhos de raio X, tomada e interpretação de radiografias que serão utilizadas pelo endodontista, para diagnóstico e tratamento de seus pacientes. Deverá ainda identificar os reparos anatômicos, suas variações e o aspecto radiográfico das patologias que afetam os dentes e peridonto, além de permitir a compreensão e identificação das entidades patológicas que acometem o complexo maxilo-facial.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Semiologia:
    – Conceitos
    – Métodos
    – Diagnóstico – Prognóstico e plano de tratamento
    – Anamnese
    – Exame físico
2. Radiologia:
    – Efeitos biológicos
    – Proteção contra os raios X
    – Filmes radiográficos e seu processamento
    – Métodos radiográficos intra e extra-orais aplicáveis à endodontia
    – Radiografias panorâmicas
    – Anatomia radiográfica
    – Radiografias com meio de contraste
3. Semiologia clínica e radiográfica das lesões dentais e maxilares:
    – Lesões do órgão dental:
        • cárie; dentina secundária; nódulos e calcificações pulpares; reabsorções interna e/ou externa; hipercementose
    – Lesões periapicais e das áreas adjacentes
        • pericementite; granuloma; abcessos e osteomiletite; cisto periodontal apical; esclerose óssea periapical; atrofia por desuso; sinusites
4. Semiologia clínica e radiográfica dos cistos dos maxilares:
    – Aspectos clínicos
    – Aspectos radiográficos
    – Diagnóstico diferencial

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

CASATI ALVARES, L. (Coordenador), Manuais de interpretação radiográfica em odontologia, Bauru, EDUSC, 2010
CASATI ALVARES, Luiz; TAVANO, Orivaldo. Curso de radiologia em odontologia. 5.ed. São Paulo: Ed. Santos, 2009.
CAVALCANTI, Marcelo. Tomografia Computadorizada por feixe cônico- Interpretação e Diagnóstico para o Cirurgião Dentista. São Paulo: Editora Santos, 2010.
FREITAS, A.; SOUZA, I. F.; ROSA, J. E. Radiologia odontológica. 6.ed. São Paulo: Artes Médicas, 2004.
HAITER NETO, Francisco; KURITA, Lucio Mitsuo; CAMPOS, Paulo Sérgio Flores. Tomografia Computadorizada em Odontologia. Ribeirão Preto: Livraria e Editora TOTA. 2014
WHAITES, Eric Princípios de Radiologia Odontológica. 4ª ed. São Paulo: Elservier Editora Ltda. 2009.
WHITE, S; PHAROAH, M. Radiologia Oral – Fundamentos e Interpretação. 5ª ed. São Paulo: Elservier Editora Ltda. 2007.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

RADIOLOGIA E SEMIOLOGIA BUCAL (clique para fechar)

ESPECIALIZAÇÃO EM ENDODONTIA (clique para fechar)

 

ESPECIALIZAÇÃO EM ODONTOPEDIATRIA (ver mais)

 

NATUREZA DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL: Curso de Especialização em Odontopediatria

PRÉ-REQUISITO: Graduados em Odontologia

COORDENADORA: Dra. Maria Aparecida de Andrade Moreira Machado

VICE-COORDENADORA: Dra. Thais Marchini de Oliveira Valarelli

DURAÇÃO: 24 meses

CARGA HORÁRIA TOTAL: 2.608 horas, sendo 2.500 horas (Área de Concentração + Área Conexa) e 108 horas de Disciplinas Obrigatórias.

• Área de Concentração:

Disciplinas Teórica Prática Total
Clínica Odontopediátrica 208h 1.606h 1.814h
Manejo da Criança 32h 276h 308h
Odontologia Hospitalar e Tratamento de Crianças Excepcionais 7h 57h 64h
Odontopediatria em Fissuras Orofaciais 7h 57h 64h
TOTAL 254h 1.996h 2.250h

• Área Conexa:

Disciplinas Teórica Prática Total
Emergência Médica em Odontologia 15h 1h 16h
Farmacologia 12h 24h 36h
Radiologia e Estomatologia 16h 20h 36h
Sedação Inalatória em Odontologia 18h 144h 162h
TOTAL 61h 189h 250h

• Disciplinas Obrigatórias:
(não poderão ser consideradas no cálculo da carga horária entre as disciplinas da área conexa e concentração)

Disciplinas Teórica Prática Total
Bioética 16h 16h
Ética e Legislação Odontológica 30h 2h 32h
Metodologia Científica 60h 60h
TOTAL 106h 2h 108h

PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS:

CLÍNICA ODONTOPEDIÁTRICA (ver mais)

Esta capacitação permite que o profissional ofereça um tratamento odontológico com quantidade técnica para crianças, acompanhando adequadamente seu crescimento craniofacial.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Crescimento e desenvolvimento craniofacial
    – Bases da embriologia do maciço craniofacial
    – Bases da odontogênese
    – Dinâmica do crescimento craniofacial e implicações clínicas
    – Anatomia comparativa da dentição decídua e permanente
2. Erupção dentária: teorias da erupção; cronologia e sequência de erupção; fatores que influenciam a erupção; distúrbios da erupção
3. Rizólize fisiológica dos dentes decíduos
4. Anomalias do desenvolvimento dos dentes e maxilares
5. Introdução da criança em clínica
6. Exame, diagnóstico e plano de tratamento
7. Radiologia em odontopediatria
8. Anestesias locais em crianças
9. Intervenções cirúrgicas em crianças: exodontias; frenectomias; ulotomias; drenagens de abcessos; outras cirurgias
10. Endodontia em odontopediatria: tratamento conservador da polpa dentária; tratamento radical
11. Dentisteria restauradora
    – Isolamento do campo operatório
    – Confecção e aplicação de matrizes
    – Bases forradoras
    – Restaurações plásticas
    – Restaurações fundidas
12. Reparações protéticas em crianças: unitárias e múltiplas
13. Prevenções da cárie dentária e moléstias periodontais no consultório odontopediátrico
14. Tratamento dos traumatismos dos dentes anteriores das crianças
15. Consultório odontopediátrico

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

ASSED, S. Odontopediatria: bases científicas para a prática clínica. São Paulo: Artes Médicas, 2005. 1070p.
GUEDES-PINTO, A. C. Odontopediatria. 7.ed. São Paulo: Ed.Santos, 2003. 970p.

CLÍNICA ODONTOPEDIÁTRICA (clique para fechar)

EMERGÊNCIA MÉDICA EM ODONTOLOGIA (ver mais)

Preparar o cirurgião-dentista, a reconhecer e instituir medidas de pronto-atendimento na ocorrência de situações emergenciais desencadeadas em âmbito odontológico, recebendo treinamento para executar manobras de Suporte Básico de Vida, bem como indicar e manusear drogas, equipamentos e acessórios empregados em tais situações.

Situações de emergência médica, embora incomuns, podem ocorrer na clínica odontológica de forma imprevisível, sem regras ou padrões definidos. O aumento da frequência de atendimento odontológico de idosos em virtude do aumento da expectativa de vida, torna mais provável a ocorrência de alterações sistêmicas durante o tratamento dentário. Tal realidade obriga o profissional a adotar precauções que vão desde uma correta avaliação do estado geral de saúde até o treinamento em situações de emergência médica aumentando a segurança clínica no atendimento de pacientes que requerem cuidados especiais.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Introdução
    Anamnese e avaliação dos sinais vitais
    Classificação e incidência das situações de emergência
    Recomendações básicas
    Controle de ansiedade
2. Suporte Básico de Vida (SBV)
    Protocolo do SBV
3. Alteração ou perda da consciência
    Lipotímia ou síncope
    Hipoglicemia aguda
    Hipotensão ortostática
    Acidente vascular cerebral
    Insuficiência renal aguda
4. Dificuldade respiratória
    Hiperventilação
    Crise asmática
    Edema pulmonar
    Obstrução das vias aéreas por corpo estranho
5. Dor no peito e arritmias cardíacas
    Angina
    Infarto do miocárdio
    Bradicardia sinusal
    Taquicardias
6. Crise hipertensiva arterial
7. Reações alérgicas
    Aos anestésicos locais
    Aos antibióticos
    Aos anti-inflamatórios e analgésicos
    Outras substâncias de uso odontológico
8. Crises convulsivas
9. Equipamento de emergência
    Drogas e medicamentos
    Acessórios para administração de injetáveis
    Outros materiais
10. Administração de drogas injetáveis
    Vias de administração de injetáveis
    Injeção subcutânea (SC)
    Injeção intramuscular (IM)
    Injeção intravenosa (IV)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

CARVALHO, C. Emergências médicas no atendimento odontológico. Rev Bras. Odontol., 60 (2): 108-11, mar-abr., 2003
MALAMED, S.F. Manual de anestesia local. 5. ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2004.
RANALI, J.; ANDRADE, E. D. Emergências médicas em Odontologia. 2. ed. Artes Médicas, 2004.
SINGI, G. Fisiologia para Odontologia – Atendimento de paciente especiais e primeiros socorros médicos. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 1998.
TORTAMANO, N.; ARMONIA, P. L. Como prescrever em Odontologia. 6. ed. São Paulo, Livraria e Editora Santos, 2004.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

EMERGÊNCIA MÉDICA EM ODONTOLOGIA (clique para fechar)

FARMACOLOGIA (ver mais)

Complementar conhecimentos relativos a diferentes fármacos e medicamentos de uso odontológico, bem como, dos seus mecanismos de ação.

O estudo da farmacologia se faz necessário para que o especialista tenha condições de prescrever fármacos e identificar suas possíveis interações medicamentosas.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Os anti-inflamatórios e analgésicos:
    – Fisiopatologia da dor e da inflamação
    – AAS e derivados da aminopirina e do para-aminofenol
    – Outros anti-inflamatórios
2. Os anestésicos:
    – Os anestésicos locais
    – Os anestésicos gerais
    – Medicação pré-anestésica
    – Os opióides
3. Os tranquilizantes:
    – Os benzodiazepínicos
    – As fenotianinas
4. As alergias e os anti-histamínicos:
    – Fisiopatologia da reação alérgica. A histamina e os receptores H1
    – Os anti-histamínicos
5. Os antibióticos:
    – Introdução:
        • susceptibilidade e resistência
        • simergismo e antagonismo
    – As penicilinas naturais e semi-sintéticas
    – As cefalosporinas
    – As sulfas e o trimetropin
    – As tetraciclinas e a eritromicina
    – Os aminoglicosídeos
    – A rifocina e derivados
    – Hemostáticos locais e gerais

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

RANG, H. P.; DALE, M. M., RITTER, J. M. Farmacologia. 4.ed. São Paulo: Guanabara Koogan, 2001
OBS.: Revisões atualizadas serão fornecidas pelo professor, aos alunos, 30 dias antes do início do curso.

FARMACOLOGIA (clique para fechar)

MANEJO DA CRIANÇA (ver mais)

Proporcionar ao cirurgião-dentista um conhecimento integral do desenvolvimento físico e psicológico da criança para a boa condução do tratamento odontopediátrico.

Este conhecimento permite que o profissional conduza adequadamente o tratamento odontológico em crianças, prevenindo situações que possam alterar seu comportamento ou intervindo quando este estiver alterado.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Conhecimento profundo da criança
    – Focalização integral da criança
    – O desenvolvimento da conduta
    – Caracterização dos tipos infantis e suas tendências
2. Análise do comportamento da criança no consultório
    – Causas do comportamento da criança originadas fora do consultório odontológico
        • Sem relação com os problemas estomatológicos
        • Relacionadas com os problemas estomatológicos
    – Causas do comportamento da criança originadas no consultório odontológico
        • Durante o tratamento odontológico
        • Pelo ambiente odontopediátrico
3. A influência do acompanhante da criança durante o tratamento odontopediátrico

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

CORREA, M. S. N. P. Odontopediatria na 1ª infância. 2.ed. São Paulo: Ed. Santos, 2005. 847p.
CORREA, M. S. N. P. Sucesso no atendimento odontopediátrico: aspectos psicológicos. 2.ed. São Paulo: Ed. Santos Editora, 2002. 659p.
MASTRANTONID, S. S. et al. Manejo do comportamento infantil no consultório odontológico: relato de caso clínico. Rev.Ibero-Amer.Odontopediat.Odont.Bebê, v. 7, n. 37, 2004

MANEJO DA CRIANÇA (clique para fechar)

ODONTOLOGIA HOSPITALAR E TRATAMENTO DE CRIANÇAS EXCEPCIONAIS (ver mais)

Esta capacitação amplia possibilidades de pacientes especiais receberem tratamento odontológico em ambulatório como sob anestesia geral em centro cirúrgico.

Conhecimento das particularidades inerentes ao tratamento odontológico nos diversos tipos de pacientes especiais. Capacitação técnico-científica para realização de procedimentos ambulatoriais e sob anestesia geral.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Tipos de crianças excepcionais – classificação e características
2. Comportamento da criança
3. Comportamento familiar
4. Higiene bucal
    – Métodos passíveis de execução pelo paciente
    – Métodos executados pelos responsáveis da criança
5. Tratamentos dentários realizados em ambulatório
6. Tratamentos dentários realizados sob anestesia geral
    – Pré e pós-operatório da criança hospitalizada
    – A introdução ao centro cirúrgico
    – A anestesia geral para criança
    – Os cuidados de urgência para a complicação de anestesia geral
    – O tratamento odontológico, cirúrgico e restaurador sob anestesia geral
7. Síndrome de interesse odontológico
8. Interação medicamentosa

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

ABDO, R. C. C.; GOMIDE, M. R. Tratamento odontológico sob anestesia geral. Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofciais/USP,2004. 2.ed. 25p. [rev.atual.] DALBEN, G. S.; GOMIDE, M. R. Malformações complexas para odontologia. Bauru, Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais, Universidade de São Paulo. 2003. 103p.
MUGAYAR, L. R. F. Pacientes portadores de necessidades especiais. Manual de Odontologia e Saúde Oral. São Paulo: Pancast, 2000.

ODONTOLOGIA HOSPITALAR E TRATAMENTO DE CRIANÇAS EXCEPCIONAIS (clique para fechar)

ODONTOPEDIATRIA EM FISSURAS OROFACIAIS (ver mais)

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Embriologia, epidemiologia e classificação das fissuras
2 – Protocolo de atendimento ao bebê com fissuras
3 – Particularidades odontológicas das fissuras
    • alteração do desenvolvimento dentário
    • tratamento odontológico preventivo e restaurador
    • protocolo ortodôntico e de enxerto ósseo alveolar
4 – Estudos atuais sobre fissuras

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

ABDO, R. C. C.; GOMIDE, M. R. Tratamento odontológico sob anestesia geral. Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofciais/USP, 2004. 2.ed. 25p. [rev.atual.] DALBEN, G. S.; GOMIDE, M. R. Malformações complexas para odontologia. Bauru, Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais, Universidade de São Paulo, 2003. 103p.
MUGAYAR, L. R .F. Pacientes portadores de necessidades especiais: manual de odontologia e saúde oral. São Paulo: Pancast, 2000.

ODONTOPEDIATRIA EM FISSURAS OROFACIAIS (clique para fechar)

RADIOLOGIA E ESTOMATOLOGIA (ver mais)

O exame radiográfico na clínica odontológica é imprescindível para execução do diagnóstico e tratamento odontológico. Os docentes e profissionais não-radiologistas têm necessidade de fazer uma radiografia de boa qualidade, com o mínimo de irradiação no paciente e saber interpretar as radiografias, distinguindo o normal e o patológico.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Semiologia:
    • Conceitos
    • Exame clínico (anamnese e exame físico)
    • Lesões fundamentais e principais lesões de superfície da mucosa bucal
2 – Fatores que influenciam a imagem radiográfica
3 – Radiologia:
    • Efeitos biológicos
    • Proteção em radiologia odontológica
4 – Interpretação radiográfica dento-maxilar e craniofacial
5 – Métodos de interpretação radiográfica dento-maxilar e craniofacial
6 – Métodos de localização radiográfica
7 – Técnica e interpretação de radiografias panorâmica e periapical
8 – Tomografia computadorizada

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ALVARES, L. C.; FREITAS, J. A. S.; CAPELOZZA, A. L. A. Glossário de termos técnicos de radiologia odontológica e radiobiologia. Bauru: EDUSC, 2000.
ALVARES, L. C.; TAVANO, O. Curso de radiologia em odontologia. 4.ed. São Paulo: Santos, 1998.
ANDRADE, E. D.; RANALI, J. Emergências médicas em odontologia. São Paulo: ArtesMédicas, 2002.
BORAKS, S. Diagnóstico bucal. 3.ed. São Paulo: Artes Médicas, 2001.
BORK, K. et. al. Diseases of the oral mucosa and lips. Philadelphia: W. B. Saunders Company, 1996.
CAWSON, R. A.;BINNIE, W. H.; EVERSON, J. W. Atlas colorido de enfermidades da boca: correlações clínicas e patológicas. 2.ed. Rio de Janeiro: Artes Médicas, 1995.
COLEMAN, G. C.; NELSON, J. F. Princípios de diagnóstico bucal. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1996.
FREITAS, A.; SOUZA, I. F.; ROSA, J. E. Radiologia odontológica. 4.ed. São Paulo: Artes Médicas, 1998.
KIGNEL, S. Diagnóstico bucal. São Paulo: Robe Editorial, 1997.
LANGLAND, O. E.; LANGLAIS, R. P. Princípios de diagnóstico por imagem em odontologia. São Paulo: Santos, 2002.
LASKARIS, G. Atlas colorido de doenças bucais da infância e da adolescência. São Paulo: Artemed, 2000.
NEVILLE, B. W. et al. Patologia oral and maxilofacial. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1995.
ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Oral health surveys: basic methods. 4.ed. São Paulo: Santos, 1999.
REGEZI, J. A.; SCIUBBA, J. J. Patologia bucal: correlações clinicopatológicas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1991.
REICHART, Peter A.; PHILIPSEN, Hans Peter. Patologia bucal. Porto Alegre: Artmed, 2000. 284 p.
ROSA, J. E., TAVARES, D. Métodos radiográficos especiais para o dentista clínico. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1985
SCULLY, C.; FLINT, S. R.; PORTER, S. R. Atlas colorido de doenças da boca: diagnóstico e tratamento. 2.ed. Rio de Janeiro: Revinter, 1997.
SHEAR, M. Cistos da região bucomaxilofacial: diagnóstico e tratamento. 3.ed. São Paulo: Santos, 1999.
WHAITES, E. Princípios de radiologia odontológica. 3.ed. Porto Alegre: Artemed, 2003.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

RADIOLOGIA E ESTOMATOLOGIA (clique para fechar)

SEDAÇÃO INALATÓRIA EM ODONTOLOGIA (ver mais)

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Anatomia das vias aéreas
    – Vias aéreas superiores
    – Faringe e Pulmões
    – Fisiologia e Patologia das vias Aéreas
2. Sinais Vitais
3. Drogas Hipnóticas e Sedativos em Odontologia
4. Ação do Óxido Nitroso sobre o Sistema Nervoso Central
5. Sedação Inalatória com Óxido Nitroso em Odontologia
6. Equipamentos para Analgesia e seus componentes

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

Arnez MFM, Arnez MM, Queiroz AM, Stuani MBS, Paula-Silva FWG. Sedação consciente: recurso farmacológico para atendimento odontológico de crianças e pacientes especiais. Pediatria 2011;33:107-16.
Costa VV, Saraiva RA. Ação do óxido nitroso no sistema nervoso central: estudo eletrofisiológico como agente único e como agente coadjuvante. Rev Bras Anestesiol 2002;52:255-71.
Duarte LTD, Duval Neto GF, Mendes FF. Uso do óxido nitroso em pediatria. Rev Bras Anestesiol 2012;62:451-67.
Góes MPS, Domingues MC, Couto GBL, Barreira AK. Ansiedade, medo e sinais vitais dos pacientes infantis. Odontol Clín-Cient 2010;9:39-44.
Hennequin M, Collado V, Faulks D, Koscielny S, Onody P, Nicolas E. A clinical trial of efficacy and safety of inhalation sedation with a 50% nitrous oxide/oxygen premix (Kalinox™) in general practice. Clin Oral Invest (2012) 16:633–642.
Longo LP, Johnson B. Addiction: Part. I. Benzodiazepines- side effects, abuse risk and alternatives. Am Farm Physician 2000;61(7):2121-8.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

SEDAÇÃO INALATÓRIA EM ODONTOLOGIA (clique para fechar)

ESPECIALIZAÇÃO EM ODONTOPEDIATRIA (clique para fechar)

 

ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA (ver mais)

 

NATUREZA DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL: Curso de Especialização em Ortodontia

PRÉ-REQUISITO: Graduados em Odontologia

COORDENADORA: Dra. Daniela Gamba Garib Carreira

VICE-COORDENADOR: Dr. Guilherme dos Reis Pereira Janson

DURAÇÃO: 24 meses

CARGA HORÁRIA TOTAL: 3.744 horas, sendo 3.636 horas (Área de Concentração + Área Conexa) e 108 horas de Disciplinas Obrigatórias.

• Área de Concentração:

Disciplinas Teórica Prática Total
Cirurgia Ortognática 7h 29h 36h
Clínica Ortodôntica I 76h 630h 706h
Clínica Ortodôntica II 76h 630h 706h
Clínica Ortodôntica III 76h 630h 706h
Clínica Ortodôntica IV 76h 630h 706h
Documentação, Cefalometria, Diagnóstico e Planificação do Tratamento Ortodôntico 15h 61h 76h
Teoria e Técnica Ortodôntica I 19h 77h 96h
Teoria e Técnica Ortodôntica II 15h 61h 76h
Teoria e Técnica Ortodôntica III 14h 55h 69h
Teoria e Técnica Ortodôntica IV 14h 55h 69h
Tratamento Ortodôntico nas Fissuras Orofaciais e Anomalias Craniofaciais 5h 21h 26h
TOTAL 393h 2.879h 3.272h

• Área Conexa:

Disciplinas Teórica Prática Total
Emergência Médica em Odontologia 15h 59h 74h
Oclusão 74h 24h 98h
Periodontia 78h 12h 90h
Radiologia 16h 86h 102h
TOTAL 183h 181h 364h

• Disciplinas Obrigatórias:
(não poderão ser consideradas no cálculo da carga horária entre as disciplinas da área conexa e concentração)

Disciplinas Teórica Prática Total
Bioética 16h 16h
Ética e Legislação Odontológica 30h 2h 32h
Metodologia Científica 60h 60h
TOTAL 106h 2h 108h

PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS:

CIRURGIA ORTOGNÁTICA (ver mais)

Transmitir aos alunos a importância da interação das disciplinas Ortodontia/Cirurgia Ortognática e fornecer conhecimentos para diagnóstico e planejamento dos casos com discrepância.

Possibilitar o diagnóstico, planejamento e tratamento dos casos que ultrapassam os limites da correção apenas ortrodôntica, abrindo o horizonte para resultados melhores envolvendo ortodontia associada à cirurgia ortognática.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Cirurgia ortognática: objetivos e indicação
2 – Características do método diagnóstico aplicável em pacientes com desarmonia esqueletal
3 – Ortodontia: características da mecânica pré e pós-cirurgia
4 – Ortodontia: peculiaridades do preparo ortodôntico em pacientes com fissura
5 – Cirurgia ortognática em fissurados
6 – Avaliação pré-cirúrgica: definição do plano, traçado predicativo, preparo dos modelos e do guia cirúrgico
7 – Finalização dos casos: ortodontia, oclusão, contenção
8 – Distração osteogênica maxilar e mandibular na aplicação clínica
9 – Prótese de ATM
10 – Patologias Articulares
11 – Cirurgia Ortognática combinada à Cirurgia Craniofacial
12 – Planejamento Cirúrgico 3D (noções básicas)
13 – Prepara ortodôntico pré-cirúrgico para o Padrão II, Face Curta e Face Longa

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ALTMANN, E.B.C. Avaliação miofuncional nas deformidades maxilomandibulares. In: PSILLAKIS, J.M. et al. (eds.) Cirurgia craniofacial: osteotomias estéticas da face. Rio de Jjaneiro, Medsi, 1987b. p.325-31.
ALTMANN, E.B.C. Myofunctional terapy and orthognathic surgery. Int. J. Orofacial Myology, v.13, n.3, 2-12, 1978a.
BEHRENTS, R.G. JCO interviews Dr. Rolg Behrents on adult craniofacial growth. J. Clin. Orthod., Boulder, v.20, n.12, p.842-47, Dec. 1986.
BELL, W.H. Correction of skeletal type of anterior open bite. J. Oral Surg., Chicago, v.29, n.10, p.706-14, Oct. 1971.
BELL, W.H. Correction on the short-face syndrome-vertical maxillary deficiency: a preliminary report. J. Oral Surg., Chicago, v.35, n.2, p.110-20, Feb. 1977.
BELL, W.H.; CREEKMORE, T.D.; ALEXANDER, R.G. Surgical correction of the long face syndrome. Amer. J. Orthodont., St. Louis, v.71, n.1, p.40-67, jan. 1977.
BERGSMA, J. Mandibular prognathism. In:_____ Birth defects compendium. 2nd ed. New York: Alan R. Liss, 1979, p.677-78.
BERRY, D.C.; POOLE, D.F. Attrition: possible mechanisms of compensation. J. Oral Rehabil., Oxford, v.3, n.3, p.201-06, July 1976.
BIANCHIN, E.M.G. Desproporções maxilo-mandibulares: atuação fonoaudiológica com pacientes submetidos à cirurgia ortognática. In: MARCHESAN, I.Q. et al. (eds.) Tópicos em fonoaudiologia. São Paulo, Lovise, 1995. p. 129-45.
BJÖRK, A. Prediction of mandibular growth rotation. Amer. J. Orthod., St. Louis, v.55, n.6, p.585-99, June 1969.
CAMPIOTTO, A.R. Fonoaudiologia. In: SOUZA, I.C.M. et al. (eds.) Cirurgia craniomaxilofacial e ortodontia. São Paulo, Santos, 1998, p.19-30.
CARDOSO, M.A. et al. Estudo das características oclusais em portadores de padrão face longa com indicação de tratamento ortodôntico-cirúrgico. Rev. Dental Press Ortodont. Ortop. Facial, Maringá, v.7, n.6, p.63-70, nov./dez. 2002.
CARDOSO, M.A. et al. Estudo das características oclusais em portadores de padrão face longa com indicação de tratamento ortodôntico-cirúrgico. Revista Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial, Maringá, v. 7, n. 6, p. 63-70, nov./dez. 2002.
D’AGOSTINO, L. Características fonoaudiológicas nas deformidades maxilomandibulares. In: PSILLAKIS, J.M. et al. (eds) Cirurgia craniofacial: osteotomias estéticas da face. Rio de Janeiro, Medsi, 1987. P.317-23.
EPKER, B.N. & FISH, L.C. Dentofacial deformities – Integrated orthodontic and surgical correction. Saint Louis, Mosby, 1986, v.I e II.
EPKER, B.N.; WOLFORD, L.M. Dentofacial deformities: surgical orthodontic correction. St. Louis, Mosby, 1980, p.305-31.
MÉLEGA, J.M. Osteotomias estéticas da face. In: MÉLEGA, J.M. et al. (eds.) Cirurgia plástica – reparadora e estética. Rio de Janeiro, Medsi, 1988.
MARCHESAN, I.Q. & BIANCHINI, E.M.G. A fonoaudiologia e a cirurgia ortognática. In: ARAUJO, A. (EDS). Cirurgia ortognática. São Paulo, Santos, 1999. p.353-62.
RODE, R. et al. Oclusão dentária e técnicas de contenção maxilomandibular. In: PSILLAKIS, J.M. (eds). Cirurgia craniofacial: osteotomias estéticas. Rio de Janeiro, Medsi, 1987. p.55
WATTED, N; BARTSCH, A. Esthetic aspects of orthodontic-surgical treatment of sagital-vertical anomalies: the example of the short face syndrome. J. Orafac. Orthop., Munich, v.63, n.2, p.129-142, Mar. 2002.
WOLFORD, L.M. & HILLIARD, F.W. A pratical method for diagnosis treatm,ent planning and management of surgical orthodontic patient. Texas, John Peter Smith Hospital.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

CIRURGIA ORTOGNÁTICA (clique para fechar)

CLÍNICA ORTODÔNTICA I (ver mais)

Descrever a biomecânica dos aparelhos ortodônticos convencionais e atípicos e sua utilização (prática) no tratamento das mais diferentes más oclusões, com ortodôntica isolada ou associada à cirurgia ortognática.

Aprimorar as habilidades técnicas da ortodontia aplicando todos os conhecimentos adquiridos teórica e laboratorialmente na clínica.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Tratamento ortodôntico convencional com aparelho Edgewise:
    Diagnóstico e planificação do tratamento ortodôntico corretivo e aparelhagens ortodônticas e/ou ortopédicas e filosofias de tratamento.
    Contenção: objetivos e técnicas, modalidades disponíveis.
    Diagnóstico, planificação e tratamento de casos clínicos, más oclusões de diferentes tipos, pela técnica de Edgewise, com uso de aparelhos auxiliares, quando necessário.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ANDREWS, L.F. . Straigh wire: the concept and appliance. San Diego, L.ª Wells, 1989, 406p.
ARTUN, J.; GROBÉTY, D. Periodontal status of mandibular incisors after pronounced orthodontic advancement during adolescence: a follow-up evaluation. Amer. J. Orthod. Dentofacial Orthop. St. Louis, v.119, n.1, p.2-10, Jan.
BALDRIGHI, S. E. Z. M.; SILVA FILHO, O G. Alterações na fisiologia bucal atribuídas à expansão rápida da maxila. J. Bras. Fonoaudiol., Curitiba, v. 3, n. 10, p. 60-66, jan./mar. 2002.
BORTOLOZO, M. A et al. Distalização de molares superiores com o pendulum/pendex: o aparelho, seu modo de ação, possibilidades e limitações. Rev Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial, Maringá, v. 6, n. 4, p. 43-50, jul./ago. 2001.
BRUSOLA, J.A C. Ortodontia clínica. Barcelona, Salvat editores, 1988.
CAPELLOZZA FILHO,L. et al. Individualização de braquetes na técnica de straight-wire: revisão de conceitos e sugestão de indicações para uso. Rev Dental Press Ortodont. Ortop. Facial, Maringá, v.4, n.4, p.87-106, jul./ago., 1999.
CAPELOZZA FILHO, L. et al. Reabsorção radicular na clínica ortodôntica: aplicação de um método radiográfico para diagnóstico precoce. Ortodontia, São Paulo, v. 35, n. 2, p. 14-26, abr./jun. 2002.
CAPELOZZA FILHO, L. et al. Tratamento ortodôntico da classe III: revisando o método (ERM e tração) por meio de um caso clínico. Rev Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial, Maringá, v. 7, n. 6, p. 99-119, nov./dez. 2002.
CAPELOZZA FILHO, L.. Quais seriam as atuais considerações sobre a performance da prescrição Capelozza na clínica ortodôntica?. Rev Clín. Ortod. Dental Press, Maringá, v. 1, n. 2, p. 23-24, abr./maio 2002. [pergunte a um expert] CARDOSO, M. A et al. Estudo das características oclusais em portadores de padrão face longa com indicação de tratamento ortodôntico-cirúrgico. Rev Dent. Press de Ortod. Ortop. Facial, Maringá, v. 7, n. 6, p. 63-70, nov./dez. 2002.
FERRARIO, V. F. et al. Three-dimensional inclination of the dental axes in healthy permanent dentitions: a crosssectional study in a normal population. Angle Orthod., Appleton, v.71, n.4, p.257-264, Aug. 2001.
INTERLANDI, S. Ortodontia – mecânica do arco de canto – Introdução à técnica,. Sarvier, 1986.
PROFFIT, W.R. Contemporary orthodontics. St. Louis, Mosby, 1986.
SILVA FILHO, O G et al. Evaluation of the midpalatal suture during rapid palatal expansion in children: a CT study. J. Clin. Pediatric Dentistry, Birmingham, v. 29, n. 3, p. 231-238, Spring 2004.
SILVA FILHO, O G. et al.. Apinhamento: a extração no segmento de incisivos inferiores como opção de tratamento. Ver Clín.Ortod. Dental Press, Maringá, v. 1, n. 2, p. 29-45, abr./maio 2002.
SILVA FILHO, O G.; FREITAS, P. Z.; SILVA, V. B.. Aparelho expansor fixo dentomucosuportado: considerações clínicas sobre a mucosa palatina. Rev Clín. Ortod. Dental Press, Maringá, v. 3, n. 1, p. 57-63, fev./mar. 2004.
SILVA FILHO, O. G. et al. Hábitos de succión y maloclusión: epidemiología en la dentadura temporal. Ortodoncia Española, Madrid, v. 44, n. 2, p. 127-140, abril/junio 2004.
STRANG, R.W..R. 7 THOMPSON, W.M. A text book of ortodontia. 4ª ed. Philadelphia, Lea & Fabiger,, 1958.
TENTI, F.V. Atlas de aparelhos ortodônticos fixos e removíveis. Ed. Santos, 1993.
THUROW, R.C. Atlas of orthodontic principles. 2nd. Saint Louiz, Mosby, 1977.
THUROW, R.C. Edgewise orthodontics. St. Louis, Mosby, 1982.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

CLÍNICA ORTODÔNTICA I (clique para fechar)

CLÍNICA ORTODÔNTICA II (ver mais)

Descrever a biomecânica dos aparelhos ortodônticos convencionais e atípicos e sua utilização (prática) no tratamento das mais diferentes más oclusões, com ortodôntica isolada ou associada à cirurgia ortognática.

Aprimorar as habilidades técnicas da ortodontia aplicando todos os conhecimentos adquiridos teórica e laboratorialmente na clínica.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Tratamento ortodôntico convencional com aparelho Straight-wire:
    Diagnóstico e planificação do tratamento ortodôntico corretivo e aparelhagens ortodônticas e/ou ortopédicas e filosofias de tratamento.
    Contenção: objetivos e técnicas, modalidades disponíveis.
    Diagnóstico, planificação e tratamento de casos clínicos, más oclusões de diferentes tipos, com o aparelho Straight-wire, com uso de aparelhos auxiliares, quando necessário.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ANDREWS, L.F. . Straigh wire: the concept and appliance. San Diego, L.ª Wells, 1989, 406p.
ARTUN, J.; GROBÉTY, D. Periodontal status of mandibular incisors after pronounced orthodontic advancement during adolescence: a follow-up evaluation. Amer. J. Orthod. Dentofacial Orthop. St. Louis, v.119, n.1, p.2-10, Jan.
BALDRIGHI, S. E. Z. M.; SILVA FILHO, O G. Alterações na fisiologia bucal atribuídas à expansão rápida da maxila. J. Bras. Fonoaudiol., Curitiba, v. 3, n. 10, p. 60-66, jan./mar. 2002.
BORTOLOZO, M. A et al. Distalização de molares superiores com o pendulum/pendex: o aparelho, seu modo de ação, possibilidades e limitações. Rev Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial, Maringá, v. 6, n. 4, p. 43-50, jul./ago. 2001.
BRUSOLA, J.A C. Ortodontia clínica. Barcelona, Salvat editores, 1988.
CAPELLOZZA FILHO,L. et al. Individualização de braquetes na técnica de straight-wire: revisão de conceitos e sugestão de indicações para uso. Rev Dental Press Ortodont. Ortop. Facial, Maringá, v.4, n.4, p.87-106, jul./ago., 1999.
CAPELOZZA FILHO, L. et al. Reabsorção radicular na clínica ortodôntica: aplicação de um método radiográfico para diagnóstico precoce. Ortodontia, São Paulo, v. 35, n. 2, p. 14-26, abr./jun. 2002.
CAPELOZZA FILHO, L. et al. Tratamento ortodôntico da classe III: revisando o método (ERM e tração) por meio de um caso clínico. Rev Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial, Maringá, v. 7, n. 6, p. 99-119, nov./dez. 2002.
CAPELOZZA FILHO, L. Metas terapêuticas individualizadas. Revista Clínica de Ortodontia Dental Press, Maringá, 2011.
CAPELOZZA FILHO, L.. Quais seriam as atuais considerações sobre a performance da prescrição Capelozza na clínica ortodôntica?. Rev Clín. Ortod. Dental Press, Maringá, v. 1, n. 2, p. 23-24, abr./maio 2002. [pergunte a um expert] CARDOSO, M. A et al. Estudo das características oclusais em portadores de padrão face longa com indicação de tratamento ortodôntico-cirúrgico. Rev Dent. Press de Ortod. Ortop. Facial, Maringá, v. 7, n. 6, p. 63-70, nov./dez. 2002.
FERRARIO, V. F. et al. Three-dimensional inclination of the dental axes in healthy permanent dentitions: a crosssectional study in a normal population. Angle Orthod., Appleton, v.71, n.4, p.257-264, Aug. 2001.
INTERLANDI, S. Ortodontia – mecânica do arco de canto – Introdução à técnica,. Sarvier, 1986.
PROFFIT, W.R. Contemporary orthodontics. St. Louis, Mosby, 1986.
SILVA FILHO, O G et al. Evaluation of the midpalatal suture during rapid palatal expansion in children: a CT study. J. Clin. Pediatric Dentistry, Birmingham, v. 29, n. 3, p. 231-238, Spring 2004.
SILVA FILHO, O G. et al.. Apinhamento: a extração no segmento de incisivos inferiores como opção de tratamento. Ver Clín.Ortod. Dental Press, Maringá, v. 1, n. 2, p. 29-45, abr./maio 2002.
SILVA FILHO, O G.; FREITAS, P. Z.; SILVA, V. B.. Aparelho expansor fixo dentomucosuportado: considerações clínicas sobre a mucosa palatina. Rev Clín. Ortod. Dental Press, Maringá, v. 3, n. 1, p. 57-63, fev./mar. 2004.
SILVA FILHO, O. G. et al. Hábitos de succión y maloclusión: epidemiología en la dentadura temporal. Ortodoncia Española, Madrid, v. 44, n. 2, p. 127-140, abril/junio 2004.
STRANG, R.W..R. 7 THOMPSON, W.M. A text book of ortodontia. 4ª ed. Philadelphia, Lea & Fabiger,, 1958.
TENTI, F.V. Atlas de aparelhos ortodônticos fixos e removíveis. Ed. Santos, 1993.
THUROW, R.C. Atlas of orthodontic principles. 2nd. Saint Louiz, Mosby, 1977.
THUROW, R.C. Edgewise orthodontics. St. Louis, Mosby, 1982.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

CLÍNICA ORTODÔNTICA II (clique para fechar)

CLÍNICA ORTODÔNTICA III (ver mais)

Descrever a biomecânica dos aparelhos ortodônticos convencionais e atípicos e sua utilização (prática) no tratamento das mais diferentes más oclusões, com ortodôntica isolada ou associada à cirurgia ortognática.

Aprimorar as habilidades técnicas da ortodontia aplicando todos os conhecimentos adquiridos teórica e laboratorialmente na clínica.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Tratamento ortodôntico-cirúrgico:
    – Preparo Ortodôntico para cirurgia ortognática
    – Metas terapêuticas no preparo pré-cirúrgico
    – Moladagem e análise da movimentação dentária
    – Cuidados pós-operatórios
    – Tratamento Ortodôntico pós-cirúrgico
    – Finalização

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ANDREWS, L.F. . Straigh wire: the concept and appliance. San Diego, L.ª Wells, 1989, 406p.
ARTUN, J.; GROBÉTY, D. Periodontal status of mandibular incisors after pronounced orthodontic advancement during adolescence: a follow-up evaluation. Amer. J. Orthod. Dentofacial Orthop. St. Louis, v.119, n.1, p.2-10, Jan.
BALDRIGHI, S. E. Z. M.; SILVA FILHO, O G. Alterações na fisiologia bucal atribuídas à expansão rápida da maxila. J. Bras. Fonoaudiol., Curitiba, v. 3, n. 10, p. 60-66, jan./mar. 2002.
BORTOLOZO, M. A et al. Distalização de molares superiores com o pendulum/pendex: o aparelho, seu modo de ação, possibilidades e limitações. Rev Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial, Maringá, v. 6, n. 4, p. 43-50, jul./ago. 2001.
BRUSOLA, J.A C. Ortodontia clínica. Barcelona, Salvat editores, 1988.
CAPELLOZZA FILHO,L. et al. Individualização de braquetes na técnica de straight-wire: revisão de conceitos e sugestão de indicações para uso. Rev Dental Press Ortodont. Ortop. Facial, Maringá, v.4, n.4, p.87-106, jul./ago., 1999.
CAPELOZZA FILHO, L. et al. Reabsorção radicular na clínica ortodôntica: aplicação de um método radiográfico para diagnóstico precoce. Ortodontia, São Paulo, v. 35, n. 2, p. 14-26, abr./jun. 2002.
CAPELOZZA FILHO, L. et al. Tratamento ortodôntico da classe III: revisando o método (ERM e tração) por meio de um caso clínico. Rev Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial, Maringá, v. 7, n. 6, p. 99-119, nov./dez. 2002.
CAPELOZZA FILHO, L. Metas terapêuticas individualizadas. Revista Clínica de Ortodontia Dental Press, Maringá, 2011.
CAPELOZZA FILHO, L.. Quais seriam as atuais considerações sobre a performance da prescrição Capelozza na clínica ortodôntica?. Rev Clín. Ortod. Dental Press, Maringá, v. 1, n. 2, p. 23-24, abr./maio 2002. [pergunte a um expert] CARDOSO, M. A et al. Estudo das características oclusais em portadores de padrão face longa com indicação de tratamento ortodôntico-cirúrgico. Rev Dent. Press de Ortod. Ortop. Facial, Maringá, v. 7, n. 6, p. 63-70, nov./dez. 2002.
FERRARIO, V. F. et al. Three-dimensional inclination of the dental axes in healthy permanent dentitions: a crosssectional study in a normal population. Angle Orthod., Appleton, v.71, n.4, p.257-264, Aug. 2001.
INTERLANDI, S. Ortodontia – mecânica do arco de canto – Introdução à técnica,. Sarvier, 1986.
PROFFIT, W.R. Contemporary orthodontics. St. Louis, Mosby, 1986.
SILVA FILHO, O G et al. Evaluation of the midpalatal suture during rapid palatal expansion in children: a CT study. J. Clin. Pediatric Dentistry, Birmingham, v. 29, n. 3, p. 231-238, Spring 2004.
SILVA FILHO, O G. et al.. Apinhamento: a extração no segmento de incisivos inferiores como opção de tratamento. Ver Clín.Ortod. Dental Press, Maringá, v. 1, n. 2, p. 29-45, abr./maio 2002.
SILVA FILHO, O G.; FREITAS, P. Z.; SILVA, V. B.. Aparelho expansor fixo dentomucosuportado: considerações clínicas sobre a mucosa palatina. Rev Clín. Ortod. Dental Press, Maringá, v. 3, n. 1, p. 57-63, fev./mar. 2004.
SILVA FILHO, O. G. et al. Hábitos de succión y maloclusión: epidemiología en la dentadura temporal. Ortodoncia Española, Madrid, v. 44, n. 2, p. 127-140, abril/junio 2004.
STRANG, R.W..R. 7 THOMPSON, W.M. A text book of ortodontia. 4ª ed. Philadelphia, Lea & Fabiger,, 1958.
TENTI, F.V. Atlas de aparelhos ortodônticos fixos e removíveis. Ed. Santos, 1993.
THUROW, R.C. Atlas of orthodontic principles. 2nd. Saint Louiz, Mosby, 1977.
THUROW, R.C. Edgewise orthodontics. St. Louis, Mosby, 1982.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

CLÍNICA ORTODÔNTICA III (clique para fechar)

CLÍNICA ORTODÔNTICA IV (ver mais)

Descrever a biomecânica dos aparelhos ortodônticos convencionais e atípicos e sua utilização (prática) no tratamento das mais diferentes más oclusões, com ortodôntica isolada ou associada à cirurgia ortognática.

Aprimorar as habilidades técnicas da ortodontia aplicando todos os conhecimentos adquiridos teórica e laboratorialmente na clínica.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Tratamento ortodôntico em pacientes com fissuras orofaciais e anomalias relacionadas:
    – Protocolo de tratamento ortodôntico pré-enxerto
    – Requisitos para o preparo do arco superior para o enxerto ósseo
    – Tratamento ortodôntico compensatório pós-enxerto
    – Tratamento ortodôntico-cirúrgico pós-enxerto
    – Finalização
    – Contenção

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ANDREWS, L.F. . Straigh wire: the concept and appliance. San Diego, L.ª Wells, 1989, 406p.
ARTUN, J.; GROBÉTY, D. Periodontal status of mandibular incisors after pronounced orthodontic advancement during adolescence: a follow-up evaluation. Amer. J. Orthod. Dentofacial Orthop. St. Louis, v.119, n.1, p.2-10, Jan.
BALDRIGHI, S. E. Z. M.; SILVA FILHO, O G. Alterações na fisiologia bucal atribuídas à expansão rápida da maxila. J. Bras. Fonoaudiol., Curitiba, v. 3, n. 10, p. 60-66, jan./mar. 2002.
BORTOLOZO, M. A et al. Distalização de molares superiores com o pendulum/pendex: o aparelho, seu modo de ação, possibilidades e limitações. Rev Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial, Maringá, v. 6, n. 4, p. 43-50, jul./ago. 2001.
BRUSOLA, J.A C. Ortodontia clínica. Barcelona, Salvat editores, 1988.
CAPELLOZZA FILHO,L. et al. Individualização de braquetes na técnica de straight-wire: revisão de conceitos e sugestão de indicações para uso. Rev Dental Press Ortodont. Ortop. Facial, Maringá, v.4, n.4, p.87-106, jul./ago., 1999.
CAPELOZZA FILHO, L. et al. Reabsorção radicular na clínica ortodôntica: aplicação de um método radiográfico para diagnóstico precoce. Ortodontia, São Paulo, v. 35, n. 2, p. 14-26, abr./jun. 2002.
CAPELOZZA FILHO, L. et al. Tratamento ortodôntico da classe III: revisando o método (ERM e tração) por meio de um caso clínico. Rev Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial, Maringá, v. 7, n. 6, p. 99-119, nov./dez. 2002.
CAPELOZZA FILHO, L. Metas terapêuticas individualizadas. Revista Clínica de Ortodontia Dental Press, Maringá, 2011.
CAPELOZZA FILHO, L.. Quais seriam as atuais considerações sobre a performance da prescrição Capelozza na clínica ortodôntica?. Rev Clín. Ortod. Dental Press, Maringá, v. 1, n. 2, p. 23-24, abr./maio 2002. [pergunte a um expert] CARDOSO, M. A et al. Estudo das características oclusais em portadores de padrão face longa com indicação de tratamento ortodôntico-cirúrgico. Rev Dent. Press de Ortod. Ortop. Facial, Maringá, v. 7, n. 6, p. 63-70, nov./dez. 2002.
FERRARIO, V. F. et al. Three-dimensional inclination of the dental axes in healthy permanent dentitions: a crosssectional study in a normal population. Angle Orthod., Appleton, v.71, n.4, p.257-264, Aug. 2001.
INTERLANDI, S. Ortodontia – mecânica do arco de canto – Introdução à técnica,. Sarvier, 1986.
PROFFIT, W.R. Contemporary orthodontics. St. Louis, Mosby, 1986.
SILVA FILHO, O G et al. Evaluation of the midpalatal suture during rapid palatal expansion in children: a CT study. J. Clin. Pediatric Dentistry, Birmingham, v. 29, n. 3, p. 231-238, Spring 2004.
SILVA FILHO, O G. et al.. Apinhamento: a extração no segmento de incisivos inferiores como opção de tratamento. Ver Clín.Ortod. Dental Press, Maringá, v. 1, n. 2, p. 29-45, abr./maio 2002.
SILVA FILHO, O G.; FREITAS, P. Z.; SILVA, V. B.. Aparelho expansor fixo dentomucosuportado: considerações clínicas sobre a mucosa palatina. Rev Clín. Ortod. Dental Press, Maringá, v. 3, n. 1, p. 57-63, fev./mar. 2004.
SILVA FILHO, O. G. et al. Hábitos de succión y maloclusión: epidemiología en la dentadura temporal. Ortodoncia Española, Madrid, v. 44, n. 2, p. 127-140, abril/junio 2004.
STRANG, R.W..R. 7 THOMPSON, W.M. A text book of ortodontia. 4ª ed. Philadelphia, Lea & Fabiger,, 1958.
TENTI, F.V. Atlas de aparelhos ortodônticos fixos e removíveis. Ed. Santos, 1993.
THUROW, R.C. Atlas of orthodontic principles. 2nd. Saint Louiz, Mosby, 1977.
THUROW, R.C. Edgewise orthodontics. St. Louis, Mosby, 1982.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

CLÍNICA ORTODÔNTICA IV (clique para fechar)

DOCUMENTAÇÃO, CEFALOMETRIA, DIAGNÓSTICO E PLANIFICAÇÃO DO TRATAMENTO ORTODÔNTICO (ver mais)

Ensinar as normas da documentação ortodôntica com noções básicas da fotografia, obtenção e manejo de radiografias e modelos de gessos dos arcos dentários.

A documentação ortodôntica realizada de forma padronizada é essencial para o acompanhamento de cada caso, assim como para avaliar os resultados e futuramente servir de dados para pesquisas.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
I. Documentação Ortodôntica: histórico, importância e componentes
II. CEFALOMETRIA
    1- Introdução
        1.1 Histórico
        1.2 Aplicações da Cefalometria na Ortodontia
        1.3 Tomada Radiográfica
    2- Cefalograma Lateral
        2.1 Desenho Anatômico
            2.1.1 Estruturas Esqueléticas
            2.1.2 Tecido Tegumentar
        2.2 Referências Cefalométricas
            2.2.1 Demarcação dos Pontos Cefalométricos
    2.2.2 Demarcação das Linhas e Planos Cefalométricos
    3- Interpretação das Grandezas Cefalométricas
        3.1 Análise do Padrão Esquelético
        3.2 Análise do Padrão Dentário
        3.3 Análise do Pefil Tegumentar
        3.4 Análise das Bases Apicais em relação à Base do Crânio e entre si
    4- Análises Cefalométricas Individualizadas
        4.1 Análise de Steiner
        4.2 Análise de Tweed
        4.3 Análise de McNamara
        4.4 Análise de Interlandi
        4.5 Análise de Wits
    5- Superposição Cefalométrica
        5.1 Superposição total de Steiner
        5.2 Superposição parcial de Ricketts
III. Análise Facial (Aiello)
    1- Introdução
        1.1 Importância da Análise Facial no Diagnóstico Ortodôntico
        1.2 O Conceito Padrão
        1.3 Normas para o Diagnóstico Morfológico
    2- Tipos Faciais
        2.1 Braquifacial
        2.2 Mesofacial
        2.3 Dolicofacial
    3- Padrões Faciais e suas Características Morfológicas: esqueléticas, dentárias e tegumentares
        3.1 Padrão I
        3.2 Padrão II
        3.3 Padrão III
        3.4 Face Curta
        3.5 Face Longa
    4- Diagnóstico Morfológico e Classificação das más oclusões com base no conceito do Padrão Facial
IV. Lista de problemas e planejamento ortodônticos.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

BRANDÃO, A M. B.; ABRÃO, J.; CAPELOZZA FILHO, L.. Avaliação da correlação entre as características dentárias esqueléticas e tegumentares em portadores de má oclusão cl. II div. 1ª, obtidas pela cefalometria e análise facial numérica. Rev Dental Press de Ortod. Ortop. Facial, Maringá, v. 7, n. 1, p. 27-35, jan./fev. 2002.
BRANDÃO, A M. B.; DOMÍNGUEZ-RODRÍGUES, G. C.; CAPELOZZA FILHO, L.. Avaliação comparativa entre as características da má oclusão Cl II div. 1ª obtidas pela cefalometria e análise facial subjetiva. Rev Dental Press Ortod. Ortop. Facial, Maringá, v. 6, n. 2, p. 33-40, mar./abr. 2001.
BRANDÃO, A M. B.; VIGORITO, J. W.; CAPELOZZA FILHO, L.. Avaliação das características do perfil tegumentar em pacientes com má oclusão cl II div. 1 por meio da análise facial numérica. Ortodontia, São Paulo, v. 34, n. 2, p. 59-65, maio/ago. 2001.
CABRERA, C.A. G. et al. Estudo da correlação do posicionamento dos incisivos superiores e inferiores com relação ântero-posterior das bases óssea. Rev Dental Press Ortodon. Ortop. Facial, Maringa, 2004 [no prelo] CAPELLOZZA, L. Diagnóstico em ortodontia. Cap.2 – Normas para diagnóstico Maringa, Dental Press, 2004.p.47-76.
CAPELOZZA FILHO, L. Diagnóstico em Ortodontia. Revista Clínica de Ortodontia Dental Press, Maringá, 2° Edição, 2012.
CAPELOZZA FILHO, L. Quais seriam as atuais considerações sobre a performance da prescrição Capelozza na clínica ortodôntica?. Revista Clínica de Ortodontia Dental Press, Maringá, v. 1, n. 2, p. 23-24, abr./maio 2002. [pergunte a um expert] GRABER, T.M. Prefácio. In: LINDER-ARONSON, S.; WOODSIDE, D.G. Excess face height malocclusion: etiology, diagnosis and treatment. Chicago, Quintessence, 2000. P. XI
LAI, J.; GHOSH, J.; NANDA, R.S. Effects of orthodontic therapy on the facial profile in long and short vertical facial patterns. Amer. J. Orthod. Dentofacial Orthop., St. Louis, v.118, n.5, p.505-13, Nov. 2000.
LINDEN, F.P.G.M. van der. Entrevista. Rev. Dental Press Ortodont. Ortop. Facial, Maringa, v.8, n.2, p.7-15, mar./abr. 2003
LINDEN, F.P.G.M. van der. O desenvolvimento das faces longas e curtas e as limitações do tratamento. . Rev. Dental Press Ortodont. Ortop. Facial, Maringa, v.4, n.6, p.6-11, nov../dez., 2003
OZAWA, T. O. Avaliação dos efeitos da queiloplastia e palatoplastia primária sobre o crescimento dos arcos dentários de crianças com fissura transforame incisivo unilateral aos 5 – 6 anos de idade. 2001. 163f. Tese (Doutorado em Ortodontia) – Faculdade de Odontologia de Araraquara da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara.
REIS, S.A B. Análise facial numérica e subjetiva do perfil e análise da relação oclusal sagital em brasileiros, adultos, leucodermas, não tratados ortodonticamente. 2001. Dissertação – UNESPO, São Paulo, 2001.
SCANAVINI,M.A. et al. Novo dispositivo para obtenção de fotografias frontais e laterais padronizadas. J. Bras. Ortod. Ortop. Facial, Curitiba, v.8, n.45, p.245-50, maio/jun. 2003
VALLADARES NETO, J. CAPELLOZZA FILHO, L.; SILVA DOMIGUES, M.H.M.S. Pesquisa em ortodontia: bases para a produção e a análise crítica. Rev. Dental Press Ortodont. Ortop. Facial, Maringa, v.5, n.4, p.89-105, jul./ago. 2000.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

DOCUMENTAÇÃO, CEFALOMETRIA, DIAGNÓSTICO E PLANIFICAÇÃO DO TRATAMENTO ORTODÔNTICO (clique para fechar)

EMERGÊNCIA MÉDICA EM ODONTOLOGIA (ver mais)

Preparar o cirurgião-dentista, a reconhecer e instituir medidas de pronto-atendimento na ocorrência de situações emergenciais desencadeadas em âmbito odontológico, recebendo treinamento para executar manobras de Suporte Básico de Vida, bem como indicar e manusear drogas, equipamentos e acessórios empregados em tais situações.

Situações de emergência médica, embora incomuns, podem ocorrer na clínica odontológica de forma imprevisível, sem regras ou padrões definidos. O aumento da frequência de atendimento odontológico de idosos em virtude do aumento da expectativa de vida, torna mais provável a ocorrência de alterações sistêmicas durante o tratamento dentário. Tal realidade obriga o profissional a adotar precauções que vão desde uma correta avaliação do estado geral de saúde até o treinamento em situações de emergência médica aumentando a segurança clínica no atendimento de pacientes que requerem cuidados especiais.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Introdução
    Anamnese e avaliação dos sinais vitais
    Classificação e incidência das situações de emergência
    Recomendações básicas
    Controle de ansiedade
2. Suporte Básico de Vida (SBV)
    Protocolo do SBV
3. Alteração ou perda da consciência
    Lipotímia ou síncope
    Hipoglicemia aguda
    Hipotensão ortostática
    Acidente vascular cerebral
    Insuficiência renal aguda
4. Dificuldade respiratória
    Hiperventilação
    Crise asmática
    Edema pulmonar
    Obstrução das vias aéreas por corpo estranho
5. Dor no peito e arritmias cardíacas
    Angina
    Infarto do miocárdio
    Bradicardia sinusal
    Taquicardias
6. Crise hipertensiva arterial
7. Reações alérgicas
    Aos anestésicos locais
    Aos antibióticos
    Aos anti-inflamatórios e analgésicos
    Outras substâncias de uso odontológico
8. Crises convulsivas
9. Equipamento de emergência
    Drogas e medicamentos
    Acessórios para administração de injetáveis
    Outros materiais
10. Administração de drogas injetáveis
    Vias de administração de injetáveis
    Injeção subcutânea (SC)
    Injeção intramuscular (IM)
    Injeção intravenosa (IV)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

CARVALHO, C. Emergências médicas no atendimento odontológico. Rev Bras. Odontol., 60 (2): 108-11, mar-abr., 2003
MALAMED, S.F. Manual de anestesia local. 5. ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2004.
RANALI, J.; ANDRADE, E. D. Emergências médicas em Odontologia. 2. ed. Artes Médicas, 2004.
SINGI, G. Fisiologia para Odontologia – Atendimento de paciente especiais e primeiros socorros médicos. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 1998.
TORTAMANO, N.; ARMONIA, P. L. Como prescrever em Odontologia. 6. ed. São Paulo, Livraria e Editora Santos, 2004.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

EMERGÊNCIA MÉDICA EM ODONTOLOGIA (clique para fechar)

OCLUSÃO (ver mais)

Conceito de oclusão normal, métodos de exame, diagnóstico e tratamento. Ênfase aos cuidados na indicação de movimentação dentária e naqueles destinados a preservar os resultados obtidos.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Considerações gerais sobre oclusão
2. Conceitos de oclusão
3. Posições oclusais e dimensão vertical de oclusão
4. Movimentos mandibulares
5. Articuladores semi-ajustáveis
6. Análise oclusal
7. Princípios para estabilizar em relação de oclusão cêntrica
8. Princípios que regem o ajuste para os movimentos mandibulares
9. Síndrome dos-disfunção mio-facial relacionada à patologia oclusal (placa miorrelaxante, indicação, preparo e confecção)
10. Tratamento ortodôntico / planejamento em RC, quando indicar

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ASH, M., RAMFJORD, L. P. Introdução à oclusão funcional. São Paulo:Panamericana, 1982.
BOTINO, M.A. et al Estética em Reabilitação Oral (Metal Free) Artes Médicas, 1ed, 2001
CARDOSO, R. J. A. Gonlçalves, E. A. N.. – Oclusão/ ATM, prótese sobre implante e prótese bucomaxilofacial. São Paulo, Artes Médicas, 2002 ( Livro do Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo)
CARDOSO, R. J. A.; GONÇALVES, E. A. N. Oclusão/ATM, prótese sobre implante e Prótese bucomaxilofacial. São Paulo: Artes Médicas, 2002.
DAWSON, P. E. Avaliação, diagnóstico e tratamento dos problemas oclusais. São Paulo: Artes Médicas, 1980.
JANSON, W. A. et al. Introdução à oclusão / ajuste oclusal. Bauru: Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo, 1983. [manual] JANSON, W. A. et al. Introdução ao estudo da oclusão: enceramento das superfícies oclusais. Bauru: Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo, 1975.
JANSON, W. A. et al. Oclusão: teoria e prática. Bauru: Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo, 1973.
MEDEIROS, J. S. Oclusão. São Paulo: American Medicine, 1991.
NEFF, P. Oclusion and function. Washington: Press, 1976.
OKESON, J.P. Tratamento das desordens temporomandibulares e oclusão. 4 ed. São Paulo : Artes Médicas, 2000. 500p.
POSSELT, U. Physiology of occlusion and rehabilitation. Oxford: Blackwell, 1964.
SANTOS, J. R. Oclusão: princípios e conceitos. São Paulo: Santos, 1987.
SANTOS, J. R. Oclusão: tratado da sintomatologia craniomandibular. São Paulo: Pancast, 1988.
SHILLINGBURG, H. et al. Guia de enceramento oclusal. Rio de Janeiro: Quintessence, 1987.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

OCLUSÃO (clique para fechar)

PERIODONTIA (ver mais)

Noções de princípios periodontais básicos e suas implicações na movimentação dentária. Abordagem de normas para esta movimentação no periodonto sadio e naquele evoluído nas diferentes doenças periodontais.

O conhecimento da fisiologia do periodonto e dos mecanismos histopatológicos implicados na instalação da doença periodontal interferem diretamente no diagnóstico, plano de tratamento e prognóstico do tratamento ortodôntico.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Princípios periodontais aplicáveis à ortodontia:
    Implicação biológica do periodonto de proteção
    Implicação biológica do periodonto de sustentação
2. Envolvimento periodontal em ortodontia:
    Placa dentária
    Gengivite e periodontite
    Controle de placa dentária
3. Cirugia périodontais de interesse para o ortodontista

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

BORGHETTI, A., MONNET-CORTI, V. Cirurgia plástica periodontal. Porto Alegre: Artmed, 2002.
BURDEN, D.J. et al. The prevalence of bacteremia in removal of fined orthodontic applicances. Amer. J. Orthodont., v.26, n.4, p.443-7, 2004.
CARDAROPOLI, D.R.S. Interdental papilla augmentation procedure followin orthodontic treatment in a periodontal patient. J. Periodont., v.76, n.4, p.655-61, Apr. 2005.
DUARTE, C. A. Cirurgia periodontal: pré-protética e estética. São Paulo: Santos Editora, 2002.
GENGO, R. J. Periodontia contemporânea. São Paulo: Santos Editora,1999.
LINDHE, J. Tratado de periodontia clínica e implantodontologia oral. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999.
MONACO, A. et al. Gummy smile: clinicas parameters useful for diagnosis and therapeutical approach. J. Clin. Pediat. Dent., v.29, n.1, p.19-25, feb. 2004.
NOVAES JR., A. B., NOVAES, A. B. Periodontia e implantodontia. São Paulo: Artes Médica, 2004.
NOWZARI, H. Periodontologia 2000: terapia periodontal estética. São Paulo: Santos Editora, 2003.
RAMADAN, A . A. Effect of nickel and chromium on gengival tissue during orthodontic treatment: a lomgitudinal study-word. J. Orthodont., v.5, n.3, p.230-4, [discussion 235] TANNER,A.C. et al. Clinical and other risu indicators for arly periodontis in adults, J. Periodont., v.76, n.4, p.573-81, Apr. 2005.
VENZA, M. et al. Polyamines in nickel-titanium archwire-induced gengivites in adolecents. J. Periodont.., v.75, n.6, p.877-85, Jun. 2004.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

PERIODONTIA (clique para fechar)

RADIOLOGIA (ver mais)

Capacitar os alunos a interpretarem as imagens obtidas com técnicas radiográficas indicadas para a ortodontia, visando o radiodiagnóstico e o conhecimento da anatomia craniofacial e dentomaxilar.

O conhecimento das estruturas da cabeça e pescoço e de suas inter-relações anatômicas, é de fundamental importância para o planejamento do tratamento ortodôntico.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Técnicas radiográficas
2 – Fatores que influenciam na imagem radiográfica
3 – Efeitos biológicos dos Raios X
4 – Proteção em radiologia dentária
5 – Anatomia Craniofacial e dentomaxilar
6 – Lesões dentárias e de maxilares de interesse do ortodontista, radiograficamente daignosticadas.
7 – Radiografias da ATM.
8 – Tomografia computadorizada cone beam

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ALVARES, L. C.; FREITAS, J. A S.; CAPELOZZA, A. L. A. Glossário de termos técnicos de radiologia odontológica e radiobiologia. Bauru: EDUSC, 2000.
ALVARES, L. C.; TAVANO, O. Curso de radiologia em odontologia. 4.ed. São Paulo, Santos, 1998.
CAPELOZZA, A. L. A et al. Anatomia radiográfica em odontologia. Bauru: Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais, Universidade de São Paulo – Fundação para o Estudo e Tratamento das Deformidades Craniofaciais, 1999. [cd-rom] ELLIS, H.; LOGAN, B.; DIXON, A. Anatomia seccional humana: atlas de secções do corpo humana, imagens por TC e RM. 2.ed. São Paulo: Santos, 2002.
FREITAS, A.; SOUZA, I. F.; ROSA, J. E. Radiologia odontológica. 4.ed. São Paulo: Artes Médicas, 1998.
FREITAS, L. Radiologia bucal. São Paulo: Pancast, 1992.
HARING, J. I.; LIND, L. J. Dental radiography: principles and techniques. Philadelphia: W. B. Saunders Company, 1996.
LANGLAIS, R. P.; LANGLAND, O . E.; NORTJÉ, C. J. Diagnostic imaging of the jaws. Baltimore: Williams & Wilkins, 1995.
LANGLAND, O . E. et al. Panoramic radiology. 2.ed. Philadelphia: Lea & Febiger, 1989.
LANGLAND, O. E.; LANGLAIS, R. P. Princípios de diagnóstico por imagem em odontologia. São Paulo: Santos, 2002.
MANSON-HING, L. R. Fundamentals of dental radiography. 3.ed. Philadelphia: Lea & Febiger, 1990.
PASLER, F. A. Color atlas of dental medicine and radiology. New York: Thieme Medical Publishers, 1993.
PASLER, F. A. Radiologia odontológica. 3.ed. Rio de Janeiro: Ed. Médica e Científica, 1998.
VOGL, T. J. et al. Diagnóstico diferencial por imagem da cabeça e pescoço: uma abordagem sistemática para avaliação radiológica da cebeça e pescoço e interpretação de casos difíceis. Rio de Janeiro: Revinter, 2003.
WHAITES, E. Princípios de radiologia odontológica. 3.ed. Porto Alegre: Artemed, 2003.
WHITE, S. C.; PHAROAH, M. J. Oral radiology: principles and interpretation. Baltimore: Mosby, 2000.
WUEHRMANN, A. H.; MANSON-HING, L. R. Radiologia odontológica. 5.ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1985.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

RADIOLOGIA (clique para fechar)

TEORIA E TÉCNICA ORTODÔNTICA I (ver mais)

Ensino de evolução da oclusão normal, sua interação com mecanismos etiológicos e os efeitos morfológicos mais característicos. Descrição das características básicas dos sistemas de forças atuantes na cavidade bucal e como controlá-los ou alterá-los do ponto de vista de movimentação dentária.

Preparo e sedimentação dos conceitos teóricos para a aplicação clínica ortodôntica.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Biogênese da oclusão
2 – Oclusão normal estática e funcional
3 – Classificação e etiologia das más oclusões
4 – Ancoragem em Ortodontia
5 – Aparelhos extra-bucais
6 – Acessórios ortodônticos
7 – Colagem direta
8 – Uso do diagrama individualizado em ortodontia
9 – Alinhamento e Nivelamento
10 – Torques e Retração anterior
11 – Arcos Ideais
12 – Finalização Ortodôntica na mecânica edgewise

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

BAPTISTA, J.M. Tração extrabucal, diagnose. Curitiba, Santos, 1985.
CAPELLOZZA FILHO, L. Diagnóstico em ortodontia. Parte II, Cap. 3, p.77-146Maringa, Dental Press,
CAPELLOZZA FILHO, L. et al. Reabsorção radicular na clínica ortodôntica: aplicação de um método radiográfico para diagnóstico precoce. Ortodontia, S. Paulo, v.35, n.2, p.14-26, abr./jun; 2002.
CAPELLOZZA FILHO, L. Quais seriam as atuais considerações sobre a performance da prescrição Capellozza na clínica ortodôntica. Rev.. Clin.. Ortodont. Dent. Press. , Maringá, v.1(2) p.23-4, 2002.
CAPELLOZZA FILHO, L. Tratamento ortodôntico da classe III: revisando o método (ERM e tração) por meio de um caso clínico. Dental Press Ortodont. Ortop. Facial, Maringa, v.7., n.6, p.99-119, nov./dez.2002.
CAPELOZZA FILHO, L. et al.. A altura facial anterior inferior nas más oclusões do padrão II, deficiência mandibular. Rev. Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial, Maringá, v. 9, n. 6, p. 39-47, nov./dez. 2004.
KIM, J. et al. The effectiveness of protraction face mask therapy: a meta-analysis. Amer. J. Orthodont. Dentofacial Orthop., v.115, n.6, p.675-85, June, 1999.
MARCOTE, R.M. Biomecânica em ortodôntia. São Paulo, Santos, 1993.
NANDA, R. Biomechanics in clinical orthodontics. WB Saunders, 1977.
NIKOLAI, R.J. Bioengineering analysis of orthodontic mechanics. Philadelphia, Lea & Febiger, 1985.
REIS, S.A.B. et al. Prevalência de oclusão normal e má oclusão em brasileiro, adultos, leucodermas, caracterizados pela normalidade do perfil facial. Rev . Dental Press Ortod. Ortopedia Facial, Maringá, v.7., n.5, 17-25, 2002.
SADOWSKY, P.L. Atualidades em ortodontia. São Paulo, Premier, 1997.
SILVA FILHO, ºO . G. et al. Aplicação do parafuso expansor com efeito “em leque” na expansão do arco dentário superior. Rev. Clínica de Ortodontia Dental Press, Maringá, v. 1, n. 4, p. 51-60, ago./set. 2002.
SILVA FILHO, O .G. et al. Delayed formation of a lower second premolar. J. Clinical Pediatric Dentistry, Birmingham, v. 28, n. 4, p. 299-301, Summer 2004.
SILVA FILHO, O G. Behavior of partially formed roots of teeth submitted to orthodontic movement. J. Clinical Pediatric Dentistry, Birmingham, v. 28, n. 2, p. 147-154, Winter 2004.
SILVA FILHO, O. G. et al. Atraso no desenvolvimento do segundo pré-molar superior: condição rara que exige ponderação. Ortodontia, São Paulo, v. 35, n. 3, p. 112-119, jul./set. 2002.
SILVA FILHO, O.G. et al. Delayed development of a maxillary left second premolar. J. Clinical Orthodontics, Hempstead, v. 36, n. 5, p. 291-295, May 2002.
SOUZA, S.M.C.M.B; COELHO, U.; JIMÉNEZ, E.E.O. Reabsorção radicular decorrente da movimentação ortodôntica, JBO, v.4, p.141, 1999.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

TEORIA E TÉCNICA ORTODÔNTICA I (clique para fechar)

TEORIA E TÉCNICA ORTODÔNTICA II (ver mais)

Ensino de evolução da oclusão normal, sua interação com mecanismos etiológicos e os efeitos morfológicos mais característicos. Descrição das características básicas dos sistemas de forças atuantes na cavidade bucal e como controlá-los ou alterá-los do ponto de vista de movimentação dentária.

Preparo e sedimentação dos conceitos teóricos para a aplicação clínica ortodôntica.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Mecânica Straight-wire:
    – Acessórios
    – Colagem direta
    – prescrições Padrão I, II e II
    – mecânica para mordida aberta anterior
    – Alinhamento e Nivelamento
    – Torques e Retração anterior
    – Finalização Ortodôntica
2. Método de remoção de bandas e bráquetes colados
3. Métodos de contenção pós-tratamento
4. Crescimento craniofacial pré-natal
5. Crescimento craniofacial pós-natal
6. Crescimento nas más oclusões
7. Idade óssea
8. Expansão rápida da maxila
9. Aparelho Extrabucal
10. Ortopedia Funcional
11. Bionator
12. O aparelho de Herbst
13. Mini-implantes
14. Tratamento compensatório do Padrão III
15. Tratamento compensatório do Padrão II: exodontia, elásticos, distalizadores
16. Aparelho de protração mandibular

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

BAPTISTA, J.M. Tração extrabucal, diagnose. Curitiba, Santos, 1985.
CAPELLOZZA FILHO, L. Diagnóstico em ortodontia. Parte II, Cap. 3, p.77-146Maringa, Dental Press,
CAPELLOZZA FILHO, L. et al. Reabsorção radicular na clínica ortodôntica: aplicação de um método radiográfico para diagnóstico precoce. Ortodontia, S. Paulo, v.35, n.2, p.14-26, abr./jun; 2002.
CAPELLOZZA FILHO, L. Quais seriam as atuais considerações sobre a performance da prescrição Capellozza na clínica ortodôntica. Rev.. Clin.. Ortodont. Dent. Press. , Maringá, v.1(2) p.23-4, 2002.
CAPELLOZZA FILHO, L. Tratamento ortodôntico da classe III: revisando o método (ERM e tração) por meio de um caso clínico. Dental Press Ortodont. Ortop. Facial, Maringa, v.7., n.6, p.99-119, nov./dez.2002.
CAPELOZZA FILHO, L. et al.. A altura facial anterior inferior nas más oclusões do padrão II, deficiência mandibular. Rev. Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial, Maringá, v. 9, n. 6, p. 39-47, nov./dez. 2004.
KIM, J. et al. The effectiveness of protraction face mask therapy: a meta-analysis. Amer. J. Orthodont. Dentofacial Orthop., v.115, n.6, p.675-85, June, 1999.
MARCOTE, R.M. Biomecânica em ortodôntia. São Paulo, Santos, 1993.
NANDA, R. Biomechanics in clinical orthodontics. WB Saunders, 1977.
NIKOLAI, R.J. Bioengineering analysis of orthodontic mechanics. Philadelphia, Lea & Febiger, 1985.
REIS, S.A.B. et al. Prevalência de oclusão normal e má oclusão em brasileiro, adultos, leucodermas, caracterizados pela normalidade do perfil facial. Rev . Dental Press Ortod. Ortopedia Facial, Maringá, v.7., n.5, 17-25, 2002.
SADOWSKY, P.L. Atualidades em ortodontia. São Paulo, Premier, 1997.
SILVA FILHO, ºO . G. et al. Aplicação do parafuso expansor com efeito “em leque” na expansão do arco dentário superior. Rev. Clínica de Ortodontia Dental Press, Maringá, v. 1, n. 4, p. 51-60, ago./set. 2002.
SILVA FILHO, O .G. et al. Delayed formation of a lower second premolar. J. Clinical Pediatric Dentistry, Birmingham, v. 28, n. 4, p. 299-301, Summer 2004.
SILVA FILHO, O G. Behavior of partially formed roots of teeth submitted to orthodontic movement. J. Clinical Pediatric Dentistry, Birmingham, v. 28, n. 2, p. 147-154, Winter 2004.
SILVA FILHO, O. G. et al. Atraso no desenvolvimento do segundo pré-molar superior: condição rara que exige ponderação. Ortodontia, São Paulo, v. 35, n. 3, p. 112-119, jul./set. 2002.
SILVA FILHO, O.G. et al. Delayed development of a maxillary left second premolar. J. Clinical Orthodontics, Hempstead, v. 36, n. 5, p. 291-295, May 2002.
SOUZA, S.M.C.M.B; COELHO, U.; JIMÉNEZ, E.E.O. Reabsorção radicular decorrente da movimentação ortodôntica, JBO, v.4, p.141, 1999.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

TEORIA E TÉCNICA ORTODÔNTICA II (clique para fechar)

TEORIA E TÉCNICA ORTODÔNTICA III (ver mais)

Ensino de evolução da oclusão normal, sua interação com mecanismos etiológicos e os efeitos morfológicos mais característicos. Descrição das características básicas dos sistemas de forças atuantes na cavidade bucal e como controlá-los ou alterá-los do ponto de vista de movimentação dentária.

Preparo e sedimentação dos conceitos teóricos para a aplicação clínica ortodôntica.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Movimentação dentária
2. Reabsorções radiculares
3. Barra Transpalatina
4. Tracionamento de Caninos
5. Verticalização de molares e Cantlevers
6. Inter-relação Ortodontia e Periodontia
7. Tratamento da Mordida aberta anterior
8. Extrações atípicas em Ortodontia
9. Desgastes interproximais
10. Fios Ortodônticos
11. Braquetes autoligáveis
12. Braquetes cerâmicos
13. Mecânica do arco segmentado: arcos de intrusão
14. Contenção e recidiva

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

BAPTISTA, J.M. Tração extrabucal, diagnose. Curitiba, Santos, 1985.
CAPELLOZZA FILHO, L. Diagnóstico em ortodontia. Parte II, Cap. 3, p.77-146Maringa, Dental Press,
CAPELLOZZA FILHO, L. et al. Reabsorção radicular na clínica ortodôntica: aplicação de um método radiográfico para diagnóstico precoce. Ortodontia, S. Paulo, v.35, n.2, p.14-26, abr./jun; 2002.
CAPELLOZZA FILHO, L. Quais seriam as atuais considerações sobre a performance da prescrição Capellozza na clínica ortodôntica. Rev.. Clin.. Ortodont. Dent. Press. , Maringá, v.1(2) p.23-4, 2002.
CAPELLOZZA FILHO, L. Tratamento ortodôntico da classe III: revisando o método (ERM e tração) por meio de um caso clínico. Dental Press Ortodont. Ortop. Facial, Maringa, v.7., n.6, p.99-119, nov./dez.2002.
CAPELOZZA FILHO, L. et al.. A altura facial anterior inferior nas más oclusões do padrão II, deficiência mandibular. Rev. Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial, Maringá, v. 9, n. 6, p. 39-47, nov./dez. 2004.
KIM, J. et al. The effectiveness of protraction face mask therapy: a meta-analysis. Amer. J. Orthodont. Dentofacial Orthop., v.115, n.6, p.675-85, June, 1999.
MARCOTE, R.M. Biomecânica em ortodôntia. São Paulo, Santos, 1993.
NANDA, R. Biomechanics in clinical orthodontics. WB Saunders, 1977.
NIKOLAI, R.J. Bioengineering analysis of orthodontic mechanics. Philadelphia, Lea & Febiger, 1985.
REIS, S.A.B. et al. Prevalência de oclusão normal e má oclusão em brasileiro, adultos, leucodermas, caracterizados pela normalidade do perfil facial. Rev . Dental Press Ortod. Ortopedia Facial, Maringá, v.7., n.5, 17-25, 2002.
SADOWSKY, P.L. Atualidades em ortodontia. São Paulo, Premier, 1997.
SILVA FILHO, ºO . G. et al. Aplicação do parafuso expansor com efeito “em leque” na expansão do arco dentário superior. Rev. Clínica de Ortodontia Dental Press, Maringá, v. 1, n. 4, p. 51-60, ago./set. 2002.
SILVA FILHO, O .G. et al. Delayed formation of a lower second premolar. J. Clinical Pediatric Dentistry, Birmingham, v. 28, n. 4, p. 299-301, Summer 2004.
SILVA FILHO, O G. Behavior of partially formed roots of teeth submitted to orthodontic movement. J. Clinical Pediatric Dentistry, Birmingham, v. 28, n. 2, p. 147-154, Winter 2004.
SILVA FILHO, O. G. et al. Atraso no desenvolvimento do segundo pré-molar superior: condição rara que exige ponderação. Ortodontia, São Paulo, v. 35, n. 3, p. 112-119, jul./set. 2002.
SILVA FILHO, O.G. et al. Delayed development of a maxillary left second premolar. J. Clinical Orthodontics, Hempstead, v. 36, n. 5, p. 291-295, May 2002.
SOUZA, S.M.C.M.B; COELHO, U.; JIMÉNEZ, E.E.O. Reabsorção radicular decorrente da movimentação ortodôntica, JBO, v.4, p.141, 1999.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

TEORIA E TÉCNICA ORTODÔNTICA III (clique para fechar)

TEORIA E TÉCNICA ORTODÔNTICA IV (ver mais)

Ensino de evolução da oclusão normal, sua interação com mecanismos etiológicos e os efeitos morfológicos mais característicos. Descrição das características básicas dos sistemas de forças atuantes na cavidade bucal e como controlá-los ou alterá-los do ponto de vista de movimentação dentária.

Preparo e sedimentação dos conceitos teóricos para a aplicação clínica ortodôntica.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Extrações assimétricas em Ortodontia
2. Distúrbios condilares e más oclusões
3. Colagem indireta em Ortodontia
4. Técnica lingual
5. Aparelhos invisíveis
6. Mecânica com mini-placas
7. Ortopedia ancorada em mini-placas no Padrão III
8. Preceitos estéticos do sorriso
9. Aparelhos auto-ligáveis

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

BAPTISTA, J.M. Tração extrabucal, diagnose. Curitiba, Santos, 1985.
CAPELLOZZA FILHO, L. Diagnóstico em ortodontia. Parte II, Cap. 3, p.77-146Maringa, Dental Press,
CAPELLOZZA FILHO, L. et al. Reabsorção radicular na clínica ortodôntica: aplicação de um método radiográfico para diagnóstico precoce. Ortodontia, S. Paulo, v.35, n.2, p.14-26, abr./jun; 2002.
CAPELLOZZA FILHO, L. Quais seriam as atuais considerações sobre a performance da prescrição Capellozza na clínica ortodôntica. Rev.. Clin.. Ortodont. Dent. Press. , Maringá, v.1(2) p.23-4, 2002.
CAPELLOZZA FILHO, L. Tratamento ortodôntico da classe III: revisando o método (ERM e tração) por meio de um caso clínico. Dental Press Ortodont. Ortop. Facial, Maringa, v.7., n.6, p.99-119, nov./dez.2002.
CAPELOZZA FILHO, L. et al.. A altura facial anterior inferior nas más oclusões do padrão II, deficiência mandibular. Rev. Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial, Maringá, v. 9, n. 6, p. 39-47, nov./dez. 2004.
KIM, J. et al. The effectiveness of protraction face mask therapy: a meta-analysis. Amer. J. Orthodont. Dentofacial Orthop., v.115, n.6, p.675-85, June, 1999.
MARCOTE, R.M. Biomecânica em ortodôntia. São Paulo, Santos, 1993.
NANDA, R. Biomechanics in clinical orthodontics. WB Saunders, 1977.
NIKOLAI, R.J. Bioengineering analysis of orthodontic mechanics. Philadelphia, Lea & Febiger, 1985.
REIS, S.A.B. et al. Prevalência de oclusão normal e má oclusão em brasileiro, adultos, leucodermas, caracterizados pela normalidade do perfil facial. Rev . Dental Press Ortod. Ortopedia Facial, Maringá, v.7., n.5, 17-25, 2002.
SADOWSKY, P.L. Atualidades em ortodontia. São Paulo, Premier, 1997.
SILVA FILHO, ºO . G. et al. Aplicação do parafuso expansor com efeito “em leque” na expansão do arco dentário superior. Rev. Clínica de Ortodontia Dental Press, Maringá, v. 1, n. 4, p. 51-60, ago./set. 2002.
SILVA FILHO, O .G. et al. Delayed formation of a lower second premolar. J. Clinical Pediatric Dentistry, Birmingham, v. 28, n. 4, p. 299-301, Summer 2004.
SILVA FILHO, O G. Behavior of partially formed roots of teeth submitted to orthodontic movement. J. Clinical Pediatric Dentistry, Birmingham, v. 28, n. 2, p. 147-154, Winter 2004.
SILVA FILHO, O. G. et al. Atraso no desenvolvimento do segundo pré-molar superior: condição rara que exige ponderação. Ortodontia, São Paulo, v. 35, n. 3, p. 112-119, jul./set. 2002.
SILVA FILHO, O.G. et al. Delayed development of a maxillary left second premolar. J. Clinical Orthodontics, Hempstead, v. 36, n. 5, p. 291-295, May 2002.
SOUZA, S.M.C.M.B; COELHO, U.; JIMÉNEZ, E.E.O. Reabsorção radicular decorrente da movimentação ortodôntica, JBO, v.4, p.141, 1999.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

TEORIA E TÉCNICA ORTODÔNTICA IV (clique para fechar)

TRATAMENTO ORTODÔNTICO NAS FISSURAS OROFACIAIS E ANOMALIAS CRANIOFACIAIS (ver mais)

Proporcionar aos alunos o conhecimento das deformidades congênitas com ênfase nas fissuras de lábio e palato, abordando os aspectos da reabilitação estética e funcional e as limitações impostas pela presença de fissuras durante o tratamento.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Embriologia das fissuras orofaciais
2 – Etiologia e cIassificação das fissuras e síndromes
3 – Tratamento cirúrgico das fissuras
    • Queiloplastia
    • Palatoplastia
    • Faringoplastia
    • Rinoplastia
    • Cirurgias secundárias
4 – Enxertos ósseos alveolares
5 – Distração osteogênica
6 – Cirurgia ortognática: tratamento das deformidades congênitas
7 – Diagnóstico: análise facial, método alternativo adotado em cefalometria, análise de modelo e definição de objetivos
8 – Noções atuais de crescimento craniofacial na fissura: acompanhamento do crescimento pós-cirúrgico sem terapia
9 – Ortodontia interceptiva nas fissuras
10 – Tratamento ortodôntico corretivo: variações no aparelho , na mecânica e nos objetivos do tratamento
11 – Contenção e perspectiva da estabilidade pós tratamento em pacientes fissurados
12 – Análise de documentação e planejamento de casos
13 – Tratamento dos pacientes com fissuras (todos os tipos) matriculados no Hospital e em atendimento no setor de Ortodontia
14 – Atualidades: visão global da reabilitação em fissuras
15 – Abordagem das Anomalias Craniofaciais
16 – Seminários Clínicos

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ACKERMAN, J.L.; PROFFIT, W.R.; SARVER, D.M. The emerging soft tissue paradigms ib orthodontic diagnosis and treatment planning. Clin Orthod Res, Copenhagen, v.2, n.2, p.49-52, May 1999.
AIELLO, C. A. Efeitos ortopédicos e ortodônticos da tração reversa maxilar em pacientes com fissura transforame incisivo unilateral. 2005. 166f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Reabilitação) – Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais, Universidade de São Paulo, Bauru.
AL YAMI, E.A., KUJIPERS, J.A.M.; VAN’THOF, M.A. Stability of orthodontic outcome: follow-up until 10 years protretention. Amer. J. Orthod. Dentofacial Orthop., St. Louis, v.115, n.3, p.300-304, 1999.
ALMEIDA, A. M. Avaliação estética do perfil facial de indivíduos com fissura transforame incisivo unilateral reabilitados pelo Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais. 2005. 75f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Reabilitação) – Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais, Universidade de São Paulo, Bauru.
ASHER-McDADE, C. et al. A six-center internacional study of treatment outcome in patients with clefts of the lip and palate. IV. Assessment of nasolabial appearance. Cleft Palate Craniofac J., v. 29, p. 409-412, 1992.
BORTOLOZO, M. A. et al. Distalização de molares superiores com o pendulum/pendex: o aparelho, seu modo de ação, possibilidades e limitações. Rev. Dental Press Ortod. Ortop. Facial, Maringá, v. 6, n. 4, p. 43-50, jul./ago. 2001.
BRODER H. L., SMITH, F. B., STRAUSS, R. P. Habilitation of patients with clefts: parent and child ratings of satisfaction with appearance and speech. Cleft Palate Craniofac.J., v. 29, p. 262-267, 1992.
BRODER, H. L. , SMITH, F. B., STRAUSS, R. P. Effects of visible and invisible orofaicial defects on self-perception and adjustment across developmental eras and gender. Cleft Palate Craniofac. J., v. 31, p. 429-36, 1994.
CAPELLOZZA FILHO, L.; SILVA FILHO, O.G. Fissuras lábio-palatais. In: PETRELLI, E. Ortodontia para fonoaudiologia. Curitiba, Lovise, 1992, p.197-239.
CAPELOZZA FILHO, L. et al. Conceitos vigentes na etiologia das fissuras lábio-palatinas. Rev. Bras. Cirurg., v. 78, n. 4, p. 223-230, 1988.
CAPELOZZA FILHO, L. et. al. Ortodontia na dentadura mista em pacientes com fissura: avaliação da efetividade pelo exame da oclusão na dentadura permanente. Ortodontia, v. 28, n. 2, p. 71-78, 1995.
CAPELOZZA FILHO, L. et. al. Rapid maxillary expansion in cleft lig and palate petients. J. Clin. Orthodont., v. 28 n. 1 p. 34-39, 1994.
CAPELOZZA FILHO, L.; CAVASSAN, A..O., SILVA FILHO; O. G. Avaliação do crescimento craniofacial em portadores de fissuras transforame incisivo unilateral. Estudo transversal. Rev. Bras. Cirurg., v. 77, n. 1, p.97-106, 1987.
CAPELOZZA FILHO, L.; MARTINS, D.R., BROSCO, H. Alterações do arco mandibular em portadores de fissura transforame incisivo unilateral. Ortodontia, v. 11, n. 3, p.160-168, 1978.
CAPELOZZA FILHO, L.; MARTINS, D.R., MAZZOTTINI, R. Análise do diâmetro transverso do maxilar superior de portadores de fissura transforame incisivo unilateral. Ars Curandi Odont., v. 66, n. 6, p. 42-51,1979.
CAPELOZZA FILHO, L.; MAZZOTTINI, R., ABDO, R. C. C. Expansão rápida da maxila em fissurados adultos. Ars Curandi Odont., v. 7, n. 5, p. 209-224, 1980.
CAPELOZZA FILHO, L.; SILVA FILHO, O. G. Abordagem interdisciplinar no tratamento das fissuras labiopalatais. In: MÉLEGA, José Carlos (ed.). Cirurgia plástica fundamentos e arte: cirurgia reparadora da cabeça e pescoço. Rio de Janeiro: Medsi, 2002. 1063p. p. 59-88.
CAPELOZZA FILHO, L.; SOUZA FREITAS, J. A., SILVA FILHO, O. G. Avaliação do crescimento mandibular em fissurados transforame incisivo unilateral. Ortodontia, v. 14,n. 3, p.199-210, 1981.
CAPELOZZA FILHO, L.; TANIGUCHI, S. M.; SILVA FILHO, O. G. Craniofacial morphology of adult unoperated complete unilateral cleft lip and palate patients. Cleft Palate Craniofac., v. 30, n. 4, p.376-381, 1993.
CARICATI, J. A. P. et al. Confecção do contensor removível Osamu. Rev. Clín. Ortod. Dental Press, Maringá, v. 4, n. 2, p. 22-28, abr./maio 2005.
CAVASSAN, A. O.; ALBUQUERQUE, M. D’ A.; CAPELOZZA FILHO, L.. Rapid maxillary expansion after secondary alveolar bono graft in a patient with bilateral cleft lip and palate. Cleft Palate-Craniofacial J., Pittsburgh, v. 41, n. 3, p. 332-339, May 2004.
CAVASSAN, A. O.; BOIANI, E. C.; SILVA FILHO, O. G. Expansão rápida da maxila após o enxerto ósseo secundário, em pacientes com fissura alveolar. Ortodontia, São Paulo, v. 37, n. 2, p. 69-76, maio/ago. 2004.
CLIFFORD, E., CHOCKER, E. C., POPE, B. Psychological findngs in the adulthood of 98 cleft lip-palate children. Plast reconstr Surg., v. 50, p. 234-237, 1972.
FERRARI JUNIOR, F. M. Avaliação da estética facial de pacientes adultos com fissura transforame incisivo bilateral, reabilitados pelo protocolo de tratamento do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais. 2005. 69f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Reabilitação) – Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais, Universidade de São Paulo, Bauru.
FREITAS, J. A. S. et al. Current data on the characterization of oral cleft in Brazil. Pesquisa Odontológica Brasileira, São Paulo, v. 18, n. 2, p. 128-133, Apr./Jun. 2004.
FREITAS, J. A. S. et al. Tendência familial das fissuras lábio-palatais. Rev. Dental Press de Ortod. Ortop. Facial, Maringá, v. 9, n. 5, p. 74-78, set./out. 2004.
HELLER, A., TIDMARSH, W., PLESS, I. B. A psychological functioning of young adults born with cleft lip or palate. A follow up sutdy. Clin Pediat., v. 20, p. 459-65,1981.
KAPP, K. Self concept of the cleft lip and palate child. Cleft Palate J., v. 16, p. 1712-76,1979.
LAURIS, R. C.M. C. Avaliação da estética facial de pacientes com fissura transforame incisivo bilateral, submetidos ao protocolo de cirurgias do HRAC-USP. 2005. 52f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Reabilitação) – Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais, Universidade de São Paulo, Bauru.
MARS, M. et al. A six-center international study of treatment outcome in patients with clefts of the and palate. III. Dental arch relationships. Cleft Palate Craniofac.J., v. 29, p. 405-408, 1992.
MARS, M. et al. The Goston Yardstick: a new system of assessing dental arch relatioships in children with unilateral clefts of the lip and palate. Cleft Palate J., v. 24, p. 314-322, 1987.
MOLSTED, K. et al. A six-center international study of treatment outcome in patients with clefts of the lip and palate. II. Craniofacial form and soft tissue profile. Cleft Palate Craniofac.J., v. 29, p. 398-404, 1992.
MOLSTED, K. et al. A six-center international study of treatment outcome in patients with clefts of the lip and palate: evalution of maxillary asymmetry. Cleft Palate Craniofac.J., v. 30, p. 22-28, 1993.
NAGEM FILHO, H., MORAES, N., ROCHA, R. G.F. Contribuição para o estudo da prevalência das malformações congênitas lábio-palatais na população escolar de Bauru. Rev. Fac. Odont. S.Paulo, v. 6, p. 111-128, 1968.
NOAR, J. A. A questionnaire survey of attitudes and concerns of three professional groups involved in the cleft palate team. Cleft Palate Craniofac.J., v. 29, p. 92-95, 1992.
RIBEIRO, R. M. P. Avaliação da estética gengival em próteses unitárias implanto-suportadas em áreas de fissura alveolar enxertada. 2005. 78f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Reabilitação) – Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais, Universidade de São Paulo, Bauru.
RICHMAN, L. C. Self-reported social, speech, and facial concerns and personality adjustment of adolescents with cleft lip and palate. Cleft Palate J., v. 20, p. 108-12,1983.
SHASHUA, D.; OMNELL, M.L. Radiographic determnination of the position of the maxillary lateral incisor in the cleft alveolus and parameters for assessing its habilitation prospects. Cleft Palate Craniofac. J., Pittsburgh, v.37, n.1, p.21-25, Jan. 2000.
SHAW, W. C. et al. A six-center international study of treatment outcome in patients with clefts of the lip and palate. I. Principles and study design. Cleft Palate Craniofac.J., v. 29, p. 393-397, 1992a.
SILVA FILHO, O G. et al. – Enxerto ósseo alveolar em pacientes fissurados e perspectiva. Ortodontia, v. 28, n. 1, p. 34-35, 1995.
SILVA FILHO, O. G. et al Fissura submucosa: evidência tomográfica do defeito ósseo na extremidade posterior do palato duro. J. Brasil. Fonoaudiologia, Curitiba, v. 5, n. 19, p. 71-77, abr./jul. 2004.
SILVA FILHO, O. G. et al Influence of lip repair on craniofacial morphology of patients with complete bilateral cleft lip and palate. Cleft Palate-Craniofacial Journal, Pittsburgh, v. 40, n. 2, p. 144-153, Mar. 2003.
SILVA FILHO, O. G. et al. Anquilose intencional de caninos decíduos: reforço de ancoragem para a tração reversa da maxila. Rev. Clín. Ortod. Dental Press, Maringá, v. 2, n. 3, p. 33-43, jun./jul. 2003.
SILVA FILHO, O. G. et al. Expansão rápida da maxila: comportamento transversal do arco dentário superior durante e 5 anos após o tratamento ortodôntico. Ortodontia, São Paulo, v. 37, n. 1, p. 58-69, jan./abr. 2004.
SILVA FILHO, O. G. et al. Intentional ankylosis of deciduous canines to reinforce maxillary protraction. J. Clin. Orthod., Hempstead, v. 37, n. 6, p. 315-320, June 2003.
SILVA FILHO, O. G., ALMEIDA, R. R. Fissuras lábio-palatais: o que o cirurgião dentista precisa saber. Univ. Fed. Odont., Lins, v. 5, n. 2, p. 7-18, 1992.
SILVA FILHO, O. G., NORMANDO, A. D. C., CAPELOZZA FILHO, L. Enfoque geométrico na avaliação das bases apicais do paciente portador de fissura de palato (fissura pós-forame incisivo). Ortodontia, v. 24, n. 1, p. 52-60, 1991.
SILVA FILHO, O. G., NORMANDO, A. D. C.; CAPELOZZA FILHO, L. Mandibular growth in patients with cleft lip and/or cleft palate – the influence of cleft type. Amer.J.Orthodont. Dentofac.Orthop., v. 104, n. 3, p. 269-275, 1993.
SILVA FILHO, O. G., RAMOS, A. L., ABDO, R. C. C. The influence of unilateral cleft lip and palate on maxillary dental arch morphology. Angle Orthodont., v. 62, n. 4, p. 283-290, 1992.
SILVA FILHO, O. G.; AIELLO, C. A.; FONTES, M. V.. Aparelho Herbst: protocolos de tratamento precoce e tardio. Rev. Dental Press de Ortod. Ortop. Facial, Maringá, v. 10, n. 1, p. 30-45, jan./fev. 2005.
SILVA FILHO, O. G.; BOAS, M. C. V.; CAPELOZZA FILHO, L. Rapid maxillary in the primary and mixed dentition: a cephalometric evaluation. Amer.J.Orthodont.Dentofac.Orthop., v. 100, n. 2, p. 171-81, 1991.
SILVA FILHO, O. G.; CAVASSAN, A. O., NORMANDO, A. D. C. Influência da palatoplastia no padrão facial de pacientes portadores de fissura pós-forame incisivo. Rev.bras.Cirurg., v. 79, n. 6, p. 315-322, 1989.
SILVA FILHO, O. G.; CAVASSAN, A. O., SAMPAIO, L. L. Avaliação do padrão cefalométrico em pacientes portadores de fissura pós-forame incisivo não operados. Rev.bras.Cirurg., v. 79, n. 3, p. 137-147, 1989.
SILVA FILHO, O. G.; NORMANDO, A. D. C.; CAPELOZZA FILHO, L. Mandibular morphology and spatial position in patients with clefts: intrinsic of iatrogenic? Cleft PalateCraniofac., v. 29, n. 4, p. 369-375, 1992.
SILVA FILHO, O. G.; OKADA, T., PEREIRA, A. M. L. Avaliação morfológica e quantitativa do arco dentário superior de adultos portadores de fissura pré-forame completa, não operados. Rev. Bras.Cirurg., v. 81, n. 6, p. 279-285, 1991.
SILVA FILHO, O. G.; RAMOS , A. L., CAPELOZZA FILHO, L. La influencia de la queiloplastia y de la palatoplastia en la determinción de la forma del arco dentario superior en fissurados de labio y paladar. Rev.esp.Otodonc., v. 21, n. 3, p. 237-249, 1991.
SILVA FILHO, O. G.; RAMOS, A. L., CAPELOZZA FILHO, L. Influência da queiloplastia nas dimensões e forma do arco dentário superior em adultos fissurados de lábio e palato. Rev. Soc. bras.Ortodont., v. 1, n. 9, p. 269-275, 1991.
SILVA FILHO, O. G.; ROCHA, R., CAPELOZZA FILHO, L. Padrão facial do paciente portador de fissura pré-forame incisivo unilateral completa. Rev.bras.Cirurg., v. 79, n. 4, p.197-205, 1989.
SILVA FILHO, O.G. et al. Contenção fixa inferior 3 x 3: considerações sobre asua confecção, colagem direta e remoção. Rev. Clin. Ortodont. Dental Press, Maringá, v.3. n.6, p.17-24, 2004.
SILVA FILHO, O.G. et al. Expansão rápide da maxila: um ensaio sobre a sua instabilidade. Rev. Dental Press Ortodont. Ortop. Facial, Maringá, v.8, n.1, 17-36, jan./fev. 2003.
SILVA FILHO, O.G. et. al. Classificação das fissuras lábio-palatais: breve histórico, considerações clínicas e sugestões de modificação. Rev.bras.Cirurg., v. 82, n. 2, p. 51-65, 1992.
SILVA FILHO, O.G. OKADA, T.; FREITAS, J.A.S. Fissuras lábio-palatais: diagnóstico e uma filosofia interdisciplinar de tratamento. In: PINTO, V.G. Saúde bucal coletiva. 4.ed, São Paulo, Santos, 2000. P.481-527.
SILVA FILHO, O.G.; RAMOS, A. L.; ABDO, R. C. C. Morfologia dos arcos dentários em pacientes portadores de fissura de lábio e palato, não operados. Ortodontia, v. 24, n. 1, p. 9-17, 1991.
SILVA, M. L. N.; SILVA FILHO, O. G.; FREITAS, J. A. S. Abordagem interdisciplinar no tratamento das fissuras labiopalatinas. In: CAMPOS, C, A. H.; COSTA, H. O. O. (ed.). Tratado de otorrinolaringologia. São Paulo: Roca, 2003. 720p. p. 534-566.
SOUZA FREITAS, J. A. et. al. Avaliação das alterações do arco dentário superior em indivíduos portadores de fissura transforame incisivo unilateral. Ortodontia, v. 25, n. 1, p. 18-26, 1995.
ZOPONE, N.. Estudo da estética facial após cirurgias primárias em pacientes de cinco a dez anos com fissura transforame incisivo unilateral. 2005. 155f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Reabilitação) – Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais, Universidade de São Paulo, Bauru.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

TRATAMENTO ORTODÔNTICO NAS FISSURAS OROFACIAIS E ANOMALIAS CRANIOFACIAIS (clique para fechar)

ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA (clique para fechar)

 

ESPECIALIZAÇÃO EM PERIODONTIA (ver mais)

 

NATUREZA DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL: Curso de Especialização em Periodontia

PRÉ-REQUISITO: Graduados em Odontologia

COORDENADORA: Dra. Ana Lucia Pompéia Fraga de Almeida

VICE-COORDENADOR: Dr. Sebastião Luiz Aguiar Greghi

DURAÇÃO: 24 meses

CARGA HORÁRIA TOTAL: 2.556 horas, sendo 2.448 horas (Área de Concentração + Área Conexa) e 108 horas de Disciplinas Obrigatórias.

• Área de Concentração:

Disciplinas Teórica Prática Total
Medicina Periodontal 34h 306h 340h
Periodontia Básica 100h 702h 802h
Terapêutica Periodontal 100h 726h 826h
TOTAL 234h 1.734h 1.968h

• Área Conexa:

Disciplinas Teórica Prática Total
Emergência Médica em Odontologia 15h 5h 20h
Farmacologia 16h 20h 36h
Implantodontia 80h 276h 356h
Microbiologia 20h 12h 32h
Radiologia e Estomatologia 16h 20h 36h
TOTAL 147h 333h 480h

• Disciplinas Obrigatórias:
(não poderão ser consideradas no cálculo da carga horária entre as disciplinas da área conexa e concentração)

Disciplinas Teórica Prática Total
Bioética 16h 16h
Ética e Legislação Odontológica 30h 2h 32h
Metodologia Científica 60h 60h
TOTAL 106h 2h 108h

PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS:

EMERGÊNCIA MÉDICA EM ODONTOLOGIA (ver mais)

Preparar o cirurgião-dentista, a reconhecer e instituir medidas de pronto-atendimento na ocorrência de situações emergenciais desencadeadas em âmbito odontológico, recebendo treinamento para executar manobras de Suporte Básico de Vida, bem como indicar e manusear drogas, equipamentos e acessórios empregados em tais situações.

Situações de emergência médica, embora incomuns, podem ocorrer na clínica odontológica de forma imprevisível, sem regras ou padrões definidos. O aumento da frequência de atendimento odontológico de idosos em virtude do aumento da expectativa de vida, torna mais provável a ocorrência de alterações sistêmicas durante o tratamento dentário. Tal realidade obriga o profissional a adotar precauções que vão desde uma correta avaliação do estado geral de saúde até o treinamento em situações de emergência médica aumentando a segurança clínica no atendimento de pacientes que requerem cuidados especiais.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Introdução
    Anamnese e avaliação dos sinais vitais
    Classificação e incidência das situações de emergência
    Recomendações básicas
    Controle de ansiedade
2. Suporte Básico de Vida (SBV)
    Protocolo do SBV
3. Alteração ou perda da consciência
    Lipotímia ou síncope
    Hipoglicemia aguda
    Hipotensão ortostática
    Acidente vascular cerebral
    Insuficiência renal aguda
4. Dificuldade respiratória
    Hiperventilação
    Crise asmática
    Edema pulmonar
    Obstrução das vias aéreas por corpo estranho
5. Dor no peito e arritmias cardíacas
    Angina
    Infarto do miocárdio
    Bradicardia sinusal
    Taquicardias
6. Crise hipertensiva arterial
7. Reações alérgicas
    Aos anestésicos locais
    Aos antibióticos
    Aos anti-inflamatórios e analgésicos
    Outras substâncias de uso odontológico
8. Crises convulsivas
9. Equipamento de emergência
    Drogas e medicamentos
    Acessórios para administração de injetáveis
    Outros materiais
10. Administração de drogas injetáveis
    Vias de administração de injetáveis
    Injeção subcutânea (SC)
    Injeção intramuscular (IM)
    Injeção intravenosa (IV)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

CARVALHO, C. Emergências médicas no atendimento odontológico. Rev Bras. Odontol., 60 (2): 108-11, mar-abr., 2003
MALAMED, S.F. Manual de anestesia local. 5. ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2004.
RANALI, J.; ANDRADE, E. D. Emergências médicas em Odontologia. 2. ed. Artes Médicas, 2004.
SINGI, G. Fisiologia para Odontologia – Atendimento de paciente especiais e primeiros socorros médicos. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 1998.
TORTAMANO, N.; ARMONIA, P. L. Como prescrever em Odontologia. 6. ed. São Paulo, Livraria e Editora Santos, 2004.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

EMERGÊNCIA MÉDICA EM ODONTOLOGIA (clique para fechar)

FARMACOLOGIA (ver mais)

Complementar conhecimentos relativos a diferentes fármacos e medicamentos de uso odontológico, bem como, dos seus mecanismos de ação.

O estudo da farmacologia se faz necessário para que o especialista tenha condições de prescrever fármacos e identificar suas possíveis interações medicamentosas.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Os anti-inflamatórios e analgésicos:
    – Fisiopatologia da dor e da inflamação
    – AAS e derivados da aminopirina e do para-aminofenol
    – Outros anti-inflamatórios
2. Os anestésicos:
    – Os anestésicos locais
    – Os anestésicos gerais
    – Medicação pré-anestésica
    – Os opióides
3. Os tranquilizantes:
    – Os benzodiazepínicos
    – As fenotianinas
4. As alergias e os anti-histamínicos:
    – Fisiopatologia da reação alérgica. A histamina e os receptores H1
    – Os anti-histamínicos
5. Os antibióticos:
    – Introdução:
        • susceptibilidade e resistência
        • simergismo e antagonismo
    – As penicilinas naturais e semi-sintéticas
    – As cefalosporinas
    – As sulfas e o trimetropin
    – As tetraciclinas e a eritromicina
    – Os aminoglicosídeos
    – A rifocina e derivados
    – Hemostáticos locais e gerais

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

RANG, H. P.; DALE, M. M., RITTER, J. M. Farmacologia. 4.ed. São Paulo: Guanabara Koogan, 2001
OBS.: Revisões atualizadas serão fornecidas pelo professor, aos alunos, 30 dias antes do início do curso.

FARMACOLOGIA (clique para fechar)

IMPLANTODONTIA (ver mais)

Introduzir e treinar os alunos para as principais técnicas de implantodontia osseointegrada.

Fornecer conhecimentos científicos básicos sobre biologia do tecido ósseo, princípios e técnica cirúrgica em implantodontia e procedimentos protéticos clínicos e laboratoriais.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Histórico da Implantodontia
2 – Princípios biológicos da osseointegração
    • Pacientes irradiados
    • Fumantes
    • Osteoporose
    • Diabetes
    • Hipertensão
    • Pacientes jovens
3 – Biologia e patologia dos tecidos moles periimplantares
4 – Tipos de implantes: características de superfície, formas, tamanhos
5 – Sistemas de implantes
6 – Planejamento cirúrgico: planejamento reverso
7 – Técnica cirúrgica de instalação de implantes em desdentados parciais
    • Unitários em área anterior
    • Unitários em área posterior
    • Múltiplos em área anterior (estética)
    • Múltiplos em área posterior
    • Instalação pela técnica da expansão do rebordo
8 – Técnica cirúrgica de instalação de implantes em desdentados totais
    • Protocolo inferior
    • Protocolo superior
    • Riscos e complicações trans e pós-cirúrgicas
9 – Técnica cirúrgica de instalação de cicatrizadores
10 – Manejo de tecido mole: retalhos para aquisição de mucosa queratinizada e aquisição da estética, condicionamento tecidual
11 – Carga imediata
12 – Técnicas cirúrgicas de levantamento de seio maxilar e enxerto ósseo
13 – Ancoragem ortodôntica sobre implantes osseointegrados – pacientes jovens
14 – Terapia de manutenção em implantodontia
15 – Discussão de literatura pertinente

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ADELL, R. et al. A 15-year study of osseointegrated implants in the treatment of the edentulous jaw. Int.Oral Surg., v. 10, p. 387-416, 1981.
AKAGAWA, Y. et al. Initial bone-implant intefaces of submergibe and supramergible endosseous single-crystal sapphire implantes. J.Prosthet.Dent., v. 55, p. 96-100,1986.
ALBREKTSSON, T. Directbone anchorage of dental implants. J.Prosthet.Dent., v. 55, p. 255-261, 1983.
ERIKSSON, A. R., ALBREKTSSON, T. Temperature threshold levels for heat-induced bone tissue injury: a vital microscopy study in the rabbit. J.Prosthet.Dent., v. 50, p. 101-107, 1983.
HARALDSON, T. Comparisons of chewing patterns in patients with bridges supported on osseointegated implants and subjects with natural dentitions. Acta Odont.scand., v. 41, p. 203-208, 1983.
KASEMO, B.; LAUSMAA, J. Metal selection and surface characteristics. In: BRANEMARK, P. I., ZARB, G. A., ALBREKTSSON, T. (ed.) Tissue integrated protheses. Chicago: Quintessence, 1985. p. 99-116
MOHL, N. D. et al. A textbook of occlusion. Chicago: Quintessence, 1988. p. 79-118
NISENGARD, R. J. The role of immunology in periodontal disease. J.Periodont., v. 48, p. 505-516, 1977.
WEISS, C. M. Tissue integration of dental endosseous implants: description and comparative analysis of the fibro-osseous integration and osseous integration systems.J.Oral Implants, v. 12, p. 169-214, 1986.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

IMPLANTODONTIA (clique para fechar)

MEDICINA PERIODONTAL (ver mais)

Propiciar conhecimento teórico e prático da inter-relação das doenças periodontais com as doenças sistêmicas.

O conhecimento da inter-relação da doença periodontal com algumas doenças sistêmicas poderá ajudar no tratamento, prevenção e restabelecimento da saúde em geral.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Doenças periodontal e sistêmica
2 – Fatores de risco na doença periodontal
3 – História clínica e testes laboratoriais
4 – Fatores genéticos associados à doença periodontal
5 – Doenças cardiovasculares e infecções orais
6 – Relação entre doença periodontal e doenças respiratórias
7 – Uso do tabaco e as intervenções
8 – Diabetes mellitus
9 – Medicina periodontal e a mulher como paciente
10 – Osteopenia, osteoporose e doença bucal
11 – Infecção pelo HIV e doenças periodontais
12 – Doença e manipulação periodontal em pacientes com câncer
13 – Considerações periodontais em pacientes com transplante de medula óssea
14 – Discussão de literatura pertinente

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

BAELUM, V., Lopez, R. Periodontal epidemiology: towards social science or molecular biology? Community Dent Oral Epidem., v. 32, n. 4, p. 239-249, Aug. 2004. [review] BRUNETTE, M. Periodontia médica. São Paulo, Senac, 2003.
CARRANZA. Periodontia clínica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004.
CHAMPAGNE, C. M. et al. Periodontal medicine: emerging concepts in pregnancy outcomes. J.Int.Acad.Periodont., v. 2, n. 1, p. 9-13, Jan. 2000. [review] DESVARIEUX, M. Periodontal disease, race, and vascular disease. Compend.Continuing Educ.Dent., v. 22, n.3, p. 34-41, July 2001. [review] TENG, Y. T. et al. Periodontal health and systemic disorders. J.Canad.Dent.Ass., v. 68, n. 3, p. 188-192, Mar. 2002. [review] GENGO, R. J. Periodontia contemporânea. São Paulo: Santos Editora,1999. ROSE, L. F. et al. Medicina periodontal. São Paulo: Santos Editora, 2002.
JIN, L. J., CHIU, G. K., CORBET, E. F. Are periodontal diseases risk factors for certain systemic disorders – what matters to medical practitioners? Hong Kong Med.J., v. 9, n. 1, p. 31-37, Feb. 2003. [review] LINDHE, J. Tratado de periodontia clínica e implantodontologia oral. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999
PAQUETTE, D. W. et al. The concept of “risk” and the emerging discipline of periodontal medicine. J.Contemp.Dent.Pract., v. 15, n. 1, p. 1-8, Nov. 1999. [review] TEEL, R. Protecting the next generation. The dental hygienist’s role in managing periodontal disease as a risk factor for low-birth-weight babies. Dent.Today, v. 21, n. 5, p. 46-49, May 2002.
WILLIAMS, R. C., PAQUETTE, D. W. Understanding the pathogenesis of periodontitis: a century of discovery. J.Int.Acad.Periodont., v. 2, n. 3, p. 59-63, July 2000.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

MEDICINA PERIODONTAL (clique para fechar)

MICROBIOLOGIA (ver mais)

Oferecer ao aluno, conhecimentos de microbiologia e imunologia que possam ser aplicados na solução de problemas clínicos relacionados com a ação patogênica dos microorganismos.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Microbiologia das doenças periodontais
2. Papel do cálculo dentário e outros fatores predisponentes
3. Interação microbiana com o hospedeiro nas doenças periodontais
4. Imunologia básica
5. Imunologia nas doenças periodontais

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

Abbas, Abul K.; Pober, Jordan S.; Lichtman, Andrew H. – Cellular and Molecular Immunology- 5th edition, WB Saunders, 2003
Janeway, charles ª; Travers, Paul – Imunobiologia – O Sitema Imune na Saúde e na Doença – 5a Edição, Artmed Sul, 2002.
Microbiological diagnostics in periodontics: biological significance and clinical validity Periodontology 2000, Vol. 39, 2005, 40–52
Nisengard, RJ; Newman, M.G. Microbiologia Oral e Imunologia. 2 ed. Rio de Janeiro, Guanabara-koogan, 1994.
Paul, Willian E. – Fundamental Immunology – 5th edition, Lippincott Williams & Wilkins Publishers, 2003.
Periodontology 2000 June 2005 – Vol. 38 Issue 1 Page 9-187

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

MICROBIOLOGIA (clique para fechar)

PERIODONTIA BÁSICA (ver mais)

Complementar os conhecimentos dos alunos quanto à etiopatogenia, diagnóstico e tratamento das periodontopatias.

Os tecidos de proteção e sustentação são de suma importância nas reabilitações orais. O aluno deverá ser capaz de identificar e tratar as patologias do periodonto.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Anatomia e fisiologia do periodonto
2 – Histologia dos tecidos periodontais
3 – Tratamento básico
    • Preparo inicial:
        a) Raspagem e alisamento corono-radicular
        b) Higiene e fisiologia oral
        c) Eliminação de fatores ambientais locais
        d) Movimentos menores dos dentes
        e) Contenção de dentes móveis
        f) Reavaliação
    • Prognóstico
    • Plano de tratamento
4 – Etiopatogenia das doenças periodontais
    • Mecanismos de defesa da gengiva
    • Inflamação gengival
    • Característica clínica da gengivite
    • Infecções gengivais agudas
    • Doenças gengivais na infância
    • Gengivite descamativa
5 – Epidemiologia das doenças gengivais e periodontais
6 – Epidemiologia das doenças periodontais em indivíduos com fissuras labiopalatinas
7 – Técnicas e métodos de levantamento epidemiológico
8 – Análise aplicada dos diferentes tipos de envolvimento periodontal em relação aos níveis de prevenção de Leavell & Clark
9 – Planejamento de prevenção e manutenção ao nível de consultório
10 – Planejamento de prevenção e manutenção em bases populacionais
11 – Seminários e Discussão de literatura pertinente

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ARMITAGE, G. C. Classifying periodontal diseases – a long-standing dilemma. Periodont. 2000, v. 30, p. 9-23, 2002 [review] BAELUM, V., LOPEZ R. Periodontal epidemiology: towards social science or molecular biology? Community Dent.Oral Epidem., v. 32, n. 4, p. 239-249, Aug. 2004. [review] BORGHETTI, A., MONNET-CORTI, V. Cirurgia plástica periodontal. Porto Alegre: Artmed, 2002.
CARRANZA. Periodontia clínica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004.
COBB, C. M. Clinical significance of non-surgical periodontal therapy: an evidence-based perspective of scaling and root planing. J.Clin.Periodont., v. 29, p. 6-16, May 2002. /Supplement 2/ [review] DAVENPORT, C. F. et al. The effectiveness of routine dental checks: a systematic review of the evidence base. Brit.Dent.J., v. 195, n. 2, p. 87-98, July 2003. [discussion 85] DAVIES, R. M. The prevention of dental caries and periodontal disease from the cradle to the grave: what is the best available evidence? Dent.Update, v. 30, n. 4, p. 170-176, May 2003. [review] DUARTE, C. A. Cirurgia estética periodontal. São Paulo: Santos Editora, 2004.
DUARTE, C. A. Cirurgia periodontal: pré-protética e estética. São Paulo: Santos Editora, 2002.
FORREST, J. L., MILLER, S. A. Manual versus powered toothbrushes: a summary of the Cochrane. II. Oral Health Group’s Systematic Review. J.Dent.Hyg., v. 78, n. 2, p. 349-354, Spring 2004.
GENGO, R. J. Periodontia contemporânea. São Paulo: Santos Livraria e Editora,1999.
HEITZ-MAYFIELD, L. J. A sistematic review of the effect of surgical debridement vs non-surgical debridement for the treatment of chronic periodontitis. J.Clin.Periodont., v. 29,
LINDHE, J. Tratado de periodontia clínica e implantodontologia oral. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004
NOVAES JR., A. B., NOVAES, A. B. Periodontia e implantodontia. São Paulo: Artes Médica, 2004.
SJOGREN, P., HALLING, A. Randomised controlled trials and publication trends in periodontal research during 1980-2000. J.Clin.Periodont., v. 29, n. 12, p. 1112-1117, Dec. 2002.
WHITE, B. A., MAUPOME, G. Making clinical decisions for dental care: concepts to consider. Spec.Care Dent., v. 23, n. 5, p. 168-172, Sept./Oct. 2003 [review] WILLIAMS, R. C., PAQUETTE, D. W. Understanding the pathogenesis of periodontitis: a century of discovery. J.Int.Acad.Periodont., v. 2, n. 3, p. 59-63, July 2000.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

PERIODONTIA BÁSICA (clique para fechar)

RADIOLOGIA E ESTOMATOLOGIA (ver mais)

O exame radiográfico na clínica odontológica é imprescindível para execução do diagnóstico e tratamento odontológico. Os docentes e profissionais não-radiologistas têm necessidade de fazer uma radiografia de boa qualidade, com o mínimo de irradiação no paciente e saber interpretar as radiografias, distinguindo o normal e o patológico.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Semiologia:
    • Conceitos
    • Exame clínico (anamnese e exame físico)
    • Lesões fundamentais e principais lesões de superfície da mucosa bucal
2 – Fatores que influenciam a imagem radiográfica
3 – Radiologia:
    • Efeitos biológicos
    • Proteção em radiologia odontológica
4 – Interpretação radiográfica dento-maxilar e craniofacial
5 – Métodos de interpretação radiográfica dento-maxilar e craniofacial
6 – Métodos de localização radiográfica
7 – Técnica e interpretação de radiografias panorâmica e periapical
8 – Tomografia computadorizada

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ALVARES, L. C.; FREITAS, J. A. S.; CAPELOZZA, A. L. A. Glossário de termos técnicos de radiologia odontológica e radiobiologia. Bauru: EDUSC, 2000.
ALVARES, L. C.; TAVANO, O. Curso de radiologia em odontologia. 4.ed. São Paulo: Santos, 1998.
ANDRADE, E. D.; RANALI, J. Emergências médicas em odontologia. São Paulo: ArtesMédicas, 2002.
BORAKS, S. Diagnóstico bucal. 3.ed. São Paulo: Artes Médicas, 2001.
BORK, K. et. al. Diseases of the oral mucosa and lips. Philadelphia: W. B. Saunders Company, 1996.
CAWSON, R. A.;BINNIE, W. H.; EVERSON, J. W. Atlas colorido de enfermidades da boca: correlações clínicas e patológicas. 2.ed. Rio de Janeiro: Artes Médicas, 1995.
COLEMAN, G. C.; NELSON, J. F. Princípios de diagnóstico bucal. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1996.
FREITAS, A.; SOUZA, I. F.; ROSA, J. E. Radiologia odontológica. 4.ed. São Paulo: Artes Médicas, 1998.
KIGNEL, S. Diagnóstico bucal. São Paulo: Robe Editorial, 1997.
LANGLAND, O. E.; LANGLAIS, R. P. Princípios de diagnóstico por imagem em odontologia. São Paulo: Santos, 2002.
LASKARIS, G. Atlas colorido de doenças bucais da infância e da adolescência. São Paulo: Artemed, 2000.
NEVILLE, B. W. et al. Patologia oral and maxilofacial. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1995.
ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Oral health surveys: basic methods. 4.ed. São Paulo: Santos, 1999.
REGEZI, J. A.; SCIUBBA, J. J. Patologia bucal: correlações clinicopatológicas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1991.
REICHART, Peter A.; PHILIPSEN, Hans Peter. Patologia bucal. Porto Alegre: Artmed, 2000. 284 p.
ROSA, J. E., TAVARES, D. Métodos radiográficos especiais para o dentista clínico. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1985
SCULLY, C.; FLINT, S. R.; PORTER, S. R. Atlas colorido de doenças da boca: diagnóstico e tratamento. 2.ed. Rio de Janeiro: Revinter, 1997.
SHEAR, M. Cistos da região bucomaxilofacial: diagnóstico e tratamento. 3.ed. São Paulo: Santos, 1999.
WHAITES, E. Princípios de radiologia odontológica. 3.ed. Porto Alegre: Artemed, 2003.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

RADIOLOGIA E ESTOMATOLOGIA (clique para fechar)

TERAPÊUTICA PERIODONTAL (ver mais)

Complementar o conhecimento dos alunos quanto à etiopatogenia, diagnóstico e tratamento das periodontopatias.

Os tecidos de proteção e sustentação são de suma importância nas reabilitações orais. O aluno deverá ser capaz de identificar e tratar as patologias do periodonto.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Classificação das doenças e condições que afetam o periodonto
2 – Diagnóstico, prognóstico e plano de tratamento
    • Diagnóstico clínico
    • Auxílio radiográfico no diagnóstico da doença periodontal
    • Técnicas diagnósticas avançadas
    • Avaliação de risco
    • Níveis de significância clínica
    • Determinação de prognóstico
    • Plano de tratamento
3 – Reparo de ferida cirúrgica
4 – Tratamento não cirúrgico
5 – Tratamento cirúrgico das bolsas periodontais supra e infra-óssea
    • Fatores que governam a eliminação das bolsas periodontais
    • Retalho de Widman
    • Gengivoplastia / Gengivectomia
    • Cirurgias a retalho: osteotomia, osteoplastia, recuperação das distâncias biológicas, RAI
6 – Técnicas regenerativas: regeneração tecidual guiada, regeneração óssea guiada
7 – Tratamento das lesões inter-radiculares
    • Filosofia de tratamento
    • Prognóstico
    • Racionalização do tratamento e métodos cirúrgicos
8 – Cirurgia plástica periodontal
    • Enxerto gengival livre
    • Enxerto gengival pediculado
    • Técnicas para aumento de rebordo alveolar
    • Frenectomia, frenotomia
    • Cunha distal e interproximal
    • Técnicas para aprofundamento de vestíbulo
9 – Lesões endo-periodontais
    • Diagnóstico diferencial
    • Métodos de tratamento
10 – Manutenção em periodontia
    • Avaliação periódica do tratamento
    • Controle dos fatores etiológicos
11 – Inter-relação Periodontia e Dentística Restauradora
12 – Inter-relação Periodontia e Prótese Dentária
13 – Inter-relação Periodontia e Ortodontia
14 – Laserterapia
15 – Princípios oclusais de interesse na Periodontia
    • Conceitos de oclusão
    • Posições oclusais
    • Movimentos mandibulares
    • Ajuste oclusal
16 – Periodontia Baseada em Evidências
17 – Discussão da literatura pertinente

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

BORGHETTI, A., MONNET-CORTI, V. Cirurgia plástica periodontal. Porto Alegre: Artmed, 2002.
CARRANZA. Periodontia clínica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004.
DUARTE, C. A. Cirurgia Estética Periodontal. São Paulo: Santos Editora, 2004.
DUARTE, C. A. Cirurgia Periodontal: pré-protética e estética. São Paulo: Santos Editora, 2002.
GENGO, R. J. Periodontia contemporânea. São Paulo: Santos Livraria e Editora,1999.
GENOVESE, W.J. Laser de baixa intensidade: aplicações terapêuticas em odontologia. São Paulo, Lovise, 200-
GOLDMAN, H. M., COHEN, D. W. Periodontal therapy. Philadelphia: Saunders, 1980.
HIZATUGU, R., VALDRIGHI, L. Endodontia: considerações biológicas e aplicações clínicas. Piracicaba: Aloisi, 1974.
KENNEY, W. et al. The relation of manual dentistry and knowledge to performance of oral hygiene. J.Periodont.Res., 1976. p. 67-73
LINDHE, J. Tratado de periodontia clínica e implantodontologia oral. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999
NOVAES JR., A. B., NOVAES, A. B. Periodontia e implantodontia. São Paulo: Artes Médica, 2004.
NOWZARI, H. Periodontologia 2000: terapia periodontal estética. São Paulo: Santos Editora, 2003.
ROBERTSON, P. B., DeROUEN, T. A. Periodontologia 2000: controvérsias em periodontia. São Paulo: Santos Editora, 2003.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

TERAPÊUTICA PERIODONTAL (clique para fechar)

ESPECIALIZAÇÃO EM PERIODONTIA (clique para fechar)

 

ESPECIALIZAÇÃO EM PRÓTESE DENTÁRIA (ver mais)

 

NATUREZA DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL: Curso de Especialização em Prótese Dentária

PRÉ-REQUISITO: Graduados em Odontologia

COORDENADORA: Dra. Simone Soares

VICE-COORDENADORA: Dra. Lucimar Falavinha Vieira

DURAÇÃO: 24 meses

CARGA HORÁRIA TOTAL: 3.744 horas, sendo 3.636 horas (Área de Concentração + Área Conexa) e 108 horas de Disciplinas Obrigatórias.

• Área de Concentração:

Disciplinas Teórica Prática Total
Disfunção Temporomandibular 48h 432h 480h
Oclusão 11h 97h 108h
Prótese Fixa 58h 409h 467h
Prótese Removível 83h 642h 725h
Prótese Total 47h 429h 476h
Reabilitação Oral 101h 915h 1.016h
TOTAL 348h 2.924h 3.272h

• Área Conexa:

Disciplinas Teórica Prática Total
Emergência Médica em Odontologia 15h 1h 16h
Implantodontia Osseointegrada 117h 231h 348h
TOTAL 132h 232h 364h

• Disciplinas Obrigatórias:
(não poderão ser consideradas no cálculo da carga horária entre as disciplinas da área conexa e concentração)

Disciplinas Teórica Prática Total
Bioética 16h 16h
Ética e Legislação Odontológica 30h 2h 32h
Metodologia Científica 60h 60h
TOTAL 106h 2h 108h

PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS:

DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR (ver mais)

Tornar o protesista apto a diagnosticar para ser membro efetivo de uma equipe interdisciplinar no tratamento da disfunção temporomandibular.

A disfunção temporomandibular é uma patologia que está em alta evidência na população. O protesista tem sido o especialista da Odontologia que está sendo indicado para compor as equipes interdisciplinares que atuam nessa área, pelo seu conhecimento de Oclusão e Fisiologia do Sistema Estomatognático, além de estar preparado para realizar reabilitações orais e confecção de placas oclusais, normalmente envolvidos no tratamento.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Aspectos gerais (definições, terminologia, epidemiologia)
2. Aspectos anatômicos e histológicos
3. Alterações musculares
4. Alerações intra-articulares
5. Exames e diagnóstico
6. Distúrbios do sono
7. Bruxismo
8. Modalidades de tratamento

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ASCKAR, E.M. et al. Considerações clínicas e laboratoriais de prótese parcial removível. Bauru : Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, 1995. 170 p.
ASCKAR, E.M. et al. Noções básicas de prótese parcial removível. Bauru : Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, 1995. 135 p.
BONACHELA, W.C., TELLES, D. de M. Planejamento em reabilitação oral com prótese parcial removível. São Paulo : Ed.Santos, 1998. 85 p.
BORGHETTI, A; MONNET-CORT, V. Cirurgia plástica periodontal. Porto Alegre: Artmed, 2002. 489p.
BOTINO, M.A. et al Estética em reabilitação ora: (Metal Free). 1.ed. São Paulo: Artes Médicas, 2001
BRUNETTI, R.F.; MONTENEGRO, F. L. B. Odontogeriatria: noções de interesse clínico. São Paulo: Artes Médicas, 2002. 481p.
CARDOSO, R. J. A. GONÇLVES, E. A. N.. Oclusão/ ATM, prótese sobre implante e prótese bucomaxilofacial. São Paulo, Artes Médicas, 2002 ( Livro do Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo)
DINATO, J.C.; POLIDO, W.D. Implantes osseointegrados: cirurgia e prótese. São Paulo: Artes Médicas, 2004. 529p.
DUARTE, CA. Cirurgia periodontal: pré-protética e estética. São Paulo: Ed. Santos, 2002. 424p.
MENDES, W.B., BONFANTE, G. Fundamentos de estética em odontologia. 2 ed. São Paulo : Santos, 1996. 174 p.
MEZZOMO, E. Reabilitação oral para o clínico. 2 ed. São Paulo : Santos, 1994. 561 p.
OKESON, J.P. Tratamento das desordens temporomandibulares e oclusão. 4 ed. São Paulo : Artes Médicas, 2000. 500p.
OLIVEIRA, W. Disfunção temporomandibular, Série 6, EAP-APCD, Artes Médicas, 2002
PAIVA JS; ALMEIDA, RV. Implantodontia ? Atuação clínica baseada em evidências científicas. São Pulo: Artes Médicas, 2005.223p.
PEGORARO, L.F. et al. Prótese fixa. São Paulo : Artes Médicas, 1998. 313 p. [Série EAP-APCD, v. 7] TODESCAN, R., SILVA, E.E.B. da, SILVA, O J. da Atlas de prótese parcial removível. São Paulo: Ed.Santos, 1996. 345 p.
TURANO, J.C., TURANO, L.M. Fundamentos de prótese total. 5 ed. São Paulo : Ed. Santos, 2000. 560 p.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR (clique para fechar)

EMERGÊNCIA MÉDICA EM ODONTOLOGIA (ver mais)

Preparar o cirurgião-dentista, a reconhecer e instituir medidas de pronto-atendimento na ocorrência de situações emergenciais desencadeadas em âmbito odontológico, recebendo treinamento para executar manobras de Suporte Básico de Vida, bem como indicar e manusear drogas, equipamentos e acessórios empregados em tais situações.

Situações de emergência médica, embora incomuns, podem ocorrer na clínica odontológica de forma imprevisível, sem regras ou padrões definidos. O aumento da frequência de atendimento odontológico de idosos em virtude do aumento da expectativa de vida, torna mais provável a ocorrência de alterações sistêmicas durante o tratamento dentário. Tal realidade obriga o profissional a adotar precauções que vão desde uma correta avaliação do estado geral de saúde até o treinamento em situações de emergência médica aumentando a segurança clínica no atendimento de pacientes que requerem cuidados especiais.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Introdução
    Anamnese e avaliação dos sinais vitais
    Classificação e incidência das situações de emergência
    Recomendações básicas
    Controle de ansiedade
2. Suporte Básico de Vida (SBV)
    Protocolo do SBV
3. Alteração ou perda da consciência
    Lipotímia ou síncope
    Hipoglicemia aguda
    Hipotensão ortostática
    Acidente vascular cerebral
    Insuficiência renal aguda
4. Dificuldade respiratória
    Hiperventilação
    Crise asmática
    Edema pulmonar
    Obstrução das vias aéreas por corpo estranho
5. Dor no peito e arritmias cardíacas
    Angina
    Infarto do miocárdio
    Bradicardia sinusal
    Taquicardias
6. Crise hipertensiva arterial
7. Reações alérgicas
    Aos anestésicos locais
    Aos antibióticos
    Aos anti-inflamatórios e analgésicos
    Outras substâncias de uso odontológico
8. Crises convulsivas
9. Equipamento de emergência
    Drogas e medicamentos
    Acessórios para administração de injetáveis
    Outros materiais
10. Administração de drogas injetáveis
    Vias de administração de injetáveis
    Injeção subcutânea (SC)
    Injeção intramuscular (IM)
    Injeção intravenosa (IV)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

CARVALHO, C. Emergências médicas no atendimento odontológico. Rev Bras. Odontol., 60 (2): 108-11, mar-abr., 2003
MALAMED, S.F. Manual de anestesia local. 5. ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2004.
RANALI, J.; ANDRADE, E. D. Emergências médicas em Odontologia. 2. ed. Artes Médicas, 2004.
SINGI, G. Fisiologia para Odontologia – Atendimento de paciente especiais e primeiros socorros médicos. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 1998.
TORTAMANO, N.; ARMONIA, P. L. Como prescrever em Odontologia. 6. ed. São Paulo, Livraria e Editora Santos, 2004.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

EMERGÊNCIA MÉDICA EM ODONTOLOGIA (clique para fechar)

IMPLANTODONTIA OSSEOINTEGRADA (ver mais)

Introduzir e treinar os alunos para as principais técnicos de implantodontia osseointegrada.

Fornecer conhecimentos científicos básicos sobre a biologia do tecido ósseo, princípios e técnicas cirúrgicas em implantodontia e procedimentos protéticos, clínicos e laboratoriais.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Tipos de abutments utilizados para próteses parciais – Tamanhos, indicações, contra-indicações
    • Próteses provisória
    • Condicionamento gengival
    • Personalização dos transferentes
    • Réplicas
    • Componentes para prótese provisória
2. Planejamento cirúrgico (exame clínico, radiográfico, tomografia computadorizada, solicitação de exames complementares e confecção do guia cirúrgico)
3. Tipos de abutments utilizados para próteses totais:
4. Fixa: * abutment UCLA
    • abutment standard
    • abutmentestheticone
5. Tipos de abutments utilizados para próteses implanto-mucoso-suportada (Overdentures)
    • Barra-clip
    • o’ ring
6. Técnica cirúrgica de instalação de implantes em desdentados totais
    • protocolo inferior
    • protocolo superior
    • riscos e complicações trans e pós-cirúrgicas
7. Técnica cirúrgica de instalação de abutments (cicatrizadores)
8. Tipos de abutments para prótese total
9. Tomografia computadorizada
10. Princípios biomecânicos em prótese sobre implantes – inter-relação dente-implante
11. Carga imediata sobre implantes osseointegrados
12. Manejo dos tecidos moles: retalhos para aquisição de mucosa ceratinizada e aquisição de estética, condicionamento tecidual através de coroas provisórias
13. Implantes de diâmetros especiais:
    • micromini e implantes de largo diâmetro: utilização, indicação, componentes protéticos (tamanhos, tipos, transferentes, réplicas, componentes provisórios)
14. Técnicas cirúrgicas para enxertos ósseos em bloco: mento, lateral de mandíbula e crista do ilíaco / lateralização do nervo alveolar inferior
15. Implantes ancorados em tuberosidade em em osso zigomático
16. Ancoragem ortodôntica sobre implantes osseointegrados – pacientes jovens

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ASCKAR, E.M. et al. Considerações clínicas e laboratoriais de prótese parcial removível. Bauru : Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, 1995. 170 p.
ASCKAR, E.M. et al. Noções básicas de prótese parcial removível. Bauru : Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, 1995. 135 p.
BONACHELA, W.C., TELLES, D. de M. Planejamento em reabilitação oral com prótese parcial removível. São Paulo : Santos, 1998. 85 p.
BORGHETTI, A; MONNET-CORT, V. Cirurgia plástica periodontal. Porto Alegre: Artmed, 2002. 489p.
BOTINO, M.A. et al Estética em reabilitação oral (Metal Free) Artes Médicas, 1ed, 2001
BRUNETTI, RF; MONTENEGRO, F L B. Odontogeriatria: noções de Interesse clínico. São Paulo: Artes Médicas, 2002. 481p.
CARDOSO, R. J. A. Gonlçalves, E. A. N.. Oclusão/ ATM, prótese sobre implante e prótese bucomaxilofacial. São Paulo, Artes Médicas, 2002 ( Livro do Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo)
DINATO, JC; POLIDO, WD. Implantes Osseointegrados ? Cirurgia e prótese. São Paulo: Artes Médicas, 2004. 529p.
DUARTE, CA. Cirurgia periodontal: pré-protética e estética. São Paulo: Editora Santos, 2002. 424p.
MENDES, W.B., BONFANTE, G. Fundamentos de estética em odontologia. 2 ed. São Paulo : Santos, 1996. 174 p.
MEZZOMO, E. Reabilitação oral para o clínico. 2 ed. São Paulo : Santos, 1994. 561 p.
OKESON, J.P. Tratamento das desordens temporomandibulares e oclusão. 4 ed. São Paulo : Artes Médicas, 2000. 500p.
OLIVEIRA, W. Disfunção temporomandibular, Série 6, EAP-APCD, Artes Médicas, 2002
PAIVA JS; ALMEIDA, RV. Implantodontia ? Atuação clínica baseada em evidências científicas. São Pulo: Artes Médicas, 2005.223p.
PEGORARO, L.F. et al. Prótese fixa. São Paulo : Artes Médicas, 1998. 313 p. (Série EAP-APCD, v. 7).
TODESCAN, R., SILVA, E.E.B. da, SILVA, O J. da Atlas de prótese parcial removível. São Paulo : Santos, 1996. 345 p.
TURANO, J.C., TURANO, L.M. Fundamentos de prótese total. 5 ed. São Paulo : Santos, 2000. 560 p.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

IMPLANTODONTIA OSSEOINTEGRADA (clique para fechar)

OCLUSÃO (ver mais)

Aperfeiçoar os conhecimentos sobre a fisiologia dos sistema estomatognático e sua aplicação na reabilitação oclusal.

O conhecimento da oclusão é de fundamental importância para a confecção das próteses dentárias. A incorporação dos princípios oclusais nos trabalhos, possibilitará o desenvolvimento das funções normais do sistema estomatognático, além de evitar iatrogenias de consequências incalculáveis.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Desenvolvimento da oclusão dentária
2. Conceitos de oclusão
3. Critérios de oclusão ótima
4. Posições oclusais
5. Movimentos mandibulares
6. Articuladores semi-ajustáveis – montagem de um caso clínico
7. Princípios para estabilização em oclusão cêntrica
8. Princípios que regem o ajuste para os movimentos mandibulares
9. Determinantes dos movimentos mandibulares
10. Filosofia de reabilitação oclusal
11. Apresentação e discussão de casos clínicos de reabilitação oclusal que envolvam as diversas especialidades (cirurgia, ortodontia, endodontia, periodontia, dentística e prótese).

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ASCKAR, E.M. et al. Considerações clínicas e laboratoriais de prótese parcial removível. Bauru : Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, 1995. 170 p.
ASCKAR, E.M. et al. Noções básicas de prótese parcial removível. Bauru : Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, 1995. 135 p.
ASH, M., RAMFJORD, L. P. Introdução à oclusão funcional. São Paulo:Panamericana, 1982.
BONACHELA, W.C., TELLES, D. de M. Planejamento em reabilitação oral com prótese parcial removível. São Paulo : Santos, 1998. 85 p.
BORGHETTI, A; MONNET-CORT, V. Cirurgia plástica periodontal. Porto Alegre: Artmed, 2002. 489p.
BOTINO, M.A. et al Estética em Reabilitação Oral (Metal Free) Artes Médicas, 1ed, 2001
BRUNETTI, RF; MONTENEGRO, F L B. Odontogeriatria – Noções de Interesse clínico. São Paulo: Artes Médicas, 2002. 481p.
CARDOSO, R. J. A. Gonlçalves, E. A. N.. Oclusão/ ATM, prótese sobre implante e prótese bucomaxilofacial. São Paulo, Artes Médicas, 2002 ( Livro do Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo)
CARDOSO, R. J. A.; GONÇALVES, E. A. N. Oclusão/ATM, prótese sobre implante e prótese bucomaxilofacial. São Paulo: Artes Médicas, 2002.
DAWSON, P. E. Avaliação, diagnóstico e tratamento dos problemas oclusais. São Paulo: Artes Médicas, 1980.
DINATO, JC; POLIDO, WD. Implantes osseointegrados – cirurgia e prótese. São Paulo: Artes Médicas, 2004. 529p.
DUARTE, CA. Cirurgia Periodontal: pré-protética e estética. São Paulo: Editora Santos, 2002. 424p.
GLICKMAN, Irving. Clinical periodontology: recognition, diagnosis and treatment of Periodontal. 3.ed. Philadelphia: Saunders, 1964. 902 p.
JANSON, W. A. et al. Introdução à oclusão: ajuste oclusal. Bauru: Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo, 1983. [manual] JANSON, W. A. et al. Introdução ao estudo da oclusão: enceramento das superfícies oclusais. Bauru: Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo, 1975.
JANSON, W. A. et al. Oclusão: teoria e prática. Bauru: Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo, 1973.
MEDEIROS, J. S. Oclusão. São Paulo: American Medicine, 1991.
MENDES, W.B., BONFANTE, G. Fundamentos de estética em odontologia. 2 ed. São Paulo, Santos, 1996. 174 p.
MEZZOMO, E. Reabilitação oral para o clínico. 2 ed. São Paulo : Santos, 1994. 561 p.
NEFF, P. Oclusion and function. Washington: Press, 1976.
OKESON, J.P. Tratamento das desordens temporomandibulares e oclusão. 4 ed. São Paulo : Artes Médicas, 2000. 500p.
OLIVEIRA, W. Disfunção Temporomandibular, Série 6, EAP-APCD, Artes Médicas, 2002
PAIVA JS; ALMEIDA, RV. Implantodontia – Atuação clínica baseada em evidências científicas. São Pulo: Artes Médicas, 2005.223p.
PEGORARO, L.F. et al. Prótese fixa. São Paulo : Artes Médicas, 1998. 313 p. (Série EAP-APCD, v. 7).
POSSELT, U. Physiology of occlusion and rehabilitation. Oxford: Blackwell, 1964.
SANTOS, J. R. Oclusão: princípios e conceitos. São Paulo: Santos, 1987.
SANTOS, J. R. Oclusão: tratado da sintomatologia craniomandibular. São Paulo: Pancast, 1988.
SHILLINGBURG, H. et al. Guia de enceramento oclusal. Rio de Janeiro: Quintessence, 1987.
TODESCAN, R., SILVA, E.E.B. da, SILVA, O J. da Atlas de prótese parcial removível. São Paulo : Santos, 1996. 345 p.
TURANO, J.C., TURANO, L.M. Fundamentos de prótese total. 5 ed. São Paulo : Santos, 2000. 560 p.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

OCLUSÃO (clique para fechar)

PRÓTESE FIXA (ver mais)

Tornar o aluno apto para realizar todos os procedimentos necessários para confecção de uma prótese fixa parcial ou total.

A perda parcial de dentes pode exigir a confecção de próteses fixas. O protesista deverá estar apto a realizar todos os procedimentos como preparos, confecção de coroas provisórias, moldagens, ajustes de infraestruturas e orientação. Também deverá ser conhecedor dos princípios mecânicos, biológicos e estéticos. Por fim, deverá ter conhecimento atualizado sobre materiais, como sistemas cerâmicos e adesivos.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Considerações gerais sobre prótese dental:
    – Elementos componentes
    – Indicações e contraindicações
2. Princípios mecânicos
3. Interpretação biológica dos princípios mecânicos
4. Princípios mecânicos dos preparos dentários com finalidade protética
5. Moldagem em prótese fixa
6. Confecção do modelo de trabalho
7. Montagem dos modelos em articulador semi-ajustável
8. Enceramento dos retentores e pônticos
9. Intra-estrutura para prótese e em metalocerâmica
10. Recorte dos troquéis
11. Inclusão e fundição dos retentores e pônticos
12. Ajuste no troquel dos retentores
13. Fixação para soldagem
14. Registro, remontagem e escolha de cor
15. Inclusão e soldagem
16. Preparos com finalidade protética (total metálica, Metal Free, Metalo-Cerâmica)
    – Preparo de prótese adesiva
17. Preparos intracoronários
    – inlay
    – onlay
18. Preparos intra-radiculares
    – Para núcleos em dentes unirradiculares
    – Para núcleos em dentes multirradiculares
19. inter-relação periodontia e prótese

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ASCKAR, E.M. et al. Considerações clínicas e laboratoriais de prótese parcial removível. Bauru : Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, 1995. 170 p.
ASCKAR, E.M. et al. Noções básicas de prótese parcial removível. Bauru : Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, 1995. 135 p.
BONACHELA, W.C., TELLES, D. de M. Planejamento em reabilitação oral com prótese parcial removível. São Paulo : Santos, 1998. 85 p.
BORGHETTI, A; MONNET-CORT, V. Cirurgia plástica periodontal. Porto Alegre: Artmed, 2002. 489p.
BOTINO, M.A. et al Estética em reabilitação oral: (Metal Free). 1.ed. São Paulo: Artes Médicas, 2001
BRUNETTI, RF; MONTENEGRO, F L B. Odontogeriatria: noções de interesse clínico. São Paulo: Artes Médicas, 2002. 481p.
CARDOSO, R. J. A. Gonlçalves, E. A. N.. Oclusão/ ATM, prótese sobre implante e prótese bucomaxilofacial. São Paulo: Artes Médicas, 2002 ( Livro do Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo)
DINATO, J.C.; POLIDO, W.D. Implantes osseointegrados: cirurgia e prótese. São Paulo: Artes Médicas, 2004. 529p.
DUARTE, CA. Cirurgia periodontal: pré-protética e estética. São Paulo: Ed.Santos, 2002. 424p.
MENDES, W.B., BONFANTE, G. Fundamentos de estética em odontologia. 2 ed. São Paulo : Santos, 1996. 174 p.
MEZZOMO, E. Reabilitação oral para o clínico. 2 ed. São Paulo: Ed.Santos, 1994. 561 p.
OKESON, J.P. Tratamento das desordens temporomandibulares e oclusão. 4 ed. São Paulo : Artes Médicas, 2000. 500p.
OLIVEIRA, W. Disfunção temporomandibular. São Paulo: Artes Médicas, 2002. [Série 6, EAP-APCD] PAIVA, J.S.; ALMEIDA, R.V. Implantodontia: atuação clínica baseada em evidências científicas. São Paulo: Artes Médicas, 2005.223p.
PEGORARO, L.F. et al. Prótese fixa. São Paulo : Artes Médicas, 1998. 313 p. [Série EAP-APCD, v. 7] TODESCAN, R., SILVA, E.E.B. da, SILVA, O J. da Atlas de prótese parcial removível. São Paulo : Santos, 1996. 345 p.
TURANO, J.C., TURANO, L.M. Fundamentos de prótese total. 5 ed. São Paulo: Ed.Santos, 2000. 560 p.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

PRÓTESE FIXA (clique para fechar)

PRÓTESE REMOVÍVEL (ver mais)

Conhecimento teórico/prático e clínicos de todas as fases que regem a confecção de uma prótese parcial removível.

A prótese parcial removível está indica para um grande número de pacientes parcialmente desdentados e para aqueles com anomalias craniofaciais porque, além dos dentes, a prótese permite a reposição dos tecidos adjacentes. Esta disciplina orienta os alunos para o planejamento e técnicas de confecção de acordo com os princípios mecânicos e biológicos.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Considerações gerais sobre prótese parcial removível
2 – Elementos constituintes (apoios, retentores, conectores, bases e vestes artificiais)
3 – Delineadores
4 – Princípios de planejamento das PPR
5 – Preparo prévio
6 – Moldagem anatômica e funcional
7 – Confecção e prova da estrutura metálica
8 – Registros intermaxilares
9 – Seleção, montagem e prova dos dentes
10 – Acrilização e acabamento
11 – Instalação, controle posterior e reembasamento

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ASCKAR, E.M. et al. Considerações clínicas e laboratoriais de prótese parcial removível. Bauru : Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, 1995. 170 p.
ASCKAR, E.M. et al. Noções básicas de prótese parcial removível. Bauru : Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, 1995. 135 p.
BONACHELA, W.C., TELLES, D. de M. Planejamento em reabilitação oral com prótese parcial removível. São Paulo : Santos, 1998. 85 p.
BORGHETTI, A; MONNET-CORT, V. Cirurgia plástica periodontal. Porto Alegre: Artmed, 2002. 489p.
BOTINO, M.A. et al Estética em reabilitação oral (Metal Free) Artes Médicas, 1ed, 2001
BRUNETTI, RF; MONTENEGRO, F L B. Odontogeriatria: noções de interesse clínico. São Paulo: Artes Médicas, 2002. 481p.
CARDOSO, R. J. A. Gonlçalves, E. A. N.. Oclusão/ ATM, prótese sobre implante e prótese bucomaxilofacial. São Paulo, Artes Médicas, 2002 ( Livro do Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo)
DINATO, JC; POLIDO, WD. Implantes osseointegrados: cirurgia e prótese. São Paulo: Artes Médicas, 2004. 529p.
DUARTE, CA. Cirurgia periodontal: pré-protética e estética. São Paulo: Editora Santos, 2002. 424p.
MENDES, W.B., BONFANTE, G. Fundamentos de estética em odontologia. 2 ed. São Paulo : Santos, 1996. 174 p.
MEZZOMO, E. Reabilitação oral para o clínico. 2 ed. São Paulo : Santos, 1994. 561 p.
OKESON, J.P. Tratamento das desordens temporomandibulares e oclusão. 4 ed. São Paulo : Artes Médicas, 2000. 500p.
OLIVEIRA, W. Disfunção temporomandibular, Série 6, EAP-APCD, Artes Médicas, 2002
PAIVA JS; ALMEIDA, RV. Implantodontia: atuação clínica baseada em evidências científicas. São Pulo: Artes Médicas, 2005.223p.
PEGORARO, L.F. et al. Prótese fixa. São Paulo : Artes Médicas, 1998. 313 p. (Série EAP-APCD, v. 7).
TODESCAN, R., SILVA, E.E.B. da, SILVA, O J. da Atlas de prótese parcial removível. São Paulo : Santos, 1996. 345 p.
TURANO, J.C., TURANO, L.M. Fundamentos de prótese total. 5 ed. São Paulo : Santos, 2000. 560 p.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

PRÓTESE REMOVÍVEL (clique para fechar)

PRÓTESE TOTAL (ver mais)

Aperfeiçoar os conhecimentos sobre a fisiologia dos sistema estomatognático e sua aplicação na reabilitação oclusal.

O conhecimento da oclusão é de fundamental importância para a confecção das próteses dentárias. A incorporação dos princípios oclusais nos trabalhos, possibilitará o desenvolvimento das funções normais do sistema estomatognático, além de evitar iatrogenias de consequências incalculáveis.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Introdução ao estudo das próteses totais
2 – Princípios de retenção e estabilidade
3 – Moldagem anatômica e funcional e modelos
4 – Registros intermaxilares
5 – Seleção, montagem e prova dos dentes
6 – Acrilização e acabamento
7 – Instalação, controle posterior e reembasamento
8 – Técnica de confecção de PT por zona neutra

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

ASCKAR, E.M. et al. Considerações clínicas e laboratoriais de prótese parcial removível. Bauru : Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, 1995. 170 p.
ASCKAR, E.M. et al. Noções básicas de prótese parcial removível. Bauru : Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, 1995. 135 p.
ASH, M., RAMFJORD, L. P. Introdução à oclusão funcional. São Paulo: Panamericana, 1982.
BONACHELA, W.C., TELLES, D. de M. Planejamento em reabilitação oral com prótese parcial removível. São Paulo : Ed. Santos, 1998. 85 p.
BORGHETTI, A; MONNET-CORT, V. Cirurgia plástica periodontal. Porto Alegre: Artmed, 2002. 489p.
BOTINO, M.A. et al Estética em Reabilitação Oral: (Metal Free). 1.ed. São Paulo: Artes Médicas, 2001
BRUNETTI, RF; MONTENEGRO, F L B. Odontogeriatria: noções de interesse clínico. São Paulo: Artes Médicas, 2002. 481p.
CARDOSO, R. J. A. Gonlçalves, E. A. N.. Oclusão/ ATM, prótese sobre implante e prótese bucomaxilofacial. São Paulo: Artes Médicas, 2002 ( Livro do Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo)
CARDOSO, R. J. A.; GONÇALVES, E. A. N. Oclusão/ATM, prótese sobre implante e Prótese bucomaxilofacial. São Paulo: Artes Médicas, 2002.
DAWSON, P. E. Avaliação, diagnóstico e tratamento dos problemas oclusais. São Paulo: Artes Médicas, 1980.
DINATO, JC; POLIDO, WD. Implantes osseointegrados: cirurgia e prótese. São Paulo: Artes Médicas, 2004. 529p.
DUARTE, CA. Cirurgia periodontal: pré-protética e estética. São Paulo: Ed. Santos, 2002. 424p.
GLICKMAN, Irving. Clinical periodontology: recognition, diagnosis and treatment of periodontal. 3.ed. Philadelphia: Saunders, 1964. 902 p.
JANSON, W. A. et al. Introdução à oclusão / ajuste oclusal. Bauru: Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo, 1983. [manual] JANSON, W. A. et al. Introdução ao estudo da oclusão: enceramento das superfícies oclusais. Bauru: Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo, 1975.
JANSON, W. A. et al. Oclusão: teoria e prática. Bauru: Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo, 1973.
MEDEIROS, J. S. Oclusão. São Paulo: American Medicine, 1991.
MENDES, W.B., BONFANTE, G. Fundamentos de estética em odontologia. 2 ed. São Paulo: Ed. Santos, 1996. 174 p.
MEZZOMO, E. Reabilitação oral para o clínico. 2 ed. São Paulo : Santos, 1994. 561 p.
NEFF, P. Oclusion and function. Washington: Press, 1976.
OKESON, J.P. Tratamento das desordens temporomandibulares e oclusão. 4 ed. São Paulo : Artes Médicas, 2000. 500p.
OLIVEIRA, W. Disfunção Temporomandibular, Série 6, EAP-APCD, Artes Médicas, 2002
PAIVA JS; ALMEIDA, RV. Implantodontia: atuação clínica baseada em evidências científicas. São Paulo: Artes Médicas, 2005. 223p.
PEGORARO, L.F. et al. Prótese fixa. São Paulo: Artes Médicas, 1998. 313 p. [Série EAP-APCD, v. 7] POSSELT, U. Physiology of occlusion and rehabilitation. Oxford: Blackwell, 1964.
SANTOS, J. R. Oclusão: princípios e conceitos. São Paulo: Santos, 1987.
SANTOS, J. R. Oclusão: tratado da sintomatologia craniomandibular. São Paulo: Pancast, 1988.
SHILLINGBURG, H. et al. Guia de enceramento oclusal. Rio de Janeiro: Quintessence, 1987.
TODESCAN, R., SILVA, E.E.B. da, SILVA, O J. da Atlas de prótese parcial removível. São Paulo: Santos, 1996. 345 p.
TURANO, J.C., TURANO, L.M. Fundamentos de prótese total. 5 ed. São Paulo: Santos, 2000. 560 p.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

PRÓTESE TOTAL (clique para fechar)

REABILITAÇÃO ORAL (ver mais)

Tornar o aluno apto para realizar tratamentos protéticos grandes e complexos, assim como, ensiná-lo a integrar diferentes tipos de próteses em um arco dental, como por exemplo, bucomaxilofacial.

A presença de inúmeros dentes com grandes destruições, presença de raízes residuais, colapsos oclusais, ausência de contenção cêntrica, perda de guias anteriores e da dimensão vertical, faz com que a odontologia necessite de todos os conhecimentos da reabilitação oral.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Exames necessários ao planejamento das próteses dentais:
    – Clínico
    – Radiográfico
    – Modelos de estudo
2. Fatores que influenciam no planejamento:
    – Mecânico
    – Biológico
    – Fisiológico
    – Estético
3. Confecção dos modelos de trabalho
4. Considerações clínicas das próteses em metalocerâmica
5. Ajuste cervical dos retentores e verificação da área de contato proximal
6. Instalação provisória
7. Instalação definitiva
8. Controle posterior
9. Encaixes de semi-precisão
10. Facetas estéticas para próteses metaloplásticas e em metalocerâmicas
11. Materiais estéticos e próteses livres de metal (“metal free”)
12. Manutenção e controle

REABILITAÇÃO ORAL (ver mais)

ASCKAR, E.M. et al. Considerações clínicas e laboratoriais de prótese parcial removível. Bauru: Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, 1995. 170 p.
ASCKAR, E.M. et al. Noções básicas de prótese parcial removível. Bauru : Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, 1995. 135 p.
BONACHELA, W.C., TELLES, D. de M. Planejamento em reabilitação oral com prótese parcial removível. São Paulo : Santos, 1998. 85 p.
BORGHETTI, A; MONNET-CORT, V. Cirurgia plástica periodontal. Porto Alegre: Artmed, 2002. 489p.
BOTINO, M.A. et al Estética em reabilitação oral (Metal Free) Artes Médicas, 1ed, 2001
BRUNETTI, RF; MONTENEGRO, F L B. Odontogeriatria: noções de interesse clínico. São Paulo: Artes Médicas, 2002. 481p.
CARDOSO, R. J. A. Gonlçalves, E. A. N.. Oclusão/ ATM, prótese sobre implante e prótese bucomaxilofacial. São Paulo, Artes Médicas, 2002 ( Livro do Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo)
DINATO, JC; POLIDO, WD. Implantes Osseointegrados ? Cirurgia e prótese. São Paulo: Artes Médicas, 2004. 529p.
DUARTE, CA. Cirurgia periodontal: pré-protética e estética. São Paulo: Editora Santos, 2002. 424p.
MENDES, W.B., BONFANTE, G. Fundamentos de estética em odontologia. 2 ed. São Paulo: Santos, 1996. 174 p.
MEZZOMO, E. Reabilitação oral para o clínico. 2 ed. São Paulo : Santos, 1994. 561 p.
OKESON, J.P. Tratamento das desordens temporomandibulares e oclusão. 4 ed. São Paulo: Artes Médicas, 2000. 500p.
OLIVEIRA, W. Disfunção temporomandibular, Série 6, EAP-APCD, Artes Médicas, 2002
PAIVA, J.S.; ALMEIDA, R.V. Implantodontia: atuação clínica baseada em evidências científicas. São Pulo: Artes Médicas, 2005. 223p.
PEGORARO, L.F. et al. Prótese fixa. São Paulo : Artes Médicas, 1998. 313 p. (Série EAP-APCD, v. 7).
TODESCAN, R., SILVA, E.E.B. da, SILVA, O J. da Atlas de prótese parcial removível. São Paulo: Santos, 1996. 345 p.
TURANO, J.C., TURANO, L.M. Fundamentos de prótese total. 5 ed. São Paulo: Santos, 2000. 560 p.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

REABILITAÇÃO ORAL (clique para fechar)

ESPECIALIZAÇÃO EM PRÓTESE DENTÁRIA (clique para fechar)

 

ESPECIALIZAÇÃO EM RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA E IMAGINOLOGIA (ver mais)

 

NATUREZA DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL: Curso de Especialização em Radiologia Odontológica e Imaginologia

PRÉ-REQUISITO: Graduados em Odontologia

COORDENADOR: Dr. Renato Yassutaka Faria Yaedú

VICE-COORDENADORA: Dra. Ana Lúcia Alvares Capelozza

DURAÇÃO: 24 meses

CARGA HORÁRIA TOTAL: 2.658 horas, sendo 2.550 horas (Área de Concentração + Área Conexa) e 108 horas de Disciplinas Obrigatórias.

• Área de Concentração:

Disciplinas Teórica Prática Total
Fundamentos da Radiologia 53h 477h 530h
Interpretação Radiográfica 80h 718h 798h
Técnicas Radiográficas 97h 867h 964h
TOTAL 230h 2.062h 2.292h

• Área Conexa:

Disciplinas Teórica Prática Total
Cefalometria e Análise Facial 20h 222h 242h
Emergência Médica em Odontologia 15h 1h 16h
TOTAL 35h 223h 258h

• Disciplinas Obrigatórias:
(não poderão ser consideradas no cálculo da carga horária entre as disciplinas da área conexa e concentração)

Disciplinas Teórica Prática Total
Bioética 16h 16h
Ética e Legislação Odontológica 30h 2h 32h
Metodologia Científica 60h 60h
TOTAL 106h 2h 108h

PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS:

CEFALOMETRIA E ANÁLISE FACIAL (ver mais)

Descrição de métodos de diagnóstico e avaliação de crescimento, com suas vantagens, desvantagens e interação com dados clínicos e perfil tegumentar.

O especialista em Radiologia Odontológica e Imaginologia deverá ser apto a fazer traçados cefalométricos para o estudo do crescimento maxilo mandibular.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Considerações anatômicas: cefalograma
2 – Determinação dos pontos cefalométricos
3 – Traçado das linhas e planos de orientação
4 – Medição e interpretação das grandezas cefalométricas

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

CAPELOZZA FILHO, L., SILVA FILHO, O. G. Crescimento Craniofacial pós-natal. Bauru, 1986.
ENLOW, D. H. Handbook of facial growth. Philadelphia: Saunders, 1975. 423p.
INTERLANDI, S. Análises cefalométricas. In: Ortodontia: bases para a iniciação. 2.ed. São Paulo: Artes Médicas, 1980. p.121-185.
KROGMAN, W. M., SASSOUNI, V. A syllabus in roentgenographic cephalometric. Philadelphia: Library & Congress, 1957.
PEREIRA, C. B. et al. Introdução à cefalometria radiográfica. 2.ed. Pancast, 1989.
STERINER, C. C. Cephalometic as clinical tool. In: KRAUS, B. S., RIEDEL, R. A. Vistas in orthodontics. Philadelphia: Lea & Feibiger, 1962. p. 131-161.
THUROW, R. C. Atlas of orthodontic principles. 2.ed. Saint Louis: Mosby, 1977. p. 248-340.
WOLFORD, L. M., HILLIARD, F. W. A practical method for diagnosis treatment

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

CEFALOMETRIA E ANÁLISE FACIAL (clique para fechar)

EMERGÊNCIA MÉDICA EM ODONTOLOGIA (ver mais)

Preparar o cirurgião-dentista, a reconhecer e instituir medidas de pronto-atendimento na ocorrência de situações emergenciais desencadeadas em âmbito odontológico, recebendo treinamento para executar manobras de Suporte Básico de Vida, bem como indicar e manusear drogas, equipamentos e acessórios empregados em tais situações.

Situações de emergência médica, embora incomuns, podem ocorrer na clínica odontológica de forma imprevisível, sem regras ou padrões definidos. O aumento da frequência de atendimento odontológico de idosos em virtude do aumento da expectativa de vida, torna mais provável a ocorrência de alterações sistêmicas durante o tratamento dentário. Tal realidade obriga o profissional a adotar precauções que vão desde uma correta avaliação do estado geral de saúde até o treinamento em situações de emergência médica aumentando a segurança clínica no atendimento de pacientes que requerem cuidados especiais.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Introdução
    Anamnese e avaliação dos sinais vitais
    Classificação e incidência das situações de emergência
    Recomendações básicas
    Controle de ansiedade
2. Suporte Básico de Vida (SBV)
    Protocolo do SBV
3. Alteração ou perda da consciência
    Lipotímia ou síncope
    Hipoglicemia aguda
    Hipotensão ortostática
    Acidente vascular cerebral
    Insuficiência renal aguda
4. Dificuldade respiratória
    Hiperventilação
    Crise asmática
    Edema pulmonar
    Obstrução das vias aéreas por corpo estranho
5. Dor no peito e arritmias cardíacas
    Angina
    Infarto do miocárdio
    Bradicardia sinusal
    Taquicardias
6. Crise hipertensiva arterial
7. Reações alérgicas
    Aos anestésicos locais
    Aos antibióticos
    Aos anti-inflamatórios e analgésicos
    Outras substâncias de uso odontológico
8. Crises convulsivas
9. Equipamento de emergência
    Drogas e medicamentos
    Acessórios para administração de injetáveis
    Outros materiais
10. Administração de drogas injetáveis
    Vias de administração de injetáveis
    Injeção subcutânea (SC)
    Injeção intramuscular (IM)
    Injeção intravenosa (IV)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

CARVALHO, C. Emergências médicas no atendimento odontológico. Rev Bras. Odontol., 60 (2): 108-11, mar-abr., 2003
MALAMED, S.F. Manual de anestesia local. 5. ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2004.
RANALI, J.; ANDRADE, E. D. Emergências médicas em Odontologia. 2. ed. Artes Médicas, 2004.
SINGI, G. Fisiologia para Odontologia – Atendimento de paciente especiais e primeiros socorros médicos. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 1998.
TORTAMANO, N.; ARMONIA, P. L. Como prescrever em Odontologia. 6. ed. São Paulo, Livraria e Editora Santos, 2004.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

EMERGÊNCIA MÉDICA EM ODONTOLOGIA (clique para fechar)

FUNDAMENTOS DA RADIOLOGIA (ver mais)

Os alunos serão atualizados nos conhecimentos sobre produção da imagem radiográfica, funcionamento dos aparelhos de raios x, acessórios radiográficos, efeitos biológicos das radiações ionizantes, bem como processamento de radiografias.

O estudo da física das radiações e de como as radiações podem interagir com a matéria e os tecidos humanos é fundamental para a formação e desenvolvimento de um especialista em Radiologia Odontológica e Imaginologia.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Princípios físicos da radiologia
    • Histórico dos raios X
    • Conceito fundamental da matéria
    • Conceito fundamental da radiação
    • Produção de raios X
    • Propriedades dos raios X
    • Aplicação dos raios X
    • Tubos e aparelhos de uso odontológico
    • Acessórios radiográficos
2 – Princípios de formação da imagem radiográfica
    • Filmes radiográficos
    • Placas intensificadoras
    • Imagem latente
    • Processamento de radiografias
    • Fatores na produção da imagem radiográfica
    • Falhas – correção
    • Interação entre radiação ionizante e matéria
    • Efeitos biológicos dos raios X
    • Proteção contra os raios X
    • Normas de proteção
    • Imagem Digital
    • Aspectos legais
    • Controle de Qualidade em Radiologia odontológica

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

CASATI ALVARES, L. (Coordenador), Manuais de interpretação radiográfica em odontologia, Bauru, EDUSC, 2010.
CASATI ALVARES, Luiz; TAVANO, Orivaldo. Curso de radiologia em odontologia. 5ª ed. São Paulo: Ed. Santos, 2009.
CAVALCANTI, Marcelo. Tomografia Computadorizada por feixe cônico- Interpretação e Diagnóstico para o Cirurgião Dentista. São Paulo: Ed. Santos, 2010.
FREITAS, A.; SOUZA, I. F.; ROSA, J. E. Radiologia odontológica. 6ª ed. São Paulo: Artes Médicas, 2004.
KIGNEL, S. et al ESTOMATOLOGIA – BASES DO DIAGNÓSTICO PARA O CLÍNICO GERAL 2ª ed. São Paulo, Editora Santos 2013.
NEVILLE, B. W. et al. Patologia e maxilofacial. Rio de Janeiro: 3ª Ed. Guanabara Koogan, 2009.
PAPAIZ, E. G.; OLIVEIRA, R. J.; CAPELLA, L. R. Atlas de Tomografia Computadorizada por Feixe Cônico para o Cirurgião-Dentista. São Paulo: Ed. Santos, 2011.
PEREIRA, M. F. Fundamentos de Odontologia – Radiologia Odontológica e Imaginologia. 2ª ed. São Paulo. Ed. Santos, 2013.
REGEZI, J. A.; SCIUBBA, J. J. ; JORDAN, R. C .K .Patologia bucal: correlações clinicopatológicas. Rio de Janeiro: 5ª Ed. Guanabara Koogan 2008.
REICHART, P. A.; PHILIPSEN, H. P. Patologia bucal atlas. Porto Alegre, ARTMED, 2000.
SHEAR, M.& SPEIGHT, P.M. Cistos da região bucomaxilofacial. 4ª ed. São Paulo. Ed. Santos, 2011.
SOCIEDADDE JAPONESA DE RADIOLOGIA ORAL E MAXILOFACIAL Atlas de Diagnóstico oral por imagens. São Paulo Elsevier Editora Ltda. 2012.
WHAITES, Eric Princípios de Radiologia Odontológica. 4ª ed. São Paulo: Elsevier Editora Ltda. 2009.
WHITE, S; PHAROAH, M. Radiologia Oral – Fundamentos e Interpretação. 5ª ed. São Paulo: Elsevier Editora Ltda. 2007.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

FUNDAMENTOS DA RADIOLOGIA (clique para fechar)

INTERPRETAÇÃO RADIOGRÁFICA (ver mais)

Ensino e aprendizagem da interpretação de exames imaginológicos em odontologia. Identificar os reparos anatômicos, suas variações e o aspecto radiográfico das patologias que afetam os dentes, o periodonto e os ossos maxilares.

O estudo de interpretação radiográfica da anatomia craniofacial e dento-maxilar; das imagens radiográficas das patologias que afetam cabeça, pescoço, maxilares e dentes, se constitui na essência da especialidade.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Radiodiagnóstico – princípios gerais
2 – Anatomia radiográfica craniofacial:
    • Nas radiografias periapicais
    • Nas radiografias oclusais
    • Nas radiografias panorâmicas
    • Nas radiografias cefalométricas
    • Nas radiografias póstero-anteriores
    • Nas radiografias axiais
    • Na TCFC – maxila
    • Na TCFC – mandíbula
3 – Patologia radiográfica:
    • Estudo radiográfico das lesões dentárias e do complexo maxilo-mandibular
    • Estudo radiográfico das anomalias dentárias e do complexo maxilo-mandibular
    • Aspectos radiográficos das doenças periodontais
    • Estudo radiográfico dos cistos dentários e do complexo maxilo-mandibular
    • Estudo radiográfico dos processos não neoplásicos do complexo maxilo-mandibular
    • Estudo radiográfico dos tumores do complexo maxilo-mandibular
    • Lesões fibro-ósseas
    • Manifestações orais de doenças sistêmicas
    • Doenças do osso
    • Síndromes

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

CASATI ALVARES, L. (Coordenador), Manuais de interpretação radiográfica em odontologia, Bauru, EDUSC, 2010.
CASATI ALVARES, Luiz; TAVANO, Orivaldo. Curso de radiologia em odontologia. 5ª ed. São Paulo: Ed. Santos, 2009.
CAVALCANTI, Marcelo. Tomografia Computadorizada por feixe cônico- Interpretação e Diagnóstico para o Cirurgião Dentista. São Paulo: Ed. Santos, 2010.
FREITAS, A.; SOUZA, I. F.; ROSA, J. E. Radiologia odontológica. 6ª ed. São Paulo: Artes Médicas, 2004.
KIGNEL, S. et al ESTOMATOLOGIA – BASES DO DIAGNÓSTICO PARA O CLÍNICO GERAL 2ª ed. São Paulo, Editora Santos 2013.
NEVILLE, B. W. et al. Patologia e maxilofacial. Rio de Janeiro: 3ª Ed. Guanabara Koogan, 2009.
PAPAIZ, E. G.; OLIVEIRA, R. J.; CAPELLA, L. R. Atlas de Tomografia Computadorizada por Feixe Cônico para o Cirurgião-Dentista. São Paulo: Ed. Santos, 2011.
PEREIRA, M. F. Fundamentos de Odontologia – Radiologia Odontológica e Imaginologia. 2ª ed. São Paulo. Ed. Santos, 2013.
REGEZI, J. A.; SCIUBBA, J. J. ; JORDAN, R. C .K .Patologia bucal: correlações clinicopatológicas. Rio de Janeiro: 5ª Ed. Guanabara Koogan 2008.
REICHART, P. A.; PHILIPSEN, H. P. Patologia bucal atlas. Porto Alegre, ARTMED, 2000.
SHEAR, M.& SPEIGHT, P.M. Cistos da região bucomaxilofacial. 4ª ed. São Paulo. Ed. Santos, 2011.
SOCIEDADDE JAPONESA DE RADIOLOGIA ORAL E MAXILOFACIAL Atlas de Diagnóstico oral por imagens. São Paulo Elsevier Editora Ltda. 2012.
WHAITES, Eric Princípios de Radiologia Odontológica. 4ª ed. São Paulo: Elsevier Editora Ltda. 2009.
WHITE, S; PHAROAH, M. Radiologia Oral – Fundamentos e Interpretação. 5ª ed. São Paulo: Elsevier Editora Ltda. 2007.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

INTERPRETAÇÃO RADIOGRÁFICA (clique para fechar)

TÉCNICAS RADIOGRÁFICAS (ver mais)

Aprendizagem das diversas técnicas radiográficas intra e extrabucais, suas indicações e variações para casos especiais. Ensino e prática das técnicas radiográficas craniofaciais (laterais, póstero-anteriores, axiais e panorâmicas), os acessórios e equipamentos específicos para exames. Ensino e prática da tomografia computadorizada de feixe cônico. Radiografias com meios de contraste e radiobiologia.

O profissional especialista em Radiologia Odontológica e Imaginologia deverá estar apto a realizar as técnicas radiográficas convencionais e digitais que envolvam a cabeça e o pescoço, além de conhecer outras modalidades de diagnóstico por imagem.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1 – Técnicas radiográficas intrabucais:
    • Periapical: Bissetriz e paralelismo
    • Interproximal
    • Oclusal
2 – Técnicas radiográficas extrabucais:
    • Panorâmica
    • Laterais oblíquas
    • Póstero-anteriores
    • Axiais
    • Carpal
    • Radiografias para ATM
3 – Métodos de localização radiográfica
4 – Métodos imaginológicos especiais:
    • Tomografia computadorizada por feixe cônico
    • Radiografia Digital
    • Ultrassom
    • Ressonância Nuclear Magnética

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (ver mais)

CASATI ALVARES, L. (Coordenador), Manuais de interpretação radiográfica em odontologia, Bauru, EDUSC, 2010.
CASATI ALVARES, Luiz; TAVANO, Orivaldo. Curso de radiologia em odontologia. 5ª ed. São Paulo: Ed. Santos, 2009.
CAVALCANTI, Marcelo. Tomografia Computadorizada por feixe cônico- Interpretação e Diagnóstico para o Cirurgião Dentista. São Paulo: Ed. Santos, 2010.
FREITAS, A.; SOUZA, I. F.; ROSA, J. E. Radiologia odontológica. 6ª ed. São Paulo: Artes Médicas, 2004.
KIGNEL, S. et al ESTOMATOLOGIA – BASES DO DIAGNÓSTICO PARA O CLÍNICO GERAL 2ª ed. São Paulo, Editora Santos 2013.
NEVILLE, B. W. et al. Patologia e maxilofacial. Rio de Janeiro: 3ª Ed. Guanabara Koogan, 2009.
PAPAIZ, E. G.; OLIVEIRA, R. J.; CAPELLA, L. R. Atlas de Tomografia Computadorizada por Feixe Cônico para o Cirurgião-Dentista. São Paulo: Ed. Santos, 2011.
PEREIRA, M. F. Fundamentos de Odontologia – Radiologia Odontológica e Imaginologia. 2ª ed. São Paulo. Ed. Santos, 2013.
REGEZI, J. A.; SCIUBBA, J. J. ; JORDAN, R. C .K .Patologia bucal: correlações clinicopatológicas. Rio de Janeiro: 5ª Ed. Guanabara Koogan 2008.
REICHART, P. A.; PHILIPSEN, H. P. Patologia bucal atlas. Porto Alegre, ARTMED, 2000.
SHEAR, M.& SPEIGHT, P.M. Cistos da região bucomaxilofacial. 4ª ed. São Paulo. Ed. Santos, 2011.
SOCIEDADDE JAPONESA DE RADIOLOGIA ORAL E MAXILOFACIAL Atlas de Diagnóstico oral por imagens. São Paulo Elsevier Editora Ltda. 2012.
WHAITES, Eric Princípios de Radiologia Odontológica. 4ª ed. São Paulo: Elsevier Editora Ltda. 2009.
WHITE, S; PHAROAH, M. Radiologia Oral – Fundamentos e Interpretação. 5ª ed. São Paulo: Elsevier Editora Ltda. 2007.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: (clique para fechar)

TÉCNICAS RADIOGRÁFICAS (clique para fechar)

ESPECIALIZAÇÃO EM RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA E IMAGINOLOGIA (clique para fechar)