Tratamento Intensivo e Interdisciplinar na Reabilitação Funcional das Anomalias Craniofaciais • HRB4091

 

DOCENTES RESPONSÁVEIS:

Maria Inês Pegoraro-Krook

Jeniffer de Cássia Rillo Dutka

Maria de Lourdes Merighi Tabaquim

 

NÚMERO DE CRÉDITOS: 3

 

CARGA HORÁRIA:

Teórica
(por semana)
Prática
(por semana)
Estudos
(por semana)
Duração Total
15h 3 semanas 45h

OBJETIVOS:

Esta disciplina teórico-prática propõe preparar o pós-graduando para o gerenciamento interdisciplinar e integrado dos distúrbios funcionais (alimentação, fala, audição, linguagem, aprendizagem) relacionados à presença de síndromes e anomalias craniofaciais incluindo a fissura labiopalatina e disfunção velofaríngea congênita. 

 

JUSTIFICATIVA:

A promoção da saúde assim como a prevenção, o diagnóstico e a intervenção nos distúrbios da comunicação, alimentação e aprendizagem em pacientes com síndromes e anomalias relacionadas é mais eficiente e eficaz quando envolve interdisciplinaridade entre a fonoaudiologia e demais as áreas da saúde incluindo cirurgia plástica, otorrinolaringologia, pediatria, genética, nutrição, enfermagem, odontologia, psicologia, serviço social, terapia ocupacional, fisiologia, fisioterapia e educação.

Para que as intervenções tenham impacto positivo e custo-benefício otimizados é importante um entendimento teórico-prático e um treinamento especializado do profissional da saúde. Esta disciplina se propõe a fornecer ao aluno conhecimentos aprofundados sobre os processos típicos e atípicos da alimentação, fala e aprendizagem com ênfase nos desvios funcionais e suas relações com aspectos do desenvolvimento cognitivo e psicossocial, envolvidos na comunicação e aprendizagem humana. 

Para alunos envolvidos em atividades de ensino, pesquisa e extensão voltadas para o gerenciamento dos Distúrbios da Communicação, Alimentação e Aprendizagem, a disciplina oferece uma oportunidade de vivência clínica com atuação em equipe interdisciplinar na área de concentração Fissuras Orofaciais e Anomalias Relacionadas. 

 

CONTEÚDO:

Atuação junto a equipe de caso novo do HRAC visando promoção da saúde e prevenção dos distúrbios da alimentação, audição, fala, linguagem e aprendizagem;
Gerenciamento dos distúrbios da alimentação, comunicação e aprendizagem numa abordagem enfocando a integralidade do tratamento e envolvendo a interdisciplinaridade entre as áreas envolvidas nos processos de diagnóstico e tratamento de síndromes e anomalias craniofaciais incluindo a fissura labiopalatina e disfunção velofaríngea congênita.
Aplicação de modelos de intervenção fonoaudiólogia e psicológica nos processos desviantes de aquisição e desenvolvimento de fala e da aprendizagem;
Uso da telessaúde, com foco na teleducação e teleassistência, como ferramentas para integrar serviços de alta complexidade com as ações em atenção básica;
Estudo e aplicação de protocolos de documentação de resultados do gerenciamento síndromes e anomalias craniofaciais incluindo a fissura labiopalatina e disfunção velofaríngea congênita;
Estudo dos mecanismos de ajustamento cognitivo e psicossocial, decorrentes das dificuldades comunicativas que afetam a inteligibilidade da fala.

 

BIBLIOGRAFIA: 

Amarilla-Filho P. Educação a distância: uma abordagem metodológica e didática a partir dos ambientes virtuais. Educação em Revista. 2011; vol. 27, No 2, pp. 41-72.

ASHA. American Speech-Language-Hearing Association. Audiologists providing clinical services via telepractice: technical report. 2005, [Acesso em: 20 out. 2014]. Disponível em: http://www.asha.org/docs/html/TR2005-00152.html.

Brent R. Collett, Yona Keich Cloonan, Matthew L. Speltz, Marlene Anderka, Martha M. Werler, (2012) Psychosocial Functioning in Children With and Without Orofacial Clefts and Their Parents. The Cleft Palate-Craniofacial Journal: July 2012, Vol. 49, No. 4, pp. 397-405.

Bzoch KR. Communicative disorders related to cleft lip and palate. Austin: Pro-ed, 2004.

Di Ninno, CQMS, Jesus, MSV. Abordagem fonoaudiológica atual nas fissuras labiopalatinas. São Paulo: Roca, 2009.

Dutka JCR, Uemeoka E, Aferrri HC, Pegoraro-Krook MI, Marino VC. Total obturation of velopharynx for treatement of velopharyngeal hypodynamism: case report. Cleft Palate Craniofac j, Lawrence, v.49, n.4, supl. 1, Part 3, p.488-493, Jul., 2012.

Ferro, MR; Abramides, DVM; Veronez, FS; Tavano, LD; Souza, SRB; De-Vitto, LPM; Costa, AR. Habilidades Sociais em pacientes com síndrome velocardiofacial. Arq Ciênc Saúde, out/dez;15(4):157-62. 2008.

Golding-Kushner KJ. Therapy techniques for cleft palate speech and related disorders. San Diego: Singular Thompson Learning, 2001.

Hanayama EM. Distúrbios da comunicação nos pacientes com sequela de fissura labiopalatina. Rev Bras Cir Craniomaxilofac, São Paulo, v.12, n.3, p.118-124, 2009.

Henningsson, G., Kuehn, D. P., Sell, D., Sweeney, T., Trost-Cardamone, J. E., & Whitehill, T. L. (2008). Universal parameters for reporting speech outcomes in individuals with cleft palate. Cleft Palate Craniofac J, 45(1), 1-17, 2008.

Jesus, MSV, Penido, FA, Valente, P. Avaliações Fonoaudiológicas Clínica e Instrumental em indivíduos com Fissura Labiopalatina. In: Di Ninno, CQMS, Jesus, MSV. Fissura Labiopalatina: Fundamentos para a Prática Fonoaudiológica. São Paulo: Roca, 2009.

Kummer AW. Cleft Palate and Craniofacial Anomalies: Effects on Speech and Resonance. (Second edition ed.): 2008. Clifton Park, NY, US, Thomson Delmar Learning.

Marino VC, Dutka JCR, Pegoraro-Krook MI. Articulação compensatória associada à fissura de palato ou disfunção velofaríngea: revisão de literatura. Rev CEFAC, São Paulo, v.14, n.3, p.528-543, May/June, 2012.

McGrattan K, Ellis C. Team-Oriented Care for Orofacial Clefts: A Review of the Literature. The Cleft Palate-Craniofacial Journal: January 2013, Vol. 50, No. 1, pp. 13-18, 2013.

Pegoraro-Krook MI, Dutka-Souza JCR, Telles-Magalhães LC, Feniman MR. Intervenção fonoaudiológica na fissura palatina. In: Ferreira LP, Befi-Lopes DM, Limongi SCO, organizadoras. Tratado de Fonoaudiologia. São Paulo: Roca; 2010.

Pegoraro-Krook MI. Dutka JCR, Marino VC. Nasoendoscopy of velopharynx before and during diagnostic therapy. J Appl Oral Sci, Bauru, v.16, n.3, p.181-188, May/June, 2008.

Pegoraro-Krook, MI, Aferri, HC, Uemeoka, E. Prótese de Palato e Obturadores Faríngeos. In: Camila Queiroz de Moraes da Silveira Di Ninno e Marisa Viana Jesus. (Org.). Fissura Palatina: Fundamento para a prática fonoaudiológica. 1 ed. Belo Horizonte – MG: Roca, 2009, v. 1, p. 113-124.

Pegoraro-Krook, MI. Feniman, MR, Fukushiro, AP, Dutka, JCR. Tratamento em Fissura Labiopalatina: Audição e Fala. In: Berretin-felix, G; Alvarenga, KF;Caldana, ML; Sant’Ana, NC;

Santos, MJD; Santos, PRJ, Organizadoras. (RE) Habilitação Fonoaudiológica: Avaliação e Eficácia. Pulso editorial: São Paulo, 2009. P.276-287.

Peterson-Falzone, S.J.; Trost-Cardamone, J.E.; Karnell, M.P.; Hardin-Jones, M.A. (ed) Effects of cleft and non-cleft VPI on speech in older children. In: The clinician’s guide to treating cleft palate speech. Mosby 2006.

Roberts RM, Mathias J.L. (2012) Psychosocial Functioning in Adults With Congenital Craniofacial Conditions. The Cleft Palate-Craniofacial Journal: May 2012, Vol. 49, No. 3, pp. 276-285.

Tabaquim, MLM; Joaquim, RM Neuropsychological Assessment of children with cleft lip and palate. Arch Health Invest, 2013; 2(5):59-67.

Tabaquim, MLM. Avaliação Neuropsicológica da criança com hemiparesia congênita. Arquivos de Neuropsiquiatria (Supl 1) v.59, set/2001, p.116-117.

Tabaquim, MLM. Avaliação Neuropsicológica: estudo comparativo de crianças com paralisia cerebral hemiparética e distúrbios de aprendizagem. Tese de Doutorado. FCM/Unicamp, 2002.

Tabaquim, MLM. Validação do Exame Neuropsicológico e análise das funções corticais superiores em crianças do ensino fundamental. Tese de Pós-Doutorado. FCM/Unicamp. 2008. p.313.

Tabaquim, MLM, Ciasca, SM. Avaliação Neuropsicológica em crianças portadoras de Paralisia Cerebral Hemiparética Congênita – um estudo preliminar. Temas sobre desenvolvimento, vol.10, n.57, jul-ago, 2001.

Trindade IEK, Silva Filho OG. editores. Fissuras labiopalatinas: uma abordagem interdisciplinar. São Paulo: Santos, 2007.

Whitaker ME, Aferrri HC, Dutka JCR, Pegoraro-Krook MI. Confecção e utilização da Prótese de Palato em terapia. In:, Maximino LP, Jacob-Corteletti LCB, Bueno MRS, Corrêa CC, Berretin-Felix G. (Org.). Intervenção em fonoaudiologia: comunicação sem limites. São José dos Campos: Pulso, 2013. p.87-98.

Yona K. Cloonan, Brent Collett, Matthew L. Speltz, Marlene Anderka, and Martha M. Werler (2013) Psychosocial Outcomes in Children With and Without Non-Syndromic Craniosynostosis: Findings From Two Studies. The Cleft Palate-Craniofacial Journal: July 2013.

 

 

<<< voltar para o índice de Disciplinas

 

Seção de Pós-Graduação HRAC-USP

Horário de atendimento: de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h30 e das 13h30 às 18h (exceto feriados) | e-mail: secpghrac@usp.br | telefone: (14) 3235-8434 | endereço: rua Sílvio Marchione, 3-20 • Vila Universitária • CEP 17.012-900 • Bauru - SP (piso superior da Unidade I, no corredor acadêmico)