Vacinação é iniciada no HRAC-USP e FOB-USP

Primeira etapa, ocorrida em 22/01/2021, foi voltada à equipe envolvida na testagem para diagnóstico molecular da covid-19, profissionais de saúde que trabalham na UTI, UCE, Centro Cirúrgico e Laboratório de Análises Clínicas e profissionais de saúde das áreas de Enfermagem, Odontologia e Medicina com idade acima de 60 anos

Eram 7h02 da manhã de 22/01/2021 quando o professor Carlos Ferreira dos Santos, superintendente do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho-USP) e diretor da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB-USP), recebeu a primeira dose do lote inicial de vacinas destinado ao Hospital e à Faculdade. Coordenador do Laboratório de Farmacologia da FOB-USP – que realiza a testagem para a covid-19 –, o dirigente está na linha de frente do combate ao coronavírus desde março de 2020.

Esta primeira etapa de vacinação, ocorrida em 22/01/2021, foi voltada à equipe envolvida na testagem para diagnóstico molecular da covid-19, profissionais de saúde que trabalham na UTI, UCE, Centro Cirúrgico e Laboratório de Análises Clínicas e profissionais de saúde das áreas de Enfermagem, Odontologia e Medicina com idade acima de 60 anos. Seguindo esses critérios de prioridade, os funcionários foram comunicados pelo e-mail institucional.

Conforme comunicado da Superintendência do HRAC-USP, divulgado no dia 21/01/2021, as doses de vacina estão sendo encaminhadas de forma escalonada pela Secretaria Municipal de Saúde de Bauru. “Todos os funcionários serão vacinados, porém em etapas diferentes. Os profissionais do HRAC-USP serão vacinados seguindo uma escala de prioridade de acordo com a Seção em que o funcionário trabalha, conforme orientação da Vigilância Sanitária. As doses da vacina virão nominais da Secretaria Municipal de Saúde, não sendo possível vacinar o profissional que naquele momento não estiver com seu nome na lista”, informa o comunicado.

‘A pesquisa precisa ser respeitada’
Pouco antes do início da vacinação, o professor Carlos Ferreira dos Santos falou à equipe. “Para destacar a importância deste momento, é preciso voltarmos a março de 2020, quando oferecemos a estrutura do nosso laboratório de pesquisa para uma rede de diagnóstico que a USP criou. A partir de abril, já estávamos habilitados pelo Instituto Adolfo Lutz. Quando recebíamos 20 amostras, achávamos que era muito, e hoje já chegamos a fazer 600 amostras em um dia só”, salientou.

“É óbvio que todo esse trabalho não é só meu, é de cada um de vocês. Desde o motorista que vai buscar, a secretária que monta as listas, quem lá no fim do dia insere [os resultados] no GAL [sistema Gerenciador de Ambiente Laboratorial], são muitas sequências. E esse é um trabalho silencioso, mas que está sendo reconhecido. Nós só estamos sendo vacinados porque houve uma decisão municipal, do Ezequiel Santos, diretor da Divisão de Vigilância Epidemiológica de Bauru, de que as equipes dos três laboratórios que fazem a testagem em Bauru – FOB, Instituto Lauro de Souza Lima e Instituto Adolfo Lutz – estariam entre os primeiros profissionais a serem imunizados. Então, precisamos agradecer ao Ezequiel e à Prefeitura Municipal de Bauru por essa decisão”.

Emocionado, o dirigente também agradeceu a equipe e ressaltou a importância fundamental da ciência. “Agradeço especialmente a cada um de vocês. Como pesquisador e como professor, posso dizer que será difícil ter uma experiência que supere essa pela qual nós estamos passando. Só consegui fazer isso porque aprendi fazendo pesquisa. A pesquisa precisa ser respeitada! E eu sei o quanto cada um de vocês respeita o que é fazer pesquisa e fazer pesquisa séria. Só posso dizer que eu amo vocês e que estarão sempre no meu coração”.

“Esse momento é histórico. Bauru e suas autoridades sanitárias reconheceram a importância da equipe da testagem da FOB, que tem alguns componentes do HRAC, e do próprio trabalho que o HRAC fez e está fazendo durante a pandemia. Infelizmente, não vamos, nessa primeira etapa, conseguir vacinar todos os profissionais da saúde, como já está muito bem divulgado pelo Governo do Estado de São Paulo. Mas há o compromisso do Governo do Estado e do Governo Municipal para que todos os servidores da área da saúde de Bauru e dos demais municípios sejam vacinados. Portanto, os demais profissionais do HRAC e também da FOB, que têm uma grande expectativa para que a comunidade seja vacinada, precisam ter um pouquinho de paciência. Mas eu acredito muito no nosso Governo e tenho certeza que esse compromisso vai ser honrado”, finalizou o professor.

Doutoranda Thaís Francini Garbieri, Prof. Carlos Santos e o especialista em laboratório Thiago José Dionísio, que iniciaram os testes na FOB

Injeção de ânimo e esperança
O início da vacinação e imunização traz também ânimo e esperança de tempos melhores.

Thiago José Dionísio, especialista em laboratório que atua no Laboratório de Farmacologia da FOB e segundo vacinado, relatou: “desde março, a gente vem trabalhando dessa forma silenciosa e ter esse reconhecimento agora incentiva a equipe. Eu acho que é o grande primeiro passo para a reconquista da nossa paz”.

A servidora Cleide Carolina da Silva Demoro Mondini, enfermeira do HRAC-USP há 36 anos e que aplicou a primeira dose no Hospital, também falou sobre a importância do momento. “Tenho um sentimento de gratidão muito grande pelo local onde trabalhamos. Foi muito emocionante participar desse momento histórico em que iniciamos a imunização. Quem sabe, daqui para frente, consigamos controlar essa doença tão devastadora que tem levado nossos amigos e pessoas queridas”, afirmou.

(Fotos: Tiago Rodella, HRAC-USP. Veja mais fotos no Facebook do HRAC)