Ouvidoria do HRAC/Centrinho-USP completa 20 anos

Atuação foca acolhimento aos usuários e qualidade da assistência ofertada pela instituição                            

Criada em 13/09/1999, a Ouvidoria do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho) da USP, serviço pioneiro na área hospitalar, completa 20 anos de atuação.

Acolhendo solicitações de informação, sugestões, reclamações, elogios, entre outras manifestações, a Ouvidoria é um canal aberto e acessível ao público, cumprindo seu papel como agente de qualidade e trabalhando na prevenção, mediação e resolução de ocorrências e conflitos. Nessas duas décadas de atividade, foram abertos mais de 15.000 procedimentos.

A Ouvidoria busca ainda atender às necessidades dos usuários e estimular a participação dos pacientes e familiares como protagonistas no processo de reabilitação.

No decorrer dos anos, estruturou e aperfeiçoou seus protocolos de trabalho preconizando a transparência, eficiência, equidade e a valorização da cidadania, condição que permitiu o reconhecimento e a credibilidade que mantém na instituição e entre o público.

“Nessas duas décadas de atuação, a Ouvidoria do HRAC sempre primou pelo acolhimento aos usuários, impactando na qualidade da assistência ofertada e contribuindo no dia a dia da instituição como um importante instrumento de gestão, pautando-se no ouvir e no olhar”, ressalta a ouvidora do Hospital, Maria Irene Bachega.

Atualização e homenagem
E no dia 13 de setembro de 2019, a Dra. Maria Irene Bachega foi homenageada pelos 20 anos de trabalho à frente da Ouvidoria do HRAC no 19º Fórum Nacional de Ouvidores Universitários e de Hospitais de Ensino (FNOUH), realizado no Complexo Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba-PR.

O evento, que teve início no dia 11 de setembro, contou com cerca de 200 participantes de todo o país, entre eles o presidente do Fórum Nacional de Ouvidores Universitários (FNOU), Paulo Rodrigo Ribeiro Guimarães, e o atual corregedor-geral da União, Gilberto Waller Júnior (ex-ouvidor-geral da União).

 

Maria Irene Bachega (ao centro) recebe homenagem do presidente e da vice-presidente do Fórum Nacional de Ouvidores Universitários, Paulo Rodrigo Ribeiro Guimarães e Leila Leal Leite. Foto: Divulgação

 

USP representada. A partir da esquerda: Maria das Graças Bomfim de Carvalho, ouvidora-geral da USP; Sheila Abrantes, ouvidora do HCFMB/Unesp; Silene Migliorini, ouvidora da FCF-USP; Maria Irene Bachega, ouvidora do HRAC-USP; Manoel Eduardo Alves Camargo e Gomes, primeiro ouvidor público do Brasil; e Alessandra Ferreira Lopes, ouvidora do HU-USP. Foto: Divulgação