Aluna de iniciação científica premiada

Trabalho recebeu menção honrosa na categoria Graduação, área de Implantodontia, na Jornada Odontológica de Ribeirão Preto (JORP 2017) |

A aluna Caroline Chepernate Vieira dos Santos teve seu trabalho de iniciação científica premiado na 39ª Jornada Odontológica de Ribeirão Preto (JORP 2017), realizada no último mês de outubro na USP em Ribeirão Preto.

Intitulado “Taxa de sobrevivência de implantes osseointegráveis em área de fissura. Estudo retrospectivo”, o trabalho desenvolvido no Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho) da USP recebeu menção honrosa na categoria Graduação, área de Implantodontia.

Caroline é aluna do último ano de graduação em Odontologia da Universidade do Sagrado Coração (USC). Seu trabalho de iniciação científica realizado no Hospital teve bolsa Fapesp e foi orientado pela professora Ana Lucia Pompeia Fraga de Almeida, chefe técnica do Serviço de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão e integrante da Comissão Gestora do HRAC.

Para Caroline, essa experiência no Hospital foi muito gratificante. “Tive a oportunidade de aprender e aprofundar meus conhecimentos sobre pacientes que normalmente não temos muitas informações e contato durante a graduação. Sou muito grata à Profa. Dra. Ana Lucia Pompeia, que prontamente aceitou me orientar e compartilhou comigo seus conhecimentos, com muita paciência e dedicação”, afirma.

“Fico muito feliz com essa menção honrosa, pois mostra o reconhecimento de outros profissionais por todo o trabalho desenvolvido e, para mim, simboliza o fechamento de um ciclo com chave de ouro”, comemora.

Após a graduação, Caroline pretende continuar fazendo pesquisas e atuar na área de implantodontia. “Pretendo fazer mestrado e, no último mês, saiu o resultado da prova de mestrado em implantodontia da Unesp de Araçatuba, na qual fui aprovada”, revela.

Influência positiva
Um dado curioso é que essas conquistas de Caroline têm forte influência de casa. O pai dela, Seir Vieira dos Santos, trabalha há anos como vigia no HRAC, pela empresa terceirizada.

“O fato do meu pai trabalhar no HRAC influenciou-me positivamente. A partir dele, tive mais curiosidade em conhecer o trabalho desenvolvido pela instituição. O Centrinho ajudou a despertar em mim a vontade de cursar Odontologia e, posteriormente, quando já estava fazendo meu curso de graduação na USC, a vontade de fazer uma iniciação científica”, relata.

“Foi uma honra e um privilégio ter a oportunidade de desenvolver uma pesquisa de iniciação científica em uma instituição tão renomada e que tem como objetivo ajudar tantas pessoas, pela qual tenho uma imensa admiração”, conclui Caroline.